domingo, 12 de novembro de 2017

Buriti Grande






Um livro pra falar de infância, dos hábitos cultivados na roça, de histórias guardadas na memória de nosso afeto, o brincar de pé no chão, o andar pelo campo, subir em árvore, comer fruto do pé, tomar banho no rio, e contar e ouvir histórias em volta da fogueira, brincando com os bichinhos da noite como grilos e vaga-lumes. Assim é essa história do livro Buriti Grande narrada em primeira pessoa por Marismar Borém que conta detalhes afetuosos de sua infância vivida na roça.
Um menina serelepe de pé no chão, cabelos despenteados que usa vestido vermelho florido e acorda cedo com o cantar do galo e com o sol que lhe invade a janela azul de seu quarto.
A rotina se segue em ir ao rio com sua mãe lavar roupa, esperar quarar nas pedras, e poder pular da ponte para tomar banho do rio ou procurar pequenas pedras no antigo garimpo.
Tudo é motivo de festa, as jabuticabeiras com frutas pretinhas, o brincar com os peixes ainda girinos escorregadios da mão.
À boca da noite o banho de bacia com água morna esquentada no fogão á lenha, e ir pra fora brincar de ouvir histórias, procurar vaga-lumes com tição de lenha, uma festa linda.
O livro foi lido por mim uma vez, e pudemos comparar nossa realidade com a história, aqui a maioria das crianças convivem na roça e tem essa realidade bem perto. Só pudemos ver as diferenças do clima, o rio, que por aqui não existe, poucos açudes, mas que as crianças não tem essa rotina de tomar banho.
Além da leitura afetiva pudemos estudar sobre onde se passa essa região do país e assim contextualizar sobre relevo, clima usando-se da geografia para aprender mais de nosso Brasil. Assim como sobre a importância dos rios, da natureza, de aprendermos a respeitá-la e preservá-la. Após essa leitura e roda de conversa as crianças puderam ler em voz alta em quartetos , de acordo com a hipótese silábica em que se encontram e assim poder ajudar um ao outro a compreender o que ler, a desenvolver a fluência literária.
Após a leitura em que cada grupo falou sobre o que entendeu da história as crianças puderam reescrever como compreenderam e ilustraram








O desenho é uma das importantes linguagens da criança para se expressar e se aproximar da leitura, quanto mais desenha e melhora sua técnica essa atividade ajuda na coordenação motora fina, ajudando as crianças a melhorar sua letra, uma vez que no período de alfabetização algumas sentem dificuldades de usar a letra cursiva.
Quando desenha a criança também repertoria o pensamento voltando-se às cenas da história e assim pode compreender o que leu, memorizar, articular dando sequência lógica aos fatos.








Para saber mais do livro Buriti Grande


O texto narrado em primeira pessoa conta a história de uma menina e sua vida na fazenda, fazendo as crianças imaginarem e se aproximarem dessa vida simples do campo sentindo pela emoção cheiros e sabores de um lugar assim , voltado para a natureza e a magia do encantamento
Escrito por Marismar Borém e ilustrado por Lelis pela Editora Aletria


Título original: Buriti Grande
Autora: Marismar Borém
Ilustrações: Lelis
ISBN: 978-85-95260-016
44 páginas, 21 x 28 cm
2017, 1ª edição

4 comentários:

Elza Interaminense disse...

Amiga, parabéns pelo belo trabalha que realizas com as crianças. És uma professora maravilhosa que faz a diferença nesse BRASIL TÃO SOFRIDO. PARABÉNS!Grata pela visita, lhe esperando com sua bela participação. Bjus

Cidália Ferreira disse...

Um amor de postagem. Simplesmente Divino.

Beijinhos e um excelente semana

Renata disse...

Excelente resgate da verdadeira infância. Beijo! Renata e Laura

Toninho disse...

Paula lendo esta postagem quando fala da Rotina eu entrei na historia, pois esta infância é um espelho da minha num cantinho de Minas ao lado de um rio, onde via as lavadeira e quando uma roupa descia pelas águas , pulava nas águas para resgatar. da descida no capinzal sentado numa folha de coqueiro como um barco, o banho de bacia ou gamela, cuidar dos canteiros próximos da casa, criar girinos em pequenas latas. Ah eu viajei amiga.Um belo livro que por certo as crianças vão gostar e muitas ficarão curiosas para conhecer este tipo de vida.
Um abração Paula.
Bjs pra vocês.