quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Aprender nas miudezas




Aprender nas miudezas
Nas entrelinhas da vida
Saber ouvir o som da natureza
O que diz o coração
Olhar com respeito bichos e plantas

das coisas inúteis saber tirar proveito

Aprender com a experimentação
E viver a verdadeira poesia
Que flui no brincar
No sorriso
No amar árvores e passarinhos
E aprender pra vida toda
Ser feliz nas coisas simples
Nisso está o amor, a paz, o prazer!


Paula Belmino

Pé de poesia confeccionado na aula de leitura professora e bibliotecária maria de Lourdes

Do aprender a amar a natureza sentindo-a bem perto, aprendendo cheiros e cores, a observar flores e pássaros, a cantar poesia embaixo das árvores e delas tirar lições especiais de paz, de lar, de aninhado amor em forma de casa e alimento doado aos pássaros. O aprender a amar as espécies todas em sua totalidade, vendo no que nada é a multidão de vida e nos seres que parecem desimportantes a grande importância pra cadeia alimentar, para o ciclo da estação, da natureza, e manutenção da vida. Desde as abelhas, às pequenas formigas, os sapos e rãs que coaxam no rio, o guardar a vida na palma da mão, em respeito a sustentabilidade e equilíbrio ecológico.
 Foi assim que aulas foram planejadas e executadas com imenso prazer há semanas atrás no nosso projeto literário que teria a culminância a mostra cultural das atividades com as produções literárias e artísticas das crianças na escola aberta á comunidade e aos pais, cujo poeta Manoel de Barros seria homenageado pelo seu centenário. As leituras dos livros : Exercícios de ser criança e antologia Meu quintal é maior do que o mundo foram usado por toda escola, onde as turmas puderam ler, refletir, e produzir ações de cidadania e ecologia, como um cuidado com a água, um olhar mais atento aos seres vegetais e animais da escola, o alimentar um mascote gatinho que na escola veio morar, enfim, das muitas leituras o viver a poesia na sua totalidade, na sua essência, sem a didática apenas de tentar entender o que o poeta queria dizer com tal pensamento, mas sentir no íntimo o amor pela vida e deixar a poesia fluir em cada um.
A inclusão, o respeito ao diferente, as variadas formas de ver o mundo foram trabalhadas de maneira lúdica brincando, escrevendo e  lendo, aprendendo palavras novas e enriquecendo o vocabulário do leitor.
Aulas com música , a Alice sempre presente a tocar violão e  ler para as crianças e também aprendendo e brincando com elas




Foram aulas motivadoras com a participação de todos os professores, coordenadores e bibliotecária, onde a gente aprendeu a escrever de formas diferentes sem usar papel, tal como o menino que carregava água na peneira escrever em peneiras sentimentos e palavras que o o autor citara e as crianças foram apreendendo em seus dizeres. Eles leram, brincaram, usaram guache para pintar pedras, tal como o poeta brincava com as coisas miúdas do chão, e transformar o que nada era em algo que enfeitaria, segurava uma porta, um peso de papel, algo útil e que lhe arrancasse a ideia de que tudo tem serventia e a poesia vive ali. 





Outro livro chegou aqui , o Menino do mato com frases, pensamentos e trouxe ainda mais entrosamento das crianças com a obra do autor, as crianças puderam  recitar , memorizar, e com as frases e palavras escreveram em pedaços de retalho que transformamos numa colcha pra nossa Poesia em retalhos

Os alunos dramatizaram, encenaram, dançaram e  cantaram as poesias musicadas pelo grupo Crianceiras e ao resumo de todas as atividades foram expostas na escola e aberta ao público para que pudesse prestigiar o encantamento da obra de Manoel de Barros e também para os familiares verem uma parte das atividades realizadas durante o ano letivo.





 Alunos do 5º ano apresentando a biografia e a linha de tempo do autor Manoel de barros 
com a caricatura pelo artista da terra Eliabe Alves com a professora de matemática Elizandra

Atividades de artes professora Valderlena turma do 4º ano



               Alunas do 3º e 4º ano apresentação música e movimento pelo prof Odailtom em Ed Física

Todas as turmas da escola puderam aprender um pouco do grande legado que Manoel nos deixou e produzir arte e suas próprias interações, e os professores por área trabalharam assuntos científicos, artes, língua portuguesa e matemática, conteúdos como linha de tempo, números, reciclagem, releitura de obra, reescrita, mas sempre sem deixar que a beleza da poesia fosse sentida e introduzida no íntimo de cada criança.
De uma coisa estamos certos, algo por mais pequeno ficou no coração e na memória deles, e nessa miudeza sementes de esperança foram plantadas e darão frutos.

Alguns vídeos da nossa apresentação , assistam e se inscrevam em nosso canal no youtube







3 comentários:

Bolhinhas de Sabão para Maria disse...

Oi Paula e Alice, com certeza muitas sementinhas foram plantadas. Super importante esse trabalho de simplicidade, de conhecimento de naturalidade. E ao meu ver devem ser implantados sempre na vida da criança, para que ela cresça de forma mais natural e real.

Parabéns pelo lindo trabalho.. e conhecer Manoel de Barros é excelente. Vou procurar um livro dele pra Maria..

Beijos grandes

Tê e Maria ♥

Renata disse...

A natureza é a escola mais linda e eficaz. Deveríamos ter mais aulas ao ar livre para as crianças na escola. Lindo o trabalho de vocês! Alice sempre parceira, maravilhosa!! Beijo! Renata e Laura

Felisberto N. Junior disse...

Olá Paula , sim...com certeza, sementes de esperança foram plantadas e darão frutos brevemente ...é de uma fundamental importância que se pense sempre em projetos assim, onde até o ambiente é facilitador e propício, lúdico, permitindo à criança ser criança, usando seu corpo, seus movimentos, seus sentidos e sua intuição para dramatizar, brincar, escrever, ler, refletir, sentir no íntimo o amor pela vida e deixar a poesia fluir em cada um. E claro, a bela influência de um poeta como Manoel de Barros - e seu legado- na formação dos seres em devir...parabéns pela bela iniciativa e postagem, em si!
Belo final de semana,belos dias,abraços!