sábado, 27 de agosto de 2016

Pra colar coração quebrado


Pra se consertar coração quebrado é necessário jeito e cuidado
Um pouco de fé e esperança
Doces lembranças contadas com doces histórias, ao pé da cama, feito oração, um livro, de uma boa memória.
Poesias que rezam a infância, as brincadeiras, o tempo de outrora feito desenho numa folha de papel para registrar sua história.
Para colar coração quebrado pela dor, um beijo de amor, um abraço, um cafuné, um conselho bem dado junto uma xícara de café, um chá que acalme os nervos, com perfume que acalme o coração, traga doces recordações.
Pra colar coração quebrado é preciso atenção, uma conversa ao pé do ouvido, um estender de mãos, ombro lado a lado, um aperto de mão e ofertar a quem sofre uma canção, de paz, de acalanto, cheia de poesia.
Para colar coração quebrado... Um bom dia, um sorriso, um amigo. E um livro que cura as feridas e trás paz à alma e no rosto feliz , aformoseios e remédio para o ferido coração.
Para colar coração quebrado ...
fantasia, alegria, imaginação, amor, amizade, poesia e encantamento, oração e uma canção que transforme o momento.

Paula Belmino

*Foto da Alice "Branca de Neve " na revista Revista Educação Infantil

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Poesia da Saudade





Hoje amanheci poesia
Lágrima e saudade
Nostalgia.
Vi na estrada a paisagem, o sertão em estiagem
Cedo bem cedo, Deus tocou a mim, 
como passarinho cantando alegria
Paz na alma minha.
Passeei pela passado, nas lembranças da aurora da minha vida
na solidão da manhã , amordaçados os barulhos da cidade, 
Voei na imaginação sonhei estrelas, me fiz verão
Vi entre as árvores crescidas, eu menina a brincar
Vi em meus sonhos os amigos, um em especial lugar
Da escola as lembranças, o rir, o conversar, 
senti perto ainda seu cheiro, senti seu carinho, o largar horas a tantos planos de futuro
Saudade era em mim o lugar.
Hoje amanheci poesia e pelos livros me li, no caminho me perdi a lembrar
Saudades dos tempos de outrora
Dos amigos, da infância, de quem eu fui
Agradeci a Deus por tudo 
e as mãos agora debulham versos de gratidão
Pela saúde, pelas amizades, pelo cuidado em todo tempo.
Eu que era menina, hoje olho da janela da vida, as crianças a brincar
E aqui em palavras indizíveis registro o espetacular:
A saudade é espaço e tempo
É mais que sentimento, é voltar a quem e onde se amou
É viver de novo o sonho e a realidade deixar de chorar.
Saudade é vida que segue trazendo o tempo que se despediu pra não mais voltar.


Paula Belmino

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Um Guarda-chuva de Flor



Um inverno que deixa sinais
Vitais
Flores a desabrocharem e encantar 
O olhar
Ameniza a sequidão da vida
Da alma
Flores que brotam calma
Em pleno inverno
Ânsia de primavera chegar
De guarda-chuva protege a pele
E se pinta de flores belas e sorrisos
Um guarda-chuva de flor
Transparecer amor
Pra deixar que respingue cor
Que pinte a vida
Que perfume o dia
Em pleno inverno experimentar a nova estação
Primavera que se anuncia 
em delicadas pétalas de flor em botão
Um guarda-chuva a revelar flor
águas de inverno ocultar
Pra ser pura flor a alma
o pensamento e o olhar.

Paula Belmino

Esta é mais uma de nossa inspiração com look da Beijinho que vem com looks de meia malha e plush trazendo calor para os dias mais frios e colorindo a vida, com graça, ternura em delicadas estampas de natureza e animais, é a vida a se mostrar em toda sua plenitude.

Confere mais:







Para conhecer mais da marca Lanser

http://www.marcaslanser.com.br/

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Todas as fases da lua (dica de Livro)




Tenho fases como a lua
Fases de andar escondida
Fases de sair pela rua

Cecília Meireles

Quem não ama a lua, os mistérios da ciência, o observar o espaço e  aprender sobre ele através da literatura em aulas lúdicas e com experiências onde pode aflorar-se todos os aspectos cognitivos e afetivos, habilidades para as ciências, para a leitura, desenvolver o vocabulário a  oralidade, saber apresentar em público o que aprendeu e começar pelas crianças que são protagonistas do conhecimento.



Com o livro Todas as fases da lua de Fabiana Beghini e ilustrado por seu irmão Frederico Beghini pela Editora Miguilim iniciei o processo com minha Alice e depois de testado e aprovado levei para os alunos que deram show de esperteza, alegria em participar, aprenderam sobre o planeta, diferenciar estrela, astros e satélites, e de forma lúdica e gostosa fizeram as fases da lua usando bolachas recheadas. Tudo isso usando material concreto globo, lanterna, uma laranja para representar a lua e assim eles poderem conseguir compreender o movimento da terra, além da influência da lua sobre a natureza.
Brincaram de observar no fim d a tarde a lua e o que podem ver nela, pesquisaram sobre a lua, criaram seus textos  com escrita espontânea, recitaram poesia, e afim de levar o que aprenderam além dos quatro cantos da sala de aula convidamos a turma do 5º ano para assistir a explanação e dramatização sobre a lua pelas crianças e a exposição das "luas biscoitos" que fizeram com biscoito recheado e escrita dos nomes da lua, mais um incentivo á leitura e a escrita de maneira reflexiva e que depois ofereceram a um amigo visitante com um sorriso, com um abraço.
Aulas lúdicas e cheias de afeto pois a generosidade e o amor são maiores que aprender a ter e saber.





















E para se encantar aqui está o vídeo da interação das crianças:



Sobre o Livro:

SINOPSE

Um belo livro que desperta a curiosidade e o interesse pela observação das maravilhas do universo.

DADOS DO PRODUTO

título: TODAS AS FASES DA LUA
isbn: 9788574421513
idioma: Português
encadernação: Brochura
formato: 27 x 32
páginas: 40
coleção: UNIVERSO
ano de edição: 2014
edição: 1ª

autor: Fabiana Beghini Avelar

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Poemotes: Pra transformar o dia em poesia




Você sabe o que é Poemotes?
Pedacinhos de estrelas
São sentimentos á flor da pele
São palavras ao vento
Rimadas ou não
Poemas pequeninos
Versos claros ou intrínsecos na imagem que os acompanham

Poemotes é o novo livro de Sandra Ronca e trás essa proposta de incentivar a ler e a brincar com poesia mesmo quando como diz a autora a poesia não serve para nada, eu ja acho que mesmo um verso que para alguém não sirva nada sempre terá seu fundamento, uma brincadeira, um pensamento, uma evasão, um encantar-se com o belo da vida, com as pequenas coisas que ninguém presta atenção.
Como disse o poeta Manoel de Barros; " as coisas pequenas tem mais valor que as  grandes, um pedaço de pau, uma folha no chão, um prego , uma lata no lixo onde nascem flores. Na poesia tudo tem valor sentimental, encantador, incentivador de ideias e inspiração e foi isso que aconteceu aqui em casa ontem com o livro Poemotes de Sandra Ronca pela Editora Bambolê nossa parceira; Alice e Sophia leram, brincaram e puderam também criar poemotes, seus versinhos coloridos e que brincam com o livro









Olha só a interação dela que rendeu uma tarde de diversão
Pois Poemotes é isso um brincar com poesia até nascer o dia e a noite virar poesia.



Você sabe o que é Poemotes?
Um versinho pra brincar
Um poeminha a encantar
Uma mistura de sentimento e evasão
Um sonho brotado do chão
Uma flor a se abrir
Uma brincadeira com as palavras
Até a vida virar poesia
E a gente não se preocupar com mais nada!!!

Paula Belmino


Para saber mais do livro?



De uma caixa cheia de papel picado, que Sandra recebeu de uma amiga, nasceu o estranhamento e o primeiro verso. Depois, ao pintar algumas ilustrações livres, veio o estímulo para criar outros versos que brincam com as palavras, seus sons e significados, e que dão novos sentidos ao que é habitual. Assim nascia esse delicioso livro de poemas, que flerta ora com o humor, ora com a contemplação ou com a reflexão. Poemotes é o sétimo livro publicado de Sandra Ronca como escritora, de um total de 24 livros ilustrados.Na ilustração, a autora faz uso de técnicas diversas, cirandando entre acrílica, guache, aquarela, giz pastel seco e oleoso e colagens.
Autor (texto e ilustrações): Sandra Ronca
Temas: Poesia - Imaginação - Jogos de linguagem
Áreas de conhecimento: Língua Portuguesa
Páginas: 40
Formato: 17 x 25 cm
Editora: Bambolê
ISBN: 978-85-69470-04-5

Para comprar:

LIVRARIA BAMBOLÊ

domingo, 21 de agosto de 2016

Qual a cor de Agosto?







Agosto tem cor de liberdade,
de arco-íris no céu,
de pipa voando sobre árvores
verde esperança em tom pastel.
Agosto tem cor de amor,
a gosto, paixonite aguda que faz corar,
vermelho ternura,
ou cor de rosa pra sonhar.
Agosto tem cor de energia,
amarelo sol a brilhar,
nele a gente busca força
pra tudo poder superar.
Agosto tem cor de história
lendas, cultura, folclore
Mitos e ritos que o povo conta
E a gente guarda na memória.
Agosto tem todas as cores,
é feito caixinha de lápis,
a gente vai escolhendo a mais bonita,
a mais apropriada,
e assim pintar o mais belo quadro.
Em agosto qualquer cor que se ame
Com ações de paz e bondade
faz em nós verdadeira arte.

Paula Belmino


E essas imagens representam alguns de nossos momentos de agosto, cultura, arte, pinturas, leituras, lendas, brincadeira, conhecimento, passeios:


                                                                      Brincar com Amoeba


Alice ilustrando a Iara do livro de Cobra Norato de Eloí Bocheco e ilustração de Dane D'Angeli




Curtir o mar