quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Fica Comigo




Fica comigo Senhor,
 a noite se faz escura.
Me falta um abraço
um amigo a ouvir
e conversar comigo.
Fica Senhor, não me deixe a sós
meu coração está temeroso
mas há muito afeto entre nós!
Seja a paz de minha mente em agonia
há tanta ansiedade em meu coração.
Fica comigo nesse vale profundo de lágrimas,
me dá a Tua mão! 
Fica comigo Senhor,
vela meu sono quando eu conseguir dormir
pesadelos sempre me sufocam
e há em mim um mal que não quer sair.
Contigo tudo é paz e bonança
e posso descansar em Ti,
Fica comigo Senhor
seja meu guarda dia e noite
e não me deixes só assim!
Fica comigo Senhor
até o sol da justiça sair.
Fica comigo em todo o tempo
contigo não sinto medo,
sou vencedor!
És todo meu bem e todo meu amor,
Fica comigo Senhor!

Paula Belmino

Ouçam a Alice e a Hadassa louvando esse louvor bem antigo: Divino companheiro.

Aproveitem e  se inscrevam em nosso canal!


domingo, 14 de janeiro de 2018

Gato Estelar




Em nossa casa havia um gato , nada comum aos gatos  que já conhecíamos. Esse amava pular, brincar, receber cafuné, até aqui tudo bem, pois todos os gatos são assim, mas esse era especial e se chamava Pitoco, um gatinho super  fofo e sapeca, metade branca com manchas amareladas quase laranja e um pêlo ouriçado e macio, com uma mancha acima dos olhos lembrando a ponta de uma estrela, e um par de asas ladeando o focinho. Era só você olhar  no seu olhar e se  podia ver o gatinho sapeca voando, e pra disfarçar que podia voar a qualquer hora, saía pulando feito macaco pela casa.
Para as crianças era uma festa brincar com ele, e sua brincadeira preferida era abraçar com as duas patas os braços das crianças e lutar, ele amava lutar com a garra-mão que lhe faziam, a mesma mão que dantes lhe acariciava, e também lhe fazia medo, só pra ver ele rosnar assim como quando estava se alimentando, se alguém o chamasse rosnava feito leão.
Esse gato chamado Pitoco dava sinais de ser de outro mundo, um país distante nas estrelas, país da mesma estrela pintada em sua pelagem, onde vivem outros gatos espertos, pois esse gato amava ouvir poesia. Era só alguém abrir um livro e começar recitar que ele pulava no sofá entre as pernas do leitor e o livro e ficava ali, querendo morder o livro, querendo receber carinho e  ouvir a poesia de forma melodiosa e afetiva.
Um dia, sem mais nem menos, de forma rápida alguém passou e roubou a vida de Pitoco, que nada disse, nem sequer um verso de dor, nem um poema triste, apenas acenou o rabinho e voou.

Agora, quando a gente olha o céu, pode ver entre as constelações, seu rabo macio de gato, feito pêndulo, afastando as estrelas e escrevendo com saudade a palavra: Amor!

E se a gente reparar bem nas noites de lua, poderá  ver o gato pular de uma estrela para outra, ou voar com suas asas macias para uma nova galáxia para brincar.
Só assim poder-se-á  compreender : Pitoco era um ser estrelar!

Paula Belmino




Hoje nosso domingo não é dos mais felizes, ontem à noite um triste fato nos roubou a alegria. Á noite vindo da igreja nosso gatinho brincava na calçada de minha mãe, enquanto esperávamos a chave para abrir a porta, pois ela esquecera, vim pra casa e deixei a Alice por lá com a tia, primos, quando o pai chega com ela vem aos prantos pois um carro atropelou nosso gatinho Pitoco que amava ouvir poesia, brincar, pular, arranhar e morder de mansinho see machucar as crianças. E essa semana mesmo mostrei ele aqui

Alice ficou aos prantos, e eu não consegui segurar a dor da tristeza, da saudade, da perda de um ser tão iluminado, nosso gato que só trazia alegrias.
Precisei conversar com Alice sobre a morte, a perda e li para ela o poema de Manuel Bandeira: Pardalzinho:


Pardalzinho

O pardalzinho nasceu livre.
Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa,
Água ,comida e carinhos.
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão ,
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou
No jardim; A alma ,essa voou
Para o céu dos passarinhos!


