quarta-feira, 29 de março de 2017

Uma ideia no bolso (Dica de Livro)





Ah! O que uma ideia não faz com a gente?
Formiga, incentiva ,instiga, traz curiosidade!
E uma ideia guardada no bolso de uma criança que sonha , que brinca e não pode contar do que se trata pois anda atarefado demais em dar comida aos bichinhos, a fazer um passeio no barco- avião, a voar no quarto-balão, a fazer de conta que é pirata, rei ou bichinho, tudo que lhe manda a imaginação.
Essa ideia só pode trazer aventura e muita fantasia, brincar de poesia e criar expectativas. Uma ideia no bolso tem muito valor, essa é pura fantasia.



Assim é o livro: Uma ideia no bolso de Patricia de Arias um exercício de imaginação, um desafio constante em se descobrir que ideia o menino guarda enquanto brinca e só tem tempo para se divertir.
Um livro poético com linguagem sutil para os leitores iniciantes, mas que nem por isso os maiores não deixam de se encantar, pois essa é a magia dos livros encanta a todos , em qualquer hora e idade.
O livro traz a escrita original em espanhol , mas é traduzido em português por Roseana Murray, oferecendo mais uma oportunidade de incluir a leitura bilíngue e o estudo, sem sair do ato prazeroso de ler e sonhar, brincar, criar, aguçado pela curiosidade por quem o leitor é tomado.



O livro chegou aqui pela Editora Rovelle, nossa parceria 2017 e já está encantando as crianças em volta, aos amigos que por aqui chega, junto com ele mais um : Guia do consumidor mirim e  logo mais vão os dois para escola e lá cumprirão a missão de trazer espanto e alegria, vivências da poesia, aprendizagens lúdicas e significativas!

Mais sobre o livro:



Quantas ideias cabem no dia de um menino pequenino que não se cansa de brincar? E se essas ideias nascerem no mundo dos sonhos, habitado por fadas, duendes e piratas, um mundo mágico em que a lua e as estrelas sussurram belas cantigas à janela? Belamente ilustrado, Uma ideia no bolso propõe o livre exercício da imaginação, numa gostosa brincadeira de “revela-não revela”, instigando o leitor a embarcar no divertido jogo do menino. Neste delicado texto poético para crianças bem pequenas, leitores de todas as idades sentirão vontade de voltar à infância e resgatar as ideias que inspiram nossos sonhos e alimentam nossa alma.

Autor(es): Patricia de Arias
Ilustrador: Elisabeth Teixeira
ISBN: 978-85-8275-038-4
Formato: 19 x 26 cm
Nº de páginas: 32
Gênero: Infantil
Tema: Leitura; literatura; livros; prazer de ler; pluralidade cultural.
Interdisciplinaridade: Língua Portuguesa, Educação Artística.
Temas transversais: Pluralidade cultural; infância; imaginário infantil.
Faixa etária: A partir de 3 anos

Preço de capa: R$ 32,90


http://www.rovelle.com.br/livro/uma-ideia-no-bolso


terça-feira, 28 de março de 2017

Tem mais contos de fadas saindo do forno!




Vilã ou heroína? Bruxa, princesa, camponesa, conselheira ou madrasta? Ou todas elas? Nos contos de fadas, as personagens femininas costumam ser entregues em casamento a quem mal conhecem, sofrem muito, não têm direito a dar opinião nem a escolher o seu futuro. E tudo isso só porque nasceram mulheres.
"Princesas, bruxas e uma sardinha na brasa" nos faz refletir sobre essas questões e também nos mostra como os homens podem ser aliados no processo de mudanças. São histórias que divertem, emocionam e ainda nos fazem ver que há muito a ser feito para que as mulheres também sejam donas dos próprios finais felizes.


Dessa vez Helena Gomes, autora de Dragões, maçãs e uma pitada de cafuné e As aventuras de Sargento Verde, em parceria com Geni Souza, publica Princesas, bruxas e uma sardinha na brasa, contos de fadas para pensar sobre o papel da mulher.


Já está disponível na loja online. Clique aqui.




