quarta-feira, 22 de março de 2017

Flautinha de Condão e o doce mundo da arte




Música e vida
Cultura e arte
Sentimentos e expressões
Cores da alma.

Liberdade e movimento

Imaginação

Poesia e canto
Acalanto ao coração

Contos encantados
Flautinha que conta histórias
Fluindo leveza
Em notas de paz

Acordes e nuances
Que abençoam a manhã
Junto com os passarinhos
Entoa-se uma bela canção

Que fala de vida
Canta versos em tom maior 
Flautinha que une as crianças em roda
e faz canção no amor.


Paula Belmino

Leitura precede tudo, e incentiva ainda mais a criança a imaginar, a desejar realizar, se inspirar. Os livros são ferramentas importantes para o sonho, para a fantasia. Aliando leitura antes de tudo, no meio de tudo, a qualquer tempo, em qualquer oportunidade. Hoje fomos ler para as crianças da aula de música, projeto de incentivo à arte e cultura para as crianças promovido pela casa da cultura em nossa cidade com apoio da Prefeitura municipal. As crianças estão aprendendo aula de flauta doce e  justamente aqui em casa tinha um livor lindo que desde ano passado estava esperando a oportunidade de aparecer nas aulas do professor Francisco Aprígio, para encantar as crianças. O livro Flautinha de condão conta a história de Tadeu um menino que anda pra cima e para baixo com sua flauta doce e encontra um grupo de músicos no coreto da praça, até que a fada Mainha lhe incentiva a estudar , ele com medo de não ser aceito por não saber tocar, só ouve e acompanha ao longe. Uma noite a flauta conversa com ele após o passe de mágica que fada Mainha faz, e assim a flauta vai trabalhando as  notas ate que    o menino se descobre participante e apto a aprender a tocar.
O livro é todo em forma de poesia, com rimas leves, com brincadeira e fantasia, numa proposta de incentivar à criança a aprender um instrumento, a viver em volta da música, afinal ela é vida e tem o poder de transformar, desenvolve inteligência múltiplas, habilidades e capacidades.
A música é direito da criança e por ela pode se expressar, criar, expor sentimentos e viajar na imaginação. 
O projeto Raízes da Serra azul do espaço cultural aqui em nossa cidade desenvolve projetos com música, dança,teatro e atividades de artesanato, uma iniciativa que estava faltando em nossa cidade, o de além de promover o contato da criança com a arte, tirar da ociosidade e garantir a elas um caminho de aprendizagem significativa e para a paz. Serão essas crianças os futuros poetas e músicos, leitores e artistas, e cada um pode ajudar no que dá, eu não sei nada de instrumento e quando a Alice entrou na aula me vi como ela na mesma idade,pois há anos atrás apareceu a primeira banda de música e poucos tinham a oportunidade, nesse projeto todos tem a vez, tem as mesmas chances, é só se matricular e chegar lá. O professor Francisco meu amigo, na mesma época de minha adolescência teve a oportunidade de tocar saxofone e lembro com amor e um pouco de tristeza que eu desejava tanto, as não tive a chance, um certo dia ele me deixou tirar uma foto com o sax, guardei a foto, o desejo e a memória afetiva, e hoje o sonho se passa para Alice que o vive por mim. dai se tira uma lição: Dar oportunidade ás crianças de sonharem e realizarem.
Eu sigo lendo e incentivando, pois por meio da leitura se transforma a realidade.





Um menino, com sua flauta amada, aprecia um coreto de flautistas, desejando um dia aprender a tocar. Eis que seu sonho pode se realizar pelas mãos de uma fada, que lhe mostra como conseguir dar os primeiros passos na música.
Estreando a Coleção Bambolendo, "Flautinha de Condão" traz uma história narrada em versos por uma doce flautinha, oferecendo aos pequenos leitores a oportunidade de aprender como extrair as primeiras notas desse popular instrumento, assim como aconteceu com o menino Tadeu. E hoje Tadeu veio tocar, cantar, contar sua história e da flautinha para os alunos da aula de flauta doce na casa da cultura

video



Para saber mais:




Coleção Bambolendo
Autor:
 
Marcio Mac Cord
Ilustrações: André Flauzino
Temas: Fantasia - Relação com a música
Páginas: 16
Formato: 20 x 20 cm
Editora: Bambolê
ISBN: 978-85-69470-02-1


terça-feira, 21 de março de 2017

Outono




Rompe o outono
A exaurir as cores da árvore
Pra poupar energia
Folhas caem ao chão
E pintam em tom marrom as tardes.
Chega o outono
Exalando o cheiro das frutas
Lá fora as crianças brincam
Renova-se a vida
Cirandando em cantiga.
Nos ninhos o canto dos passarinhos eclode
E se misturam à poesia do dia
Das crianças a subir nas árvores
Arvorezinhas que fiam a vida
E  mudam de cor.
Nasce o outono
Anuncia o renovo 
O renascer de um tempo bom.

Paula Belmino




Alice e Anaiara brincam na árvore que logo troca suas folhas nesse outono que chega
Um momento lindo de observar a vida e seus sinais, seu exemplo de trocar as vestes, e refazer-se sempre, envolvemos as crianças nesse clima de brincadeira e respeito á natureza para clicar nosso ensaio em parceria com a Dedeka, que está sempre atenta aos cuidados com o meio ambiente
Elas usam pijamas da coleção Arteiros





Para conhecer toda coleção  http://www.dedeka.com.br/



domingo, 19 de março de 2017

Catarina em Prosa e Verso (Dica de livro)









Uma escola cheia de amigos bichos,
Catarina a tartaruga,
Coelhildo coelho, e Pavonaldo o pavão
Tem preguiça apaixonada por poesia
E de versos que metem medo faz o  leão
A professora é a coruja
E incentiva os bichos a brincar
A ler a escrever,
Ritmo, métrica, versos livres criar
Um grupo foi criado, o poesiando
Um encontro para todos estudar
Deixar a inspiração fluir
E versos belos criar
O primeiro foi Catarina, a tartaruga:
Brincando com a letra O
Som , repetição e musicalidade
Nunca na poesia ninguém se sente só.
Preguicildo, a preguiça, mal para pra pensar
Mas ama o ritmo e aprende a ler e a leitura amar.E assim os bichos todos
Ratonilda, Leãonaldo,
Cobragilda, Gatonaldo
Interpretam os versos livres,
Com Catarina criam causos
Poemas bem feitos linha a linha
Os que parecem não ter sentido
mas mão tem razão a poesia,
É pra sentir, é pra brincar
É pra fazer-se livre, viajar
Entrar na roda das palavras,
Rima ou não rima, sensibilizar.

O grupo Poesiando foi um sucesso
Dia a dia inventando novos versos
Aprendendo um ano inteiro
Zebrassom, Tatugildo
Saponilda, Calopsildo
Fizeram versos de amor, falaram de natureza
Do que sentia o coração
O que aprenderam o ano inteiro
Que a poesia em tempo é algo bom
Resgata-se a cultura, ensina-se mil maneiras de se apresentar
Desenvolve o gosto pela leitura
É uma maneira maravilhosa de se expressar
A poesia é voar, viajar, e brincar.


Paula Belmino


Como não seria diferente fiz essa poesia para resumir o livro : Catarina em prosa e verso, um livro lindo que instiga a criatividade, a leitura e à escrita, brincando com as palavras e vários bichos que recebem nomes engraçados. Escrito por Silvia Delázari e  ilustrado  por Carol Juste, o livro tem como protagonista a tartaruga Catarina que reúne os amigos de sua escola e brinca de fazer poesia, todos saem ganhando por além de socializar conhecimentos, podem falar do que sentem, dos amores perdidos, do olhar ecológico, fazer até autorretrato, um ano inteiro de encontros, amizade e muita poesia na simplicidade da vida.
O livro enfoca a métrica, a sonoridade, a brincadeira com as palavras desafiando o leitor a criar também seus próprios versos.
Recebi o livro do projeto Alyssa e a magia da leitura  que assim como o Poesia do Bem dissemina leitura por onde passa e sai poetizando.




O livro chegou e já tá cumprindo sua missão de encantar e incentivar a leitura e a escrita por aqui, foi lido de mãe para filhos, em piquenique literário, em festa do pijama com apoio da empresa Dedeka, que sempre nos incentiva a brincar e desenvolve uma infância plena 









Para saber mais do livro:



A tartaruguinha Catarina se encantou com o verso, a rima, o ritmo... Ao longo da métrica, encontrou amigos que a ela se juntaram para ler e escrever poemas... No ir e vir das estrofes, a todos eles se revelou a poesia!
Venha, entre para esta história! Você também é convidado a poetizar!"


Dica da autora:

sábado, 18 de março de 2017

No meio da rua tem poesia










Se essa rua , se essa rua fosse minha
Eu plantava, eu plantava uma árvore 
Só pra ver, as crianças lerem livros
E debaixo dela todas alegres se sentarem.

Nessa rua eu semeava sementes
Música, encanto, arte e poesia
Seriam as pedras todas enfeitadas
Com amor, ternura e muita alegria.

Se essa rua, se essa rua fosse minha
Eu mandava, eu mandava adornar toda calçada
Com tapetes coloridos e macios e almofadas
E as crianças leriam livros em belas almofadas.

Nessa rua, nessa rua mora um sonho
Dentro dele uma semente de amor
A poesia da vida se mistura
E nos livros desabrocham feito flor.


Que se essa rua fosse minha
Todo dia se contava uma história
Adornada a rua  toda de cantigas
As crianças cirandavam guardando afeto na memória!

Paula Belmino

Essa foi nossa ação literária no meio da rua, na rua de minha mãe, na calçada da vizinha, com amigos e primos, e os livros recebidos do projeto RoMaria de livros, editoras parceiras e escritores que acreditam nesse meu trabalho de incentivo á poesia.
Quisera que a poesia morasse assim em toda rua!






Uma leiturinha em voz alta, porque é preciso ler para quem se ama:


sexta-feira, 17 de março de 2017

Super Estrelas





Estrelinha, estrelinha
A ti faço um pedido:
Que seja o amor em todos corações
Perfumando o mundo
Feito flor que adorna e enfeita
Com esse doce sentimento profundo.

Que a paz reine em todos
Se faça amizade real
Estrelinha, estrelinha 
Meu pedido é verdadeiro
Traz sobre todos a paz mundial!

Que as crianças brinquem mais
Tenham seus direitos garantidos
Pão, água, lar e educação
Afeto repartido
Pais responsáveis que cuidam com zelo
Estrelinha, estrelinha
Que seja feliz o mundo inteiro!

Que haja mais poesia
Um mundo repleto de histórias
Livros,arte ,música
Coisas boas pra se guardar na memória
Estrelinha, estrelinha
Que toda criança seja amada
Esperança e fé nos corações
Um mundo cheio de diversão.


Paula Belmino

Com esta poesia inspirada nas estrelas nessa coleção da Look Jeans que tem a temática Pop Star, fiz essa poesia com desejo de que toda criança tenha seus direitos garantidos num mundo com mais amor e menos guerra, que elas brilhem onde for, em casa, na escola, na rua, com paz , menos violência e cheios de alegria para contar um futuro de boas memórias.




Sobre a coleção



Os anos passam e a cada ano surgem novas gerações de crianças com hábitos, comportamentos, estilos, desejos e interesses que se renovam constantemente.

Acompanhando todas essas mudanças e tendências, a LOOK JEANS apresenta sua nova coleção Outono Inverno 2017, onde a grande aposta é a exploração de temas ligados ao universo lúdico infantil, acompanhado de uma visão moderna e criativa.

Com temas focados nas expressões de AMOR, na inspiração que vem do ESPAÇO e das ESTRELAS foram criados padrões lúdicos divertidos, incentivando a criatividade.

Dentro desse contexto lúdico, o jeanswear destaca-se de forma marcante através de lavagens diferenciadas, onde podemos observar grande contraste de tonalidades sugerindo um efeito artesanal na criação de calças, camisas, saias, jaquetas, vestidos e macacões.



Para conferir tudo:

quarta-feira, 15 de março de 2017

Qual tipo de escola queremos?




Hoje se comemora o dia da escola.
Que tipo de escola queremos para nossos filhos?
Apenas uma que trabalhe conceitos de forma pragmática? Que produza pessoas capazes de realizar , ou idealizar?
Crianças aptas a vencer na vida, a ser alguém?
Ou uma escola mais humana que desenvolva habilidades e capacidades de se relacionar melhor com os outros, que ame a leitura e por meio da literatura se tornem mais humanas com inteligência psicoemocional e com capacidade para se relacionar melhor com os outros e com o meio ambiente, respeitando as pessoas e os animais, sendo capaz de ser solidário e generoso.
Queremos uma escola que dedique seu tempo a preparar para a cidadania, e para  semear sementes de paz num mundo competitivo e cheio de ódio, fome, guerras e tanta injustiça.
Queremos uma escola dinâmica, com arte, música, professores em contínua formação e autoavaliação que desenvolvam seu trabalho com amor, mas que sejam bem pagos e valorizados.
Queremos uma escola de boa estrutura que ampliem a visão das crianças, que dê a elas mais tempo para brincar e aprender brincando, uma escola colorida com direito à viajar na imaginação
Queremos uma escola com mais poesia para se divertir, cantar, sorrir, curar feridas, falar do mundo e sentir o mundo todo dentro de si
Queremos uma escola que inclua de verdade, e não apenas socialize as crianças com deficiências, mas oportunizem a elas as mesmas chances de aprender a ler, escrever, contar, sonhar, realizar. Uma escola com valores intrínsecos de amizade, justiça e amor.
Queremos uma escola que ensine conceitos por meio de experimentações e observações, in loco, com aulas-passeio, em meio à natureza, uma escola fora das quatro paredes, que viaje a pé e em tapete voador por meio dos livros, uma escola que instiga a busca pela ciência, tornando as crianças cientistas
Queremos uma escola com boa alimentação, que não precise de recreio para as crianças correrem e se divertirem, mas que todas as aulas garantam o enfoque no esporte e no desenvolvimento físico, e psicológico.
Uma escola com dinamismo  em todas  as aulas, lúdicas e significativas partindo do que o que a criança já sabe para ir além muito mais, aguçando a curiosidade, e a pesquisa.
Queremos uma escola que incentive a criança a se debruçar nos livros, não somente para decorá-los, ou compreender procedimentos e conceitos, mas para transformar a própria realidade, apta a fazer a mudança das atitudes, e garantindo a leitura fluente e eficaz que cura, sara, molda, surte efeito e é caminho de luz.
Uma escola de futuro para todos!

Paula Belmino

As fotos acima são de minhas aulas ano passado com o livro Medo do escuro de Ivone Assis pela Assis Editora e saiu na revista Letrilha
Leiam na íntegra











terça-feira, 14 de março de 2017

14 de março -Dia da Poesia


Dessa poesia que me assombra e murmura canção
As árvores, o vento das folhas a fazer sinfonia
O canto de amor das rolinhas tecendo a manhã
Sou amante dessa poesia vã
Que não tem apego, não tem limites
Nem tempo, apenas destino certo... o encantamento.

Nessa poesia de deslumbramento, 
da criança a sorrir, de uma mãe a abraçar o filho
das cantigas de rodas nas praças, 
brinquedos e brincadeiras , o colo de avó
a contar histórias e a cantar versos livres e reais
sou plenamente cativa a desse cais... o amor.

A poesia que alimenta a alma e o corpo
atavia e enfeita de sonhos
faz viajar, sonhar, inspira canções de paz
Uma poesia leve que abre os muitos sentimentos
Cura feridas, é doce no âmago a tristeza intrínseca 
Sou dela discípula... Essa poesia que edifica.

Da poesia que canta aos quatro ventos
É felicidade, juramento, é voz aos aflitos, 
Poesia luz na escuridão
Abre as portas, desfaz o medo, conta segredos
Tece multiformes sentidos dentro do ser
Poesia minha paixão... fôlego de vida 
Esse sonho a se escrever.


Paula Belmino

Escritor Rubem Alves é homenageado na nova temporada do projeto Como nasce um livro?


Projeto, que conduz os visitantes pelas etapas de produção de um livro, apresenta vida e obra de educador
Lido por milhares de pessoas, autor de mais de 140 títulos, um dos mais importantes educadores do Brasil, Rubem Alves, é o grande homenageado da temporada 2017 do Como nasce um livro?. Um dos destinos pedagógicos mais visitados da região, por meio de seu projeto de incentivo à leitura e à escrita, a Editora Gráfica Adonis abre suas portas para apresentar aos visitantes as etapas e profissionais envolvidos na produção de um livro, ao mesmo tempo que oferece uma viagem pela vida e obra do escritor mineiro.

A 12ª temporada do projeto Como nasce um livro? apresenta aos visitantes diversas novidades. Sai Londres, cenário da antiga temporada, e entra em cena Minas Gerais, onde Rubem passou sua infância. A evolução da escrita e da arte gráfica, etapas e processos de produção do livro são sempre conduzidos pelas histórias, frases e curiosidades de um escritor que era psicanalista, teólogo, cronista, mas como muito bem se definia, era um contador de histórias.

O contador de histórias Rubem Alves é apresentado às crianças juntamente com sua obra A menina e o pássaro encantado, escrita por ele, em 1984, para a filha Raquel, que hoje está à frente do Instituto Rubem Alves. “O projeto Como nasce um livro?, vem de forma a ampliar as possibilidades do Instituto de disseminar e eternizar o legado do escritor e educador. Ele, que defendia tanto o prazer pela leitura quanto o valor das brincadeiras, não poderia estar melhor representado. Como filha, e presidente do Instituto Rubem Alves, me sinto, ao mesmo tempo, grata e realizada”, afirma Raquel Alves.

Objetos pessoais do escritor, curiosidades sobre sua vida e obra – que inclui a distribuição de biscoitos de polvilho, um dos sabores prediletos do educador -,e um espaço dedicado ao Instituto Rubem Alves, com livros de educação e canecas, que podem ser adquiridas pelos visitantes, são frutos da parceria da Editora Adonis com o Instituto.

O percurso pelo parque gráfico e editorial Adonis tem 3 horas de duração e abrange todos os setores de produção de um livro. O projeto atende crianças de 6 a 12 anos e conta com monitores e contadores de histórias preparados para recepção dos visitantes. Ao final da visita, os alunos levam para casa 2 livros, um deles assinado com carinho todo especial pelo vô Rubem Alves, e um convite: escrever sua história e encaminhá-la para editora. Os 50 textos selecionados são publicados na coletânea Letra Viva, que este ano está em sua 7ª edição.

A menina e o pássaro encantado

A história mais famosa e difundida de Rubem Alves ganha agora nova edição pelo selo Adonis. A menina e o pássaro encantado completa 33 anos e marca o início de uma série de livros infantis do escritor que serão agora publicadas pela editora americanense. Lida por milhares de leitores e editada diversas vezes, a nova edição tem ilustrações de Bruna Pellegrina, que é neta do escritor. Escrita em 1984 e dedicada à Raquel Alves, sua filha, Rubem escreveu uma história que fala da separação, da ausência e de como seria bom se não houvesse despedidas. Mas é a saudade que prepara o abraço de amor na volta daquele a quem se ama. O lançamento da obra acontece dia 18 de março, às 16h, na Saraiva Mega Store, no Iguatemi Campinas.


Sobre o projeto:


Há 12 anos, a Gráfica e Editora Adonis abre suas portas para visitação de escolas. O resultado é um dos mais eficientes projetos de incentivo à leitura e à escrita, o Como nasce um livro?.

Inovando o ensino aprendizagem para além da sala de aula, os visitantes são conduzidos por um circuito em que, ao mesmo tempo que acompanham de perto o processo de elaboração de um livro, se deparam com curiosas informações sobre a evolução da escrita e da arte gráfica.
Ambientado com o mais famoso e difundido livro de Rubem Alves, A menina e o pássaro encantado, a 12ª temporada do projeto Como nasce um livro? apresenta uma viagem sobre as curiosidades do mundo gráfico e editorial e a vida e obra do escritor Rubem Alves.

O percurso pelo parque gráfico e editorial Adonis tem 3 horas de duração e abrange todos os setores de produção de um livro, além de um acervo do Instituto Rubem Alves com objetos pessoais do escritor. Ao final da visita, os alunos levam para casa 2 livros, um deles assinado por Rubem Alves.

Informações importantes:
- Exclusivo para escolas;

- Indicado para crianças de 6 a 12 anos;

- Capacidade de até 80 crianças por turmas durante o passeio;

- Monitores e contadores de histórias experientes e treinados para o atendimento;

- Os participantes recebem cartas-respostas para escreverem suas histórias e enviarem posteriormente à Editora Adonis. As selecionadas compõem a obra Letra Viva, publicada anualmente.

Informações:


Agendamento: 19 3471.5608

atendimento@editoraadonis.com.br


segunda-feira, 13 de março de 2017

Meu Pé de Poesia






Meu pé de poesia
Onde sou pássaro no ninho
Flor adormecida
Desabrochando carinho
Fruto doce ao paladar
Alimentando a alma
Meu pé de poesia
Ar fresco
Sombra e calma.
Plantada nele ainda viajo
Sou borboleta nas flores
Perfumando sentimentos bons
Sutil natureza me invade.
Meu pé de poesia
Aqui nasço e renasço
Com raízes fortes que sustentam toda vida
Lendo e embalando-se em versos de paz
Meu pé de poesia me satisfaz
É doçura, encanto, natural de estado
Infância, livro e natureza
Meu pé de poesia é semente boa semeada
Árvore de ternura
Plantada na alma.

Paula Belmino


Nosso domingo foi assim com a presença da família e parentes vindos da capital, aqui as crianças subiram nas arvores, pegaram frutas do pé, correram e pularam. Quando descobriram como era fácil ficar sob à sombra do cajueiro acomodadas os livros vieram lhe inspirar, rendeu boas conversas, sorrisos e amabilidade. Um pé de cajueiro transformado em poesia e um mundo repleto de felicidade.

Vejam só:

Enzo e a mamãe Márcia leem Lindo de se olhar de Cecília Botana pela Editora Bamboblê


Fernanda encantada com o livro Esconde-esconde de maria Helena Zancan Frantz que nos presenteou com os livros de sua autoria para nossas ações literárias e claro não podia ficar de fora!


Clara lê : Meu reino por um cavalo de Ana Maria Machado, esse chegou aqui em casa pelo projeto RoMaria de Livros e uso para nossas ações


Hadassa e Ismênia leem : Dandi e a árvore palavreira de Ana Cristina de Melo pela parceria linda da Editora Bambolê




As crianças nas fotos iniciais leem outros livros chegados aqui pelas parceiras editoras e escritores que nos apoiam.

Vejam um momento de plantar poesia pela Alice aproveitem e se inscrevam em nosso canal :