sábado, 30 de novembro de 2013

Capítulos de um amor


Procurando resquícios do tempo, alienada num sentimento que nunca mudou, a gente vai vivendo em frangalhos tentando abandonar as lembranças que nunca se apagam, lembranças  que ficaram gravadas em nós.
Se busca encontrar um meio termo, uma explicação pra esse amor indolente que teima em viver dentro do peito, mesmo quando o tempo passou.

Folheando-se as  páginas da vida e  folhas da memória tentando achar uma virgula na história, para parecer  que nada mudou.Mas, o sonho voou, o sentimento ficou latente, pra um dos personagens deste sonho de amor, para quem sofre de saudade, nada, simplesmente nada nunca mudou.
Encontra-se aqui nas páginas amareladas do tempo, pois lá dentro, bem dentro do coração ferido de saudades a paixão nunca se foi.Só ali,  nos capítulos que se vê escondidos se encontram escritos, as memórias de um sentimento que nunca findou.
Entre poesias, livros dessa história o anjo que outrora era mocinho ou bandido, menino e príncipe só nos versos ficou.O tempo pra ele mudou. Ainda que a imagem continue igual, semideus natural, belo e singular, o anjo que  velou prazeres  em noites que ninguém viveu ou imaginou.Só em sonhos, pois já passou tantos anos e resolveu acordar.Voou, mudou, encontrou outro amor.Está lá, lindo, másculo, encantado, arrancando das gentes o aplauso, e quem terá sido o autor?
 Quem arrancara partes deste livro sagrado, desse romance imaculado, dessa história cheia de ardor? Pois para ele a vida continua lá fora, realidade virou. Para a amante, coitada, vive amargurada, escrava de um rio que se banhou.  Continua presa nos escritos, nos resquícios de um  livro, queimando nas chamas de uma paixão doente. Vive compadecidamente  um lindo sonho de amor.
Amor platônico, latente e insano, que inflama quando se pensa, lembrando dos anos que apenas amou...
Loucamente sonha e chama seu nome em pensamento, como se nada tivesse mudado lá dentro dela, mesmo que as rugas e as linhas do tempo provem que não é mais a bela, consta que o tempo passou. Ainda assim teima em  encontrar respostas e iludida  acredita que a beleza que cerca seu anjo são anos a fio de suas lágrimas de amor. Vive ele no céu da poesia e no coração de quem não pode gritar, só lágrimas alimentam sua alma e é por isso que a cada dia mais belo há de ficar.
A amante tristonha e sozinha, apenas lamenta, canta seu triste penar. Escreve linhas com sangue, suor e puros sentimentos para  que,quem sabe um dia, complete-se o livro de uma loucura que viveu, e sonha como que, tal como as pedras se encontram , também possa encontrar quem um dia foi seu.
Ali ela voltaria a ser a rainha, com lindos olhos, pele suave e beijo de mel, e o fim da história deste amor que não se explica seria o céu.Corpo a corpo acasalados, alma na alma intrínsecas e presas sem correntes, seriam dois seres completos, e o livro por certo seria um amor colossal. Um capítulo que não teve começo nem final. Uma história escrita no universo onde dois corações viveriam para serem amantes imortais.

Paula Belmino

3 comentários:

✿ chica disse...

Linda foto e lindo teu texto.ADOREI! beijos tudo de bom esse dezembro que iniciamos hoje!

chica

Ana Paula disse...

Que texto lindo e intenso!
Também amei a foto! Beijos

Toninho disse...

Uma perfeita e profunda relação da vida com todos os sentimentos que experimentamos e ou vivemos. Gostei Paula da maneira como o conduziu numa prosa onde o leitor é levado a viver as passagens e refletir.
Bela imagem simbolizando a alegria a superação, a vida.
Um carinhoso abraço amiga.
Bjo de paz e luz.