Manuel Bandeira




Após todo choro e conversa, ela me conta que ele apenas abanou o rabinho, e eu lhe disse: Com certeza Alice ele lhe deu até logo, pois queria dizer que era muito amado por você e viveu sua vida muito feliz, mas agora como o pardalzinho, Pitoco vai para o céu dos gatinhos e de lá vai ver você feliz com outros gatinhos que aparecerão na nossa casa.
Ela foi ao quarto escreveu na agenda dela e pedi para passar para um papel com um desenho, assim seria uma maneira de superar a dor, e pelo luto, compreender suas emoções e saber assim administrá-las, afinal como tudo na vida, passa!
Restará a saudade e as boas lembranças de nosso Pitoco que amava ouvir poesia

Esse vídeo foi nosso último poema lido para ele, que parece agora nos dizer, que como o gato preto no telhado da Poliana Barbosa ele também iria para um casa-telhado, o céu!




Vejam como Pitoco amava poesia: Era começar a ler e ele vinha ouvir


Olhem bem a farra de Pitoco com a poesia de Sônia Barros




Aproveitamos então a Blogagem coletiva da Lourdes no blog  com a inspiração numa imagem por semana, para o Poetizando e  Encantando, com objetivo de criar, inspirar, interagir, poemar.

Hoje a imagem é essa de dois caminhos, ao fundo uma árvore vistosa e verde ladeada de flores violeta, na qual me inspiro e escrevo o que sinto:
Nosso Pitoco seguiu viagem em um caminho celeste, e agora sobre em árvores durante o dia, corre e brinca com flores violetas de beleza e perfume, e à noite se mostra nas estrelas a piscar e acenar com suas asas!





Participe também!

filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Vestida de Natureza





Despe-te das tuas asperezas,
os espinhos da  alma, retira-os um a um
e vista-te de natureza,
de primavera,  de  sorrisos,
de folhas molhadas de orvalho
para alimentar a tua vida seca, sem flor.
Livra-te de feridas e cicatrizes que sangram,
deixe-as para lá! Aformoseia o teu olhar.
 Uma semente caída em solo seco, com tuas lágrimas,
 logo, outra vez, germinará.
Despe-te de tua natureza morta
e de teus vãos anseios e
espera com paciência
as novas flores que haverão de brotar.
Assim, despida da amargura,
longe das tristezas e de todo o pesar,
serás  flor de formosura,
natureza a encantar.

(Paula Belmino)








Alice usa:

Sapatilha FSisters

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Encontro Precioso (Dica de Livro)




Encontro precioso de amor, de gerações, de cultura e herança;
Histórias que se entrelaçam com a da gente,  contos e receitas, costumes e tradições.

É sobre isso e toda arte de contar histórias, e de afeto que fala o novo livro de Maria Inez F. Pedroso, com ilustrações de Érika Rodrigues S. Duran: Encontro Precioso; O livro traz relatos sobre a cultura africana, comidas, costumes, canções, brinquedos, danças... Tudo contado pela personagem principal Dona Júlia uma senhora negra que tem muitas experiências e recebe Helena a filha de seus cuidadores sempre com alegria e afeto , transmitindo para ela valores culturais e contando belas histórias de seus ancestrais, de seus descendentes, negros.
 Um livro que traz à tona a valorização de nossa cultura e herança e mostra de forma terna a importância de nossos antepassados para a nossa própria existência.
Mãe Cicera Simoes amou o livro e já está lendo para as netas.
Mãe também é uma avó como a personagem principal Júlia que ama contar histórias de seu tempo. Essas travessias e interações com outras culturas nos alimentam e pelo conhecimento e tradição oral vamos tecendo nosso conhecimento com sabedoria e de forma significativa.


Maria Inêz é professora, pesquisadora, professora de arte, ativista popular e escritora. Tem mais de 10 livros publicados e Encontro Precioso é seu 13º livro, inspirado na cultura africana, e homenagem à uma senhora Dona Júlia uma centenária que tem muito a contar para a neta,no que se resume ai o Encontro Precioso, entre amigos, entre gerações.
O livro traz informações sobre a culinária, brinquedos como a  Abayomi que significa resistência e tem uma história de força e afeto, pois foi feita com pedaços de retalhos arrancados pelas próprias mãos das mães nos navios negreiras para trazer um afeto às crianças.



Quando um livro chega aqui prontamente já é logo lido por crianças e adultos, não necessariamente nessa ordem, pois os adultos leem para as crianças e as crianças também lê para adultos, outras crianças e até para os bichinhos de estimação.

Vovó Cicera Simoes lê para as netas: Encontro Precioso de Maria Inez Flores Maria Inez F. Pedroso com ilustrações de Érica Rodrigues S. Duran
Um livro que retrata a vida de Dona Júlia, uma senhora sábia , educadora de natureza, cheia de cultura , com muita tradição oral, costumes africanos que vai mudar o olhar para a cultura negra. A vovó Júlia conta  histórias, receitas de chá, amenidades e assuntos reais e importantes da nossa cultura.
Um livro que promove o encontro com nossa cultura e nossa ancestralidade.


Um livro pra exercitar o respeito, a diversidade, a tolerância, e promover a paz, e a convivência feliz!

Vejam a interação da vovó Cicera com a neta 



Contatos

Fone: (55) 3511-6561 e (55) 9.9631-8490


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Leia para quem você ama


Dividir um livro é mais que prazer
é solidariedade, é empatia
ajudando o amigo a compreender o texto
a se alfabetizar e ler com prazer.
Assim é a Alice, ajudando a Hadassa que está lendo, mas ainda de maneira silabando. E a Alice que já conhece essa história  Tatu-Balão da Sônia Barros pela Aletria e também aprendeu a ler bem com ela, agora recita e ajuda a pequena a ganhar segurança entre as letras e também ler com magia e entusiasmo.
O gatinho Pitoco não para quieto, a não ser para ouvir uma história, e creio pra mim que o gênero preferido dele é como o nosso: a Poesia!
Olha ele ai todo feliz lendo o livro de Pablo Morenno: Um menino esquisito


Ouçam só:


segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Meu amor é estrela





Um dia me senti acolhida
em teus braços nus
e o corpo acalentado
num infinito de azul.
A alma anoitecia
e acordava completa a teu lado,
não era preciso esperança
era completo o ser
dois pares de mãos  se encontraram
numa noite de luar
e se entregaram num beijo voraz
de para sempre.
Um dia éramos um só
olhando as estrelas
sendo parte da constelação
sonhos, projetos
e poesia.
Mas a vida passa como a noite
a roda gira, e no mesmo movimento da terra
corpos celestes se distanciam
para talvez num outro tempo 
voltar a se encontrar
e ficarmos assim envolvidos pelo mesmo olhar.
Por agora fica apenas, aquela estrela cadente
nossa história a contar.

Paula Belmino


Essa é minha participação no Poetizando e Encantando do blog

http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/



A brincadeira tem como objetivo disseminar a criatividade , usando um tema para expressar-se por meio das palavras. Além de unir os amigos leitores e blogueiros num intuito de incentivar á escrita e a leitura.

Deixo o convite a quem queira participar também!






domingo, 7 de janeiro de 2018

Dia do Leitor






Ler é acumular prazeres à alma
e construir uma multidão de sentimentos.

Saber ler-se pela mão de quem escreve e se autoconhecer.
É enxergar mil caminhos a seguir e ter a oportunidade de abrir janelas e portas.

Ler é reinventar-se e ir à fundo na criatividade para refazer-se na vida.
O leitor é personagem principal do livro, sem ele a história não tem sentido
quando o leitor abre o livro ai a história inicia e pode tomar forma e realidade transformando, trazendo alento, reflexão e sorriso.



Feliz dia do leitor com boas leituras e algumas fotos de nossos ensaios com incentivo á leitura, sempre que fotografo ou convido as amigas de Alice para casa oferto-lhes livros e assim elas vão brincando e lendo, lendo com prazer, um momento de ver o livro como base para a amizade, o fortalecimento das relações, o afeto.

Deixo aqui também um vídeo da Alice lendo para Hadassa o livro : A marreca de Rebeca de José de Castro



Paula Belmino

Nas fotos Alice lê o livro de Neide Graça pela Editora Muiraquitã Alice no país dos seus sonhos. Que em breve eu trago a resenha aqui.
E Beatriz em trânsito de Eloí Bocheco

Sara e Sophia leem  Rangers a ordem dos arqueiros de Jonh Flanagan pela Editora Fundamento