segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Alegria Pura. Dica de Livro



Manhã.

Canto de galo.

Ruazinha perdida na cidade quase vazia.

Marlúcia busca atenção

Também está só.

Todos ocupados

Cuidam da horta, chuleiam e bordam

segredos , silêncios.

Liló, Mazé, Isorina, Dileuza, Célida.

Cinco moças a olhar o vazio, ocupadas na rotina dos dias... embromam , engomam, cozinham, arrumam a mesa

Pamonha, arroz doce, sabores e cheiros

Louça limpa.

Vida simples.

E Marlúcia rodeando, pedindo ajuda, tentando achar solução

Ninguém a vê. Bobona, enfadonha.

-Não atrapalhe! - ralham, as cinco, todas no mesmo coro.

Assim percebida de indiferença, se enche

alegria malsã, um jeito de vingar -se , das cinco que não lhe deram atenção.

Poderia a solidão virar amizade?

A alegria pura chegar na manhã?





Um amor, cartas, bilhetes, convites, fogo ardendo, ressentimento, mágoa e paixão acendida , queima no fogo, como o doce apurado.

Um rapaz, uma intriga, um castigo.

.

E a forma de Marlúcia se mostrar.

Quem veria a alegria pura deste lugar?




Uma história, um enredo de nos fazer viajar na cultura, no regionalismo, nas histórias de inventar amor e se enamorar, nas palavras perdidas.


Assim é o livro :

📕Alegria pura de Stella Maris Rezende com ilustrações de Eduardo Albini pela @imperiallivros

Uma história enredada com palavras bem tecidas, entrelaçadas de sentimentos, transbordando poesia.

Marlúcia busca conversa, busca ajuda, se intromete, Mas as 5 colegas não lhe dão atenção, então ela faz a prova de como conseguir o que quer usando o nome de um rapaz , o pretendente que todas as moças querem. Um Livro de beleza, onde paira o tempo, e onde se sente cheiro das plantas, das ternuras nos vasos nas varandas.

Intrigas ingênuas, cercando a vida num tempo que não se vê mais.

Para comprar

https://imperiallivros.com.br/liv.../pre-venda-alegria-pura/


Lançamento amanhã 26/01/2021 ás 18H










 

Caminhada





Segundo uma pesquisa do IBGE a maioria da população brasileira é sedentária a partir da adolescência, e 47,5 % dos envolvidos são mulheres. Realizei uma pesquisa no Google hoje, por interesse e pela curiosidade para começar a escrever este texto. É que hoje precisei caminhar até o trabalho, acordei cedo e o pneu da moto estava furado, sem tempo de levar à borracharia, sai com a mochila nas costas, pelas ruas ainda desertas, num dia frio prevendo o inverno tão esperado no Nordeste. Sai caminhado vagarosamente, imposto pela sequela pós-acidente automobilístico, e segui o caminho admirando as mangueiras com frutas caídas nas calçadas, florindo. Senti o perfume da manhã, respirei profundo, apesar do uso da máscara.
Caminhei como se eu pudesse voltar à condição física de dez, quinze anos longe dos exercícios.
Durante a caminhada de no máximo 20 minutos de distancia entre o trabalho e minha casa eu já estava quase me sentindo saudável e lembrei quantas vezes caminhei nas ruas da cidade inteira, a visitar um amigo, para ir ao trabalho, ou à escola, para ir à feira. Sempre a caminhar livre, leve, e feliz. Quantas vezes eu andei por estas ruas e parei pra cumprimentar um amigo, para conversar coisas sem importância, entrava numa casa para abrigar-me da chuva que caía.
Durante meu trajeto, incomodou-me o peso da mochila nas costas e a dor no peito. Meu coração estaria tão fraco que não suportasse andar 10 minutos?
Quantos morrem de infarto por causa do sedentarismo? Por achar cômodo ir de veiculo motorizado para o trabalho, para um passeio?
Quantas pessoas deixaram de dar bom dia aos vizinhos, às pessoas da rua, por estarem presos no veículo?
Ao caminhar, pensei em mudar a minha prática, comprar um tênis confortável e voltar a andar, mesmo com minha limitação física. Talvez eu não emagreça, não diminua o sobrepeso, não me torne fitness e faça pouco para reduzir os altos níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue, talvez mal ande, mas ainda assim a caminhada me faria livre. Eu só queria voltar a ser jovem outra vez, sem sequela alguma para correr, caminhar, e viver, até quando não sei.

Paula Belmino

Crédito da imagem do Google

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

terça-feira, 19 de janeiro de 2021

A corujinha curiosa

 


Qual mãe não cuida do filho com zelo, ou até ultrapassa o modo como cuida do filho que o impede de alçar voo ou crescer?

A corujinha curiosa é esperta, observadora, quer experimentar outros ares, outras artes, a maneira de viver dos filhos ao seu redor

Mas a mãe dela é cuidadosa, é muito protetora e quer impedir a corujinha das vivências.

