quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Quando se faz Primavera




Quem me vê em plena primavera não sabe quanto tempo fiz dentro da alma deserto
Dias estiados, em secura de sentimentos
Ou em confusão brinquei de bem-me-quer
Fui só espinhos
Beleza alguma de flor.
Rasguei o coração e a pleno pulmões gritei ansiando cor e luz
E a unhas cravadas banhei em sangue a alma e dispus a viver
para ser  flor, a perfumar
Quem me vê plena primavera não sabe que já fui flor à beira da morte
E me fiz árvore ansiando orvalho
Para que na estação própria pudesse germinar.
Me fiz de galho, seco, atravessando a solidão
Para que hoje em fina flor um pássaro de amor viesse cantar.
Posso dizer do jardim que há em mim
são feridas abertas em cicatriz  que se trasnformaram
Da dor, o amor
do luto, a luta
Da flor, plena primavera!

Paula Belmino

Para saldar a primavera nosso lindo ensaio com parceria da Lecimar







Alice Usa m lindo vestido em renda na cor pink cheio de vida e cor, a renda imitam flores, nada mais apropriado para a nova estação que desabrocha sentimentos de paz .

Para comprar:


http://www.lecimar.com.br/loja/

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Árvore








Acolhe
Sombreia
Alimenta
Aformoseia.
Perfuma
Refresca
É gota
É chuva
É pureza.
Ar
Vida
Flor
Natureza.

É árvore que ensina:
O bem não se deixa morrer!
É feito semente, se cresce na gente, faz ao redor uma floresta nascer.


Paula Belmino

Alice usa DEdeka


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Para Toda Mulher- Lecimar







Toda doçura de um sorriso
A gratidão da alma
O encanto da vida se misture sempre no olhar.
E que sejamos ternos e aprendizes da natureza que muda, se molda, manifesta, transborda, brota e enverdece, limita, morre, mas depois floresce em novo tempo, em novo estado, em ideias de sustentabilidade.
Sejamos feito a flor que encanta e em seus espinhos ainda conserva a luta , a vida, a vontade de crescer.
Sejamos mulheres de força, de luz, feito flor que perfuma, e como espinho que impõe limites e pressiona seus ideais de vida protegendo o que ama.
Sejamos mulheres de força e ternura, de paz e doçura, de fé e esperança, em todo tempo, em qualquer que seja a idade, não se moldando às ideologias do que a mídia impõe, mas valorizando a beleza que há em cada uma de nós, por dentro e por fora.

Paula Belmino

Esta é a inspiração para o ensaio moda Plus size em parceria coma  Lecimar que fiz com este look
colorido, confortável e lindo sob as lentes da Alice. acreditem e pasmem ela quem fez as fotos!!
Confiram:




Este vestido em crepe e viscose pode ser encontrado na loja virtual da marca com outras estampas e a preço que cabe no bolso , e ainda mais com promoção de frete grátis



Compre aqui  http://www.lecimar.com.br/loja/feminino-plus-size/vestido-em-crepe-plus-size.html?___SID=U

Eu uso Lecimar
Calçados Piccadily

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Que sentimento é esse?



É amor, só pode ser, essa vontade de abraçar quando eu estou me sentido só, ou toda vez que estou ao seu lado em meio à multidão em derredor. Um desejo que invade a alma e faz transpirar a pele em notas florais, teu aroma conhecido  nas minhas narinas adentrando o ego em busca da alma, saudosa de teus encantos.
É amor, só pode ser, esse desejo de adormecer ao seu lado e sonhar sonhos de beleza e claridade de dias de felicidade, e quando acordado velar teu sono feito anjo na cabeceira da cama, a cada suspiro, a mais forte respiração inalar vida e cantarolar desejos de longa vida e sorte.
É amor, ah! sim é amor, essa sensação de pertencimento, de adentrar tua vida, teus sonhos, teu pensamento e conhecer cada desejo, cada gesto, cada sorriso, cada sentimento em suas expressões e desejar apenas o melhor, o mais bonito, o caminho mais verde e trilhar a caminhada quando árdua a seu lado, refrescando com a água do otimismo, gotas de esperança, bálsamo e fé para os pés cansados. Que seja enfim a vitória tua morada!
Ah! e como é amor, infinitamente precioso esse sentir agonias em pensar estar longe, ou de sobressalto fazer o impossível por te ter bem perto. Impossíveis sim, coisas inexplicáveis, pois por esse amor se faz poesia e canto, sorriso em meio ao pranto, vida em movimento e liberdade. Nesse amor somos sempre jovens e corremos juntas, alma incansáveis em busca do horizonte!


