segunda-feira, 27 de junho de 2011

Faz frio









Faz frio
Arremedio
Finjo dormir
Sinto o peito vazio

Quero seu calor para me cobrir
Aquecer minha alma no seu amor
E na sua boca me desenhar batom
Cobertor...

Faz frio
Quero o fio
A meada onde eu te perdi
E fiquei assim tão sozinha
Fria...

Geada em mim!

Faz frio...
Quero saber da gente
Dos dias quentes
Do que atiçava a mente
E deixava o corpo em chamas
Insanamente!

Faz frio
Solidão
Desde que você se foi então!

É frio...
Um rio
De lágrimas de um penar
Geleira a derramar
Paixão no coração frio de saudade
Ânsia e vontade
De tornar a vida colorida

Mas é frio
Rio
Ninho vazio
A dor doente
Geleira inconsequente
Nevou a gente.

E só restou o frio!


Paula Belmino












8 comentários:

Bruna Letícia disse...

que lindo! bjssss

Su disse...

Paula, apesar de toda a dor da poesia, é lindamente maravilhosa, escrita de maneira belíssima...

E a olhar a imagem da Alice, sua anjinha barroca... o frio se foi e senti um calor de amor...

Beijinhos no seu coração! Su.

Ana Paula disse...

Que linda a Alice está nesta foto! O olhar assim distante encaixando perfeitamente no seu poema. Abraços quentinhos!

Hotel Crônica disse...

"E na sua boca me desenhar batom"

Lindo de morrer!
Adorei,
Parabéns!!!

Hotel Crônica disse...

"E na sua boca me desenhar batom"

Lindo de morrer!
Parabéns!

Minéia Pacheco disse...

Olá Paula,

Já te falei que achei LINDÍSSIMA essa foto da Alice? ...Muito linda mesmo!...

Bela poesia, triste - como a Su falou - mas mesmo assim LINDA!!!

Beijão para você!!!

Anderson Tomio disse...

Paula,

Puro sentimento. Tirando o frio dessa estação, o inverno no coração é coisa que deve passar, a primavera logo vem perfumando o ar e o coração que se manteve e tem sim o calor dos dias quentes de verão.Quando somos capazes de descrever o que sentimos é porque amadurecemos com nossas palavras.
Parabéns pelo poema. Forte e belo!
Abraço!Anderson Tomio

✿ chica disse...

LIndo e profundo.Grande dor!beijos,chica