Mais sobre o livro:


AUTOR Geni Souza, Helena Gomes
ILUSTRADOR Alexandre Camanho
IDADE a partir de 9 anos
NÚMERO DE PÁGINAS 132
FORMATO 16 x 23 cm
ISBN 978-85-7848-187-2
Editora Biruta

domingo, 26 de março de 2017

Tetéia, a aranha





A aranha Teteia se balança
e trança  sua teia
com  fios finos de lã no alto da telha
Tricotando  com amor o ninho de sua teia
pra filha Téia que vai nascer.
E lá do alto do telhado sobe e desce
o dia inteiro
Não se cansa de trabalhar.
Não dá na telha que é tarde
e é  preciso descansar.
Tetéia é feliz assim
A subir, descer, a tecer fios de prata
Pra filha Téia ainda no ovinho.
Noite e dia tontinha de trançar sua teia
Tetéia conta, tim tim por tim tim, o tempo
logo nasce Téia e serão duas aranhinhas  tontas
De tanto subir e descer do telhado
atravessando a noite

A tricotar.

Paula Belmino





Poema inspirado na aranha que tanto amamos encontra no museu catavento em nossa viagem de férias a SP, o museu tem muitas atrações sobre seres vivos, corpo humano, borboletário, física, arte, para aprender brincando, experimentando. O nome Téia vem da memória afetiva do poema Téia de Eloí Bocheco que entrou em meu coração e nos das crianças de minha escola:



Vale muito a pena visitar


quinta-feira, 23 de março de 2017

Somos todos árvores








Somos todos árvores:
Terra, água
Fogo, energia e ar
Somos natureza!
coautores da vida

responsáveis pelo verde
Pelo equilíbrio
Pelo cuidado com o meio ambiente.
Somos partes principais
mas sem os pequenos insetos
e na falta das plantas diversas
qualquer que seja o arbusto ou erva
Secamos e morremos
O mundo desaparece!
Que faremos nós pra preservar o planeta?
Ecologia e sustentabilidade
é urgente, é vital!
Ou com o fim da última árvore do mundo 
será também o fim 
de nosso ser mortal!



Paula Belmino

Hoje nossa aula foi inspirada no livro lindo de Lalau e Laurabeatriz : A última árvore do mundo. 
Trabalhando sobre as estações do ano, o movimento da vida, a importância da natureza para a nossa sobrevivência, o cuidado com os animais, com os recursos naturais, fazendo cada um a sua parte.
As crianças ouviram atentas a história embaixo da árvore, aprendemos sobre fotossíntese e todo processo de transformação de energia em ar e vida, cantaram, saudaram a mãe natureza, vivenciamos a poesia linda desse livro mágico.
Depois na sala escreveram e interpretaram o texto, como compreenderam, deram sua opinião sobre os cuidados com a terra e com as árvores e ilustraram, aliados ao livro didático sempre em sequência didática com os conteúdos, mas de forma consciente, humanizada, instigando os sentimentos de paz para com o meio em que vivemos.
Aula interdisciplinar e mágica com livro!!!!







Para saber mais sobre o livro:


Um dia, uma arvore se vê sozinha no mundo. Mas nem por isso deixa de seguir em frente com sua vida. Ela continua a dar frutos, flores e abrigo a todos que vivem em sua volta.

título: A ULTIMA ARVORE DO MUNDO
isbn: 9788526281332
idioma: Português
encadernação: Brochura
formato: 26,5 x 24
páginas: 32
coleção: CUBO MAGICO
ano de edição: 2011
edição: 2ª

autor: Lalau
ilustrador: Laurabeatriz


quarta-feira, 22 de março de 2017

Flautinha de Condão e o doce mundo da arte




Música e vida
Cultura e arte
Sentimentos e expressões
Cores da alma.

Liberdade e movimento

Imaginação

Poesia e canto
Acalanto ao coração

Contos encantados
Flautinha que conta histórias
Fluindo leveza
Em notas de paz

Acordes e nuances
Que abençoam a manhã
Junto com os passarinhos
Entoa-se uma bela canção

Que fala de vida
Canta versos em tom maior 
Flautinha que une as crianças em roda
e faz canção no amor.


