quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Minha Tristeza




Estou tão triste
São as agruras da vida
É a solidão que me abraçou,
São os amigos idos,
O tempo que nunca mais voltou.

São as incertezas
A vitória que não quer chegar
São minhas franquezas
Um grito que ecoa sem ninguém escutar!

São os sonhos que morrem sem nascer
São desventuras de meu prazer
São lágrimas dia e noite
O pão que minha alma não quer comer

Estou triste...
Um vazio medonho se faz em mim
Não posso abraçar o mundo
Não posso fazer ninguém feliz!
Não há quem sinta minha falta
E na minha angústia não tenho paz
São as decepções de um desejo que foi banido
Lutas diárias que não se desfaz!

Estou bem triste...
São momentos de escuridão na alma
Um choro que nessa poesia se esvai!

Paula Belmino


**Poema real na minha alma, momentos em que não vemos uma luz no fim do túnel! Espero a luz um dia raiar, e Deus ouvir minha oração pra que meu sonho possa se realizar!
***Foto de meu sobrinho Amós!

5 comentários:

*Adriana* disse...

Boa noite, menina triste!

Como assim ninguém sente sua falta?! E a Alice? E nós, suas seguidoras?
Mas finalizou muito bem, uma tristeza e "um choro que nessa poesia se vai".

Beijinhos e bom fim de semana

Retalhos de Amor disse...

Linda Paula...
Momentos que vivemos
Mas... Na certeza sempre
O sol será amanhã
Nossa janela para a vida!!!

Beijos, minha Querida...
Final de semana inteirinho de paz
pra ti!!!
Iza

Anne Lieri disse...

Paulinha,porisso que anda sumida?Nunca te vejo triste assim...ânimo,amiga!Logo chega a primavera!Deus te quer sorrindo!Tem homenagem prá Artilia em meu blog!Fale prá ela ler e dizer se gostou!Bjs,

Mary disse...

Oi, amiga! Paaei para desejar um bom findi.. Bjão!!!

SMM disse...

Lindo blog! Se puder me visite, http://sindromemm.blogspot.com
Valeu!