quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sobejo




Eu dançava

Feito bailarina

Voava

... Sonhava

Amava e amo

Amo um amor insano

Que está longe de mim.

Eu era livre e não sabia

Buscava a dor que eu não tinha

E hoje estou infeliz assim.

Quisera ser um anjo em asas leves

Ao céu bater de leve

E poder ser abençoada

Entregue a mim uma vitória anunciada

Um amor que eu perdi.

Eu dançava

Eu pulava

Eu corria

Era tudo livre

Era poesia

E um dia a morte quis me matar

Prendeu meus pés

Minha alma entristeceu

Meu amor se perdeu

O tempo o roubou de mim

Eu sonhava

Eu amava

Hoje sou apenas o sobejo de um dia feliz que nasceu!



Paula Belmino

Um comentário:

Minéia Pacheco disse...

Olá Amiga,

Sinto tristeza nessa bela poesia... Beijinhos no seu coração!

Fique em paz!