Paula Belmino

Leitura precede tudo, e incentiva ainda mais a criança a imaginar, a desejar realizar, se inspirar. Os livros são ferramentas importantes para o sonho, para a fantasia. Aliando leitura antes de tudo, no meio de tudo, a qualquer tempo, em qualquer oportunidade. Hoje fomos ler para as crianças da aula de música, projeto de incentivo à arte e cultura para as crianças promovido pela casa da cultura em nossa cidade com apoio da Prefeitura municipal. As crianças estão aprendendo aula de flauta doce e  justamente aqui em casa tinha um livor lindo que desde ano passado estava esperando a oportunidade de aparecer nas aulas do professor Francisco Aprígio, para encantar as crianças. O livro Flautinha de condão conta a história de Tadeu um menino que anda pra cima e para baixo com sua flauta doce e encontra um grupo de músicos no coreto da praça, até que a fada Mainha lhe incentiva a estudar , ele com medo de não ser aceito por não saber tocar, só ouve e acompanha ao longe. Uma noite a flauta conversa com ele após o passe de mágica que fada Mainha faz, e assim a flauta vai trabalhando as  notas ate que    o menino se descobre participante e apto a aprender a tocar.
O livro é todo em forma de poesia, com rimas leves, com brincadeira e fantasia, numa proposta de incentivar à criança a aprender um instrumento, a viver em volta da música, afinal ela é vida e tem o poder de transformar, desenvolve inteligência múltiplas, habilidades e capacidades.
A música é direito da criança e por ela pode se expressar, criar, expor sentimentos e viajar na imaginação. 
O projeto Raízes da Serra azul do espaço cultural aqui em nossa cidade desenvolve projetos com música, dança,teatro e atividades de artesanato, uma iniciativa que estava faltando em nossa cidade, o de além de promover o contato da criança com a arte, tirar da ociosidade e garantir a elas um caminho de aprendizagem significativa e para a paz. Serão essas crianças os futuros poetas e músicos, leitores e artistas, e cada um pode ajudar no que dá, eu não sei nada de instrumento e quando a Alice entrou na aula me vi como ela na mesma idade,pois há anos atrás apareceu a primeira banda de música e poucos tinham a oportunidade, nesse projeto todos tem a vez, tem as mesmas chances, é só se matricular e chegar lá. O professor Francisco meu amigo, na mesma época de minha adolescência teve a oportunidade de tocar saxofone e lembro com amor e um pouco de tristeza que eu desejava tanto, as não tive a chance, um certo dia ele me deixou tirar uma foto com o sax, guardei a foto, o desejo e a memória afetiva, e hoje o sonho se passa para Alice que o vive por mim. dai se tira uma lição: Dar oportunidade ás crianças de sonharem e realizarem.
Eu sigo lendo e incentivando, pois por meio da leitura se transforma a realidade.





Um menino, com sua flauta amada, aprecia um coreto de flautistas, desejando um dia aprender a tocar. Eis que seu sonho pode se realizar pelas mãos de uma fada, que lhe mostra como conseguir dar os primeiros passos na música.
Estreando a Coleção Bambolendo, "Flautinha de Condão" traz uma história narrada em versos por uma doce flautinha, oferecendo aos pequenos leitores a oportunidade de aprender como extrair as primeiras notas desse popular instrumento, assim como aconteceu com o menino Tadeu. E hoje Tadeu veio tocar, cantar, contar sua história e da flautinha para os alunos da aula de flauta doce na casa da cultura

video



Para saber mais:




Coleção Bambolendo
Autor:
 
Marcio Mac Cord
Ilustrações: André Flauzino
Temas: Fantasia - Relação com a música
Páginas: 16
Formato: 20 x 20 cm
Editora: Bambolê
ISBN: 978-85-69470-02-1


terça-feira, 21 de março de 2017

Outono




Rompe o outono
A exaurir as cores da árvore
Pra poupar energia
Folhas caem ao chão
E pintam em tom marrom as tardes.
Chega o outono
Exalando o cheiro das frutas
Lá fora as crianças brincam
Renova-se a vida
Cirandando em cantiga.
Nos ninhos o canto dos passarinhos eclode
E se misturam à poesia do dia
Das crianças a subir nas árvores
Arvorezinhas que fiam a vida
E  mudam de cor.
Nasce o outono
Anuncia o renovo 
O renascer de um tempo bom.

Paula Belmino




Alice e Anaiara brincam na árvore que logo troca suas folhas nesse outono que chega
Um momento lindo de observar a vida e seus sinais, seu exemplo de trocar as vestes, e refazer-se sempre, envolvemos as crianças nesse clima de brincadeira e respeito á natureza para clicar nosso ensaio em parceria com a Dedeka, que está sempre atenta aos cuidados com o meio ambiente
Elas usam pijamas da coleção Arteiros





Para conhecer toda coleção  http://www.dedeka.com.br/



domingo, 19 de março de 2017

Catarina em Prosa e Verso (Dica de livro)









Uma escola cheia de amigos bichos,
Catarina a tartaruga,
Coelhildo coelho, e Pavonaldo o pavão
Tem preguiça apaixonada por poesia
E de versos que metem medo faz o  leão
A professora é a coruja
E incentiva os bichos a brincar
A ler a escrever,
Ritmo, métrica, versos livres criar
Um grupo foi criado, o poesiando
Um encontro para todos estudar
Deixar a inspiração fluir
E versos belos criar
O primeiro foi Catarina, a tartaruga:
Brincando com a letra O
Som , repetição e musicalidade
Nunca na poesia ninguém se sente só.
Preguicildo, a preguiça, mal para pra pensar
Mas ama o ritmo e aprende a ler e a leitura amar.E assim os bichos todos
Ratonilda, Leãonaldo,
Cobragilda, Gatonaldo
Interpretam os versos livres,
Com Catarina criam causos
Poemas bem feitos linha a linha
Os que parecem não ter sentido
mas mão tem razão a poesia,
É pra sentir, é pra brincar
É pra fazer-se livre, viajar
Entrar na roda das palavras,
Rima ou não rima, sensibilizar.

O grupo Poesiando foi um sucesso
Dia a dia inventando novos versos
Aprendendo um ano inteiro
Zebrassom, Tatugildo
Saponilda, Calopsildo
Fizeram versos de amor, falaram de natureza
Do que sentia o coração
O que aprenderam o ano inteiro
Que a poesia em tempo é algo bom
Resgata-se a cultura, ensina-se mil maneiras de se apresentar
Desenvolve o gosto pela leitura
É uma maneira maravilhosa de se expressar
A poesia é voar, viajar, e brincar.


Paula Belmino


Como não seria diferente fiz essa poesia para resumir o livro : Catarina em prosa e verso, um livro lindo que instiga a criatividade, a leitura e à escrita, brincando com as palavras e vários bichos que recebem nomes engraçados. Escrito por Silvia Delázari e  ilustrado  por Carol Juste, o livro tem como protagonista a tartaruga Catarina que reúne os amigos de sua escola e brinca de fazer poesia, todos saem ganhando por além de socializar conhecimentos, podem falar do que sentem, dos amores perdidos, do olhar ecológico, fazer até autorretrato, um ano inteiro de encontros, amizade e muita poesia na simplicidade da vida.
O livro enfoca a métrica, a sonoridade, a brincadeira com as palavras desafiando o leitor a criar também seus próprios versos.
Recebi o livro do projeto Alyssa e a magia da leitura  que assim como o Poesia do Bem dissemina leitura por onde passa e sai poetizando.




O livro chegou e já tá cumprindo sua missão de encantar e incentivar a leitura e a escrita por aqui, foi lido de mãe para filhos, em piquenique literário, em festa do pijama com apoio da empresa Dedeka, que sempre nos incentiva a brincar e desenvolve uma infância plena 









Para saber mais do livro:



A tartaruguinha Catarina se encantou com o verso, a rima, o ritmo... Ao longo da métrica, encontrou amigos que a ela se juntaram para ler e escrever poemas... No ir e vir das estrofes, a todos eles se revelou a poesia!
Venha, entre para esta história! Você também é convidado a poetizar!"


Dica da autora: