terça-feira, 28 de abril de 2009

Longe dos olhos e perto do coração






Sinto que o amor sempre me deixa a sós
Talvez pra pensar em mim
Ou em nós?
Uma saudade me angustia
Essa perca de você
Essa lembrança doce
Longe do alcance de minha mão
Um silêncio...
Um vazio
Uma falta de você
E a dor no coração
Saudade de meus tantos amigos
Que se vão sem eu saber por que?
Não os amei até morrer?
Sinto que o amor me faz sofrer
Por que amo em demasia
Em teimosia
Em hálito de vida e ansiedade
Quero guardar comigo os amigos
Mesmo quando precisam ir
Tomar novos rumos de felicidade!
Mas e eu?
Fico aqui só?
O amor me deixa em dó!
E leva com ele os meus irmãos, pai e mãe, amigos,
E em mim fica a dor,
A saudade do que restou
O sussurro suave
O abraço da tarde
O beijo fresco das minhas manhãs
Mesmo não vendo o amigo sinto pertinho de mim
Mas a saudade a me consumir
Despedaça meu peito em lágrimas
O amor vai e vem
Mora aqui em mim e parece não ter morada.
Os amigos amantes de minha estrada
Vão, e levam comigo a minha alma.

Paula Belmino
*Esta poesia fiz ao sentir uma imensa saudade da amiga Bergilde

3 comentários:

Edna Lima disse...

Todos os que passam por nós, deixam um pouco de si e levam um pouco de nós. bjs

bergilde disse...

Paula, continuamos amigas sempre, apenas darei um tempinho fora da Com.Crescer,mas seu modo de esprimir os sentimentos é obra de arte,minha estima por suas poesias é enorme!

Anne Lieri disse...

Paulinha,como é doce e linda a amizade!Bela demais sua poesia!Abraços,