quinta-feira, 19 de julho de 2018

O carrossel do tempo







O carrossel do tempo levando as crianças a adentrar o sonho, a fantasia, a compreender que a vida é questão de segundos, eu urgente amar e dedicar tempo ao outro, a si mesmo, à beleza de estar junto e fazer o bem.


Na história de hoje Álvaro personagem principal aprende com o pai o valor do trabalho e do brincar, de que criança precisa ser feliz, fantasia brincar, vivenciar e é lá no mirante das sete colinas, 


numa casa amarela onde ele aprende com seu pai os ensinamentos da natureza, o viajar nas estações saber estar junto no inverno, acolher, ser solidário, saber no verão afastar, regar, observar o que era verde e agora amarelado. 

Se no inverno tudo é nublado e cinza a gente pode mudar pelo pensamento, nos sentimentos nas brincadeiras, ser grato e pintar um novo cenário. No outono as folhas antes verdes e amareladas já definham pra dar lugar a novos frutos que passarão numa primavera florida se tivermos pela natureza o cuidado e bem ali no tempo certo se colherá o que se plantou.


Álvaro viaja no tempo, um carrossel de infinitas sensações e sentimentos, em sua rede na varanda assiste as tias a conversar da vida de cada vizinho, aprende que tudo muda com o vento, com o tempo inclusive até a cor das casas. 

E é na rede sonhando,Álvaro está sonhando dormindo ou acordado? 



O certo é que ele  viaja para a cidade das estações e lá conhecer o Sr Temporal e aprende uma bela lição:
Nem tudo tem fim, quem faz nossa história somos nós e podemos perder tempo ou guarda-lo dentro de nós por meio de memórias afetivas, lembranças, apegos e desapegos registrando em fotos, poemas histórias a mais linda vida que o tempo nos reserva.



E as crianças ouviram por mim a história, depois leram em pares, ilustraram com lápis de cor e canetinhas Cis , relacionaram a história com instrumentos para medir o tempo, e puderam relacionar os brinquedos criados por eles como: relógios, ampulhetas além de resenhar o livro inferindo informações, interpretando, fazendo suas interações pessoais com muita criatividade para voar no tempo para com Álvaro brincar e sonhar, aproveitando o carrossel do tempo que não para de girar.

Vejam só:




O livro O carrossel do Tempo é escrito por Luciano Pontes, ator, poeta e escritor e ilustrado por Denise Nascimento e editado pela Paulinas Editora nossa parceira
Para comprar o livro:


https://www.paulinas.org.br/loja/carrossel-do-tempo-o

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Casa das Palavras _Lagoa Nova







Quando se sonha poesia

Um sonho de poesia nasce na luz.

E o universo vai conspirando para o bem

de quem sonha

um mundo melhor

imerso na arte,

no alento da música suave
aos quatro ventos,
A cultura para a paz.
Um sonho de poesia
nasce na luz
e vira realidade quando sonhado com todos
os sentidos e sentimentos de amor
ai nasce, e alcança corações:
Terra fértil para germinar, crescer,
florescer e dar muitos frutos,
frutos de poesia
A poesia para a liberdade.

Paula Belmino



Foi assim a noite de ontem com o sonho realizado , desde o ano passado ansiando
E aconteceu
Casa das Palavras em Lagoa Nova com a presença de artistas 


Teve a  maravilhosa apresentação do grupo de flauta, a presença do poeta mirim Thiago Camilo, entre outros poetas da região, artistas, autoridades, professores, alunos e comunidade em geral




Grande atriz professora Dinha


Secretária de Educação Iralice Aciole


Além do maravilhoso teatro Caçuá de Mamulengos 



Alice cantou e tocou,flauta e violão




A festa foi comandada pela ilustre presença de Rodrigo Bico teve apresentação de abertura pelo grupo de flauta local, música e poema e depois ouvimos o maravilhoso poeta Poeta Antônio Francisco





Eu me emocionei muito quando soube que fui escolhida para madrinha da Casa das Palavras







Em breve mais novidades no blog e as sementinhas desse projeto.

