sexta-feira, 21 de maio de 2010

Unidas Pelo Amor


Na foto eu , no meio Andreia minha irmã mais nova e Taise a do lado esquerdo.






Quando éramos crianças não sei o por que, mas, eu e minha irmã do meio brigávamos muito, nada alem de ciúme e coisas de criança, porém não éramos unidas , afinadas,apesar disso nunca deixamos de ajudar uma á outra e vivíamos juntas a cuidar de nosso lar, mas tínhamos muitas diferenças
Taise sempre foi uma criança que queria trabalhar pra ajudar minha mãe, e desde cedo pedia pra ajudar na casa das madrinhas, ia ao roçado pra colher caju, e ganhar umas moedas pra comprar o pão, coisa que era difícil ter todos dias pois meu pai apesar de ter dinheiro não se preocupava em manter a dispensa de alimentos "supérfluos" na opinião dele,pra ele bastava carne, feijão e leite,e minha mãe ganhava pouco para fartar-nos de todas nossas necessidades e assim sempre faltava algo na alimentação diária.

Eram dias difíceis , mas muito felizes!Então ela saia cedo de casa pra ir á roça com nosso tio, ou lