domingo, 26 de março de 2017

Tetéia, a aranha





A aranha Teteia se balança
e trança  sua teia
com  fios finos de lã no alto da telha
Tricotando  com amor o ninho de sua teia
pra filha Téia que vai nascer.
E lá do alto do telhado sobe e desce
o dia inteiro
Não se cansa de trabalhar.
Não dá na telha que é tarde
e é  preciso descansar.
Tetéia é feliz assim
A subir, descer, a tecer fios de prata
Pra filha Téia ainda no ovinho.
Noite e dia tontinha de trançar sua teia
Tetéia conta, tim-tim por tim-tim, o tempo
logo nasce Téia e serão duas aranhinhas  tontas
De tanto subir e descer do telhado
atravessando a noite
A tricotar.

Paula Belmino





Poema inspirado na aranha que tanto amamos encontra no museu catavento em nossa viagem de férias a SP, o museu tem muitas atrações sobre seres vivos, corpo humano, borboletário, física, arte, para aprender brincando, experimentando. O nome Téia vem da memória afetiva do poema Téia de Eloí Bocheco que entrou em meu coração e nos das crianças de minha escola:



Vale muito a pena visitar


3 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Que ternura de poema
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Toninho disse...

Que lindo passeio que faz inspirar uma linda poesia que os baixinhos vão adorar a Tetéia.
Belas imagens Paula.
Abraços

✿ chica disse...

Adorei tua aranha (apesar de ter medo delas,rs0...Tetéia é linda e como tua poesia! bjs, chica