terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Revistas, Orelhas e Sonhos






Antes de ser mãe eu passava os dias a ler e colecionar revistas, que me fazia sonhar em ter na minha casa uma criança pra me chamar de mamãe.
Dispunha as revistas em pilhas, organizadas, lidas com cuidado pra não amassar e as mantinha capa a capa tal qual chegavam da banca.
Foram anos de sonhos, de pilhas e revistas, ia janeiro, chegava dezembro e meu sonhos ali em cima da estante ou nas caixas dos desejos.Em cada revista, amor, proteção, cuidado aos primeiros dias de recém-nascido, chás, mamadeiras, aleitamento, dúvidas e conceitos pra qualquer mulher que deseja e é mãe.E eu ali por dentro me corroendo, me consternando, ansiando ferozmente ver o sonho pular das páginas de revista e fazer morada no meu quarto e coração.
Nas noites em que estávamos sozinhos eu e meu marido deitávamos cedo e ficávamos na cama lendo as tais revistas, até o sono nos dominar e meus sonhos de ser mãe repousarem sob a cama em meio a páginas abertas.
Foi assim como um passe de mágica em meio a contos de fadas que descobri que estava grávida, agora a leitura se fazia mais prazerosa, e nela eu escolhia a cor dos meus sonhos, rosa ou azul? Vestido ou macaquinho? Cesárea ou normal?
Nove meses de alegria a espera da linda menina que se descobrira fascinante de pernas cruzadas e boca sonolenta no primeiro ultra-som morfológica.
Ela veio linda, contente, meiga, e carinhosa, e minhas pilhas de revistas deixaram de ser uma coleção de sonhos, tomaram o lugar de guia para as cólicas, moda, aconselhamento, e estavam sempre a mão pra esclarecer as dúvidas de uma nova mãe coruja.Porém elas deixaram de ser alinhadas, organizadas capa a capa tal como compradas, a menina arteira começou a querer folheá-las, sem querer fez orelhas, rasgou aqui e ali de uma folha qualquer.
Hoje observo a coleção incompleta, com orelhas quase em todas elas, mas de fato vejo a magia das páginas saltarem pra o mundo de verdade, bebês belos desenhados se tornou real em minha vida.E as orelhas só me dizem que o sonho realizado é de carne e paixão, curiosidade e querência, ansiedade e contemplação.
.Não faz falta uma revista se está todo o sonho disposto ao meu lado.
Orelhas nas revistas me fazem sempre ver é criança crescendo querendo aprender.


Paula Belmino

2 comentários:

Chica disse...

As orelhas nas revistas são as marquinhas do amor na tua casa...Lindo!um beijo,chica

Gleidston dias disse...

Tudo muito lindo, transpira muito amor nas suas vivencias parabens.

otimo dia pra voce.

bjcsss