domingo, 13 de dezembro de 2009

Poesias de Amor

Desenganos do Amor


Sentimento de quase morte
Desse amor que corrói meu ser
Saudade latejante noite e dia
No coração que sofre pelo adeus
Notícias que não vem
Um beijo que sobejou
Carícias guardadas na palma da mão
Flores que murchou!

Sensação de abandono
Desse nosso amor que desmaiou
Nostalgia em versos dessa poesia
Nas lágrimas que instam em derramar
Encontro que não acontece
Paixão já a morrer
Abraços e deleites
Virou desejo desse querer!

Paula Belmino

4 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Paula, melancolia expressa em sensíveis versos... Obrigada pelo carinho da visita. Bj e uma ótima semana e resto de domingo.

Chica disse...

Lindos , mas tristes e desanimados teus versos! Tudo de bom pra ti e que o Natal seja maravilhoso,desde já!beijos,chica

Anne Lieri disse...

Paulinha,muito comovente sua poesia!É triste quando o amor não corresponde ás espectativas!Essa semana irei passar uns dias na praia,mas não vou deixar de te visitar!Bjs,

Barbie Girl disse...

Bom dia,
Estou participando de um projeto de generosidade, criado pela Kátia do Colcha e hoje dei início a postagem sobre o tema, veja se ficou legal e participe também!!

http://cantinhodabarbiegirl.blogspot.com/2009/12/feliz-olhar-novo-projeto-generosidade.html

beijos e uma bela semana!