Um livro que trata sobre curiosidade, experimentação, novas possibilidades, um mundo novo a se descobrir.

E a mãe desta coruja como responderá aos desejos e escolhas da filha ?

 

Assistam a dica da Alice sobre o livro

📕A corujinha curiosa

✍Maria Elaine Cambraia

🖌@damdsouza

👩‍💻

Franco Editora




 

quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Mamãe faz nuvens

 

E se sua mãe tivesse o dom de fazer nuvens? Choveria amor?!


O livro Mamãe  faz nuvens da Ana Rapha Nunes conta a história de Clara,  uma criança feliz que tem um bom relacionamento afetivo com sua mãe Anete, uma doceira de mão  cheia,  que ao preparar quitutes e polvilhar a vida com amor e mais doçura ensina a filha a viver com encantamento e sabedoria. Ao chegar da escola,  Clara conversa com sua mãe e conta a ela suas descobertas com a turma, com a professora, assim como descobre que sua mãe também reiventa  a vida , faz poesia,  inventa nuvens espumadas. 


Achando que a mãe tem grandes poderes, sai contanto a todos do seu feito,  mas ouvirá dos amigos que o dom não é  específico da Anete, outras mães fazem sol, fazem chuva, fazem até trovão.  Todos os encantos que os filhos veem nos pais está espelhado no quão  amoroso,  os pais veem doçuras e talentos nos filhos, sendo incentivadores apaixonados.

Um livro terno que traz de certa forma a lembrança da infância da autora  que ouvia da mãe dicas histórias e preparou com ela bolos , castelos de nuvens, alegria e ternura para dar asas à imaginação. 


O livro é  ilustrado por @paula_kranz e publicado pela  Editora @quase_oito 

Assista o video e aproveite para se inscrever no nosso canal  no YouTube 



Paula Belmino 

domingo, 3 de janeiro de 2021

O dia do rio

 



Uma cidadezinha e seu rio, a vida simples do lugar.

O rio era visitado era o lugar de encontro, de histórias,  de vida.

Com a chegada do Senhor João Progresso, pensando na forma  simples e no comodismo da água encanada , tudo ao alcance das mãos,  as pessoas deixaram de visitar o rio e nem lembravam mais que  a água que usavam para tudo e que bastava-se ligar a torneira para  achá-la vinha do rio.

Não bastasse Senhor João  Progresso coloca grandes tubulações e canos e a água dija do esgoto descartada deixa  o Rio doente. Quem poderá ser consciente e ajudar ?

A cidade só lembra do Rio quando a água falta. 

Mas é  na voz e na ação de uma criança inteligente e amante do rio que essa situação poderá ser contornada.

Livro lindo escrito por Eraldo Miranda  @eraldomirandaof  com ilustrações de Alberto Pinto  Publicado pela Franco Editora 

Livro pra gente repensar nossas ações de cuidado coma natureza, com a água que não é apenas um recurso  ,  é  parte integrante da nossa existência,  está em nos e em todos os seres vivos nos mantendo de pé,  vivos. 

Livro necessário para a gente repensar nossa forma de tratar a natureza, o consumo  , o cuidado com o lixo e o descarte de resíduos, pois mesmo onde a gente more não exista Rio, a água vem de algum lugar, debaixo da terra por exemplo, no caso dos poços artesianos e basta colocar lico de forma inadequada para contaminar o solo, o lençol freático e contaminar a água, os rios subterrâneos .

.

Cuidemos da água,  das nascentes,  da nossa vida.



sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

Oração de um dia novo





Dá-me Senhor um coração grato 
Para agradecer a vida
O ar que respiro 
O sonho realizado
E até mesmo o frustrado.

Dá-me Senhor um coração humilde
Para eu nunca esquecer 
As minhas origens,
A mão estendida,
O ombro amigo,
A única pessoa que me ame,
E as que eu  ame sem ser amado. 

Dá-me Senhor  uma alma feliz 
Na fartura ou na escassez
No tempo da crise ou de bonança.
Que eu seja simples como uma flor,
Como é  a criança.

Que eu nunca negue o  pão 
A quem tem fome 
Água fresca a quem tem sede.
Ofereça o repouso 
Uma cama, ou uma rede.

Dá-me Senhor um espírito cativo ao amor 
Gratitude sem esperar nada em troca
Benevolente a quem não me faz o bem 
Perdão a quem semeia o ódio.

Dá-me Senhor mãos para ajudar 
Mãos que selem concertos com a virtude. 
Mãos que plantem sementes do bem. 
Que  eu semeie a paz em tempos de guerra.

Dá-me Senhor a gratidão em todo tempo
Pois a gratidão é  exercício para a prosperidade, 
É o passo para a felicidade,
Sabendo que em tudo está Deus .

Paula Belmino