Paula Belmino

*Fotografia inicial de Naline & Alberanir em nossa prévia do ensaio Tal mãe, Tal filha com parceria Lecimar 

Do Making Off com celular





quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Do que se faz Prece



A alma pulsa ansiando paz
As lágrimas quentes molham o espírito
e a face cansada de quem não sabe mais onde buscar forças.
Molha-se em pranto e dor o corpo
E se pergunta:
Haverá descanso?
Senhor sê o auxílio, o porto seguro, a luz
A mão que alenta e consola
O bálsamo que cura
O cobertor que aquece do frio
A luz que ilumina na escuridão fazendo surgir o caminho
Sê Tu Senhor a torre forte, o escudo, e para a alma cansada refrigério.
Ai se poderá dizer: -Ainda há no fim do túnel uma chama acesa!
E sobre a vida que se esvai entregue ao sofrimento:
Uma gotícula de esperança.
E assim quando tudo é silêncio e a alma aflita chora, há uma prece a ecoar:
 Senhor és minha viva certeza de vitória.



Paula Belmino



*Alice usa Dedeka

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Alento






De um dia feliz
em meio a natureza
O brincar, a natureza, a paz
Sorriso na alma
Cabelo ao vento
Multidões de sentimentos
Um dia feliz para brindar o amor
E se fazer energia para enfrentar as tempestades
Aqui dentro de nós, porto seguro
Amparo, consolo e esperança em dias melhores.

Paula Belmino









Alice usa:
Beijinho coleção verão 2016

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Questão de tempo




Perde tempo quem deixa ir a oportunidade de ouvir uma canção.Um passarinho a cantar, o vento assobiando na janela, a melodia da natureza a se manifestar lá fora enquanto o sol levanta e a vida se fia.
Perde tempo quem não beija uma criança, quem não abraça o amigo, quem não diz bom dia e abre a manhã em sorriso. Um beijo que sele o amor, o abraço que traga paz, o sorriso que emudeça a dor.
Perde tempo quem corre contra o vento, quem cedo levanta e sai ás pressas sem dedicar tempo à família. O tempo urge,  e vai a galope corroendo a saúde, os anos, os sentimentos. Levanta cedo ao trabalho, Deus ajuda com certeza, mas antes abençoa, conversa, expressa cuidados. Sê como ave que na boca dos filhos o alimento deita e torna sempre a prover o alimento nas terras distantes sem do ninho nunca esquecer. E saudosa retorna aninhando com calor os filhos seus.
Perde tempo quem não se olha no espelho, quem não se admira, nem elogia a perfeita criação de Deus, e vive a espiar a vida da janela, apenas um quadro pintado em tela. E quando se dá conta as rugas moldam a face, cabelos brancos pintam feito a neve sobre a terra. E a vida voou, o tempo já se despede.
Há que se trabalhar arduamente, mas descansar, sair cedo mas também aproveitar os momentos de descanso, fazer tudo bem feito,e alimentar  os que estão ao redor com amor, afago, acalanto, deixando-se levar pela canção que os céus ecoam, de paz, esperança, sonhos que minam no coração. E viver plenamente no jardim da vida, sair da espreita da janela e vir à rua, lutar, sonhar, se molhar na chuva.
Não perde tempo quem beija, quem sorri, quem brinca, quem lê, quem viaja, quem conversa e guarda pedacinhos de lembranças, quem marca o tempo escrevendo histórias e fazendo poesia os momentos breves da vida.
Não perde tempo quem ama arduamente, quem planta sementes de amizade, quem não deixa de lado o primeiro amor, quem se alimenta de pequenos gestos de bondade e faz eterno o tempo, o qual logo se rompe feito  flor branda e numa questão de tempo,murcha e perde a cor.

Paula Belmino


**Alice usa Lecimar