Só um pedacinho do encantamento de Antonio Francisco




Obrigada Casa Das Palavras por confiar e dar crédito a esse meu sonho, um trabalho de formiguinha.
Obrigada a secretaria de Educação Iralice Aciole pela parceria
Organização do espaço com material físico à secretaria de Turismo, obras e desenvolvimento.
A toda sorte de contribuição que fez essa noite possível. Ela é só o começo de tudo!
.
Crédito das fotos : Carlos Henrique


Mais uns momentos registrados pela fotógrafa da Prefeitura com autoridades 







quinta-feira, 5 de julho de 2018

Pequenices (Dica de Livro)



Menina joga futebol
Claro!
Menina pode fazer tudo que os meninos podem fazer e faz bem feito.
Brincar não tem gênero, brincar é direito
Leitura de afeto, para brincar e refletir, para acender ideias e apagar diretrizes tortuosas de preconceito e discriminação.
Aprendendo a respeitar as diferenças, cada um como é em tudo junto ganhamos e aprendemos.
Este é o tema do debate em nossa sala de aula tendo o futebol como universo, e nos inspiramos no conto de Eliziane Nicolao
Menina joga futebol, com ilustrações de Marlowa Pompermayer Marin 
no livro: 

Pequenices pela Editora Inverso nossa parceira.

O livro conta a história de um menino que foi para uma festa de aniversário e lá se sentiu só pois em meio a tantos brinquedos não havia um menino para jogar futebol, até aparecer uma menina e mostrar a ele que ela também sabia jogar e muito bem.Além deste conto o livro traz outros sempre inspirados na infância nas aventuras e descobertas das crianças, e além desse há mais outros Pequenices 1, Pequenices 2, e 3







Após ler e conversarmos sobre empoderamento feminino, brincadeira em comum, direito de todos, as crianças reescreveram o conto, ilustraram e puderam assim mais que ler contextualizar, escrever, dar opinião e ter garantido o direito de se expressar, bem como ler e escrever para uma alfabetização no tempo certo, já que quando se escreve a criança pode expressar suas ideias, seu pensamento e ter liberdade de opinar e registrar o que aprendeu.

E ainda ficaram imensamente felizes com o vídeo que a autora nos enviou:


Para saber mais deste e outros livros da Eliziene Nicolao acesse o site da editora e adquira , vale muito a pena



quarta-feira, 4 de julho de 2018

Alma em Flor




Derramo-me feito orvalho nas flores
e permito a alma voar 
feito borboleta
a brincar nas manhãs douradas,
atenuando as dores,
silenciando os rumores de guerra ocultos
para ouvir apenas, o farfalhar das folhas
e as pétalas se abrindo.
Deixo-me germinar pelas borboletas
gerando vida nas entranhas.
E quando voo absoluta e serena,
 acho pouso na brisa, 
 casa nas flores, 
e só então, o perfume delas me banham o ego
e me chama,
noite e dia 
para  principiar a paz.

Paula Belmino




Essa é a minha inspiração para a 42ª  blogagem do Poetizando coma  Lourdes

A inspiração vem dessa imagem acima de uma jovem encantada por uma rosa, assim como devemos nós aprender a paz, a serenidade e o bom conviver nas relações com o outro pela natureza, que tanto nos ensina.

Deixo ainda um louvor sobre a rosa mais perfumada de nossa alma: Deus




Para participar também siga o blog, pegue a imagem sugerida pela Lourdes use a criatividade e fale sobre o que vê ou sente  ou invente , interaja.


https://fincandoraizes.blogspot.com/2018/06/poetizando-com-lourdes-n-42.html


domingo, 1 de julho de 2018

Nasceu Julho



Nasceu julho,
Esperanças,
Águas de chuva
Lavando a alma
e trazendo bonança.

Dias de vitória,
Dias de honra,
Estação mudou
E a vida teima em girar.

Nasceu julho
Nasce aqui novo amar.
Renovam-se as promessas
Pelos sonhos que se sonhou.

Há contentamento,
Há realização,
Doce é ver chegar 
O há tanto esperado.

Nasceu julho
E com ele bons tempos sobre nós virão
Renasce a esperança
Feito flor em botão.

Vivifica-se a cada manhã
Sonhos nunca sonhados sozinhos
Mas bem antes de existirem
no coração de Deus formados.

Em breve a água lava,
A chuva serôdia cai,
Faz brotar a semente.

Nasceu Julho
E os dias de sol brilharão novamente!

 Paula Belmino


sábado, 30 de junho de 2018

Anoitecer




E antes que anoiteça
quero vivenciar toda poesia 
brincar, conversar, 
viver a vida
ser amigo de borboletas 
falar como os passarinhos.
Antes que a tarde caía
e tudo aqui adormeça
quero sonhar os mais belos sonhos
e cantar para as crianças singelezas.
E assim depois de tudo realizar
viver o espanto e o fortuito 
e  quando anoitecer
serei livre alma a voar
serei pó de estrela,
quem sabe
um pássaro da lua
com asas leves de liberdade
sem se preocupar com o tempo
eternidade repleta de constelação.
Serei dia e noite paixão!

Paula Belmino


Esta é minha participação na 41ª Blogagem coletiva do Filosofando e Encantado do blog da Lourdes 


O tema escolhido nessa imagem acima que mostra crianças brincando no início da noite, e veio  a calhar com minha aula neste fim de semana com as crianças aprendendo sobre o tempo, a vivência poética, as relações entre a matemática e a geografia, tudo contextualizado sem perder o sentido, mas acima de tudo o prazer e o espanto para brincar com poesia.



O livro ABC dos abraços de Sérgio Caparrelli pela Editora Global chegou aqui nos trazendo espanto, sensações indescritíveis de prazer através da leitura.
O livro reúne poemas endereçados a protagonista Bia que aparece em cada um deles num diálogo entre natureza, fenômenos, expressões, sensações. A poesia viva para a gente brincar e sentir, expressar e aprender valores e refletir sobre nós mesmo s e os mistérios do mundo.



As crianças aqui leram o poema: Anoitecer, releram, recitaram, brincaram, interpretaram oralmente e deram suas explicações do porquê existe dia e noite usando o conhecimento cientifico, o tempo, as horas relembrando conceitos sobre geografia, como os movimentos da terra, inspirados no calendário, depois ilustraram usando lápis de cor e canetinhas CIS e puderam ir além do ler e escrever, mas guardar para si o sentimento expresso nos versos.

Vejam:



Deixo aqui um outro poema desse livro lindo  das crianças recitando e brincando com muita poesia viva.


Para participar da Blogagem coletiva Poetizando e Encantando siga o blog  http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com

Comente lá, pegue o selinho, poste e visite os amigos participantes



Para conhecer mais do Livro ABC dos Abraços



Autor (a) : Sérgio Capparelli
Ilustrações : Cris Eich
A criança gosta de fazer perguntas. Quer saber por que isto e por que aquilo. Pouco depois, junto ao porquê, ela pergunta sobre o como. Age assim estabelecendo relações com os objetos e com os seres vivos ao seu redor. Em ABC dos Abraços, essa criança é Bia. Ela aplica uma gramática pessoal para entender o mundo, com um ABC sem pé nem cabeça, em que o grande pode ser pequeno e o tombo uma razão a mais para se pôr de pé.
São 33 poemas; alguns bem curtinhos, outros curtos, alguns médios, outros maiores. Os temas apresentam-se diversos e tratados de forma coerente com o universo infantil – família, escola, animais, tempo, medos, atitudes, comportamento, sentimentos, entre outros. A menina Bia, presente em muitos versos, cria um elo afetivo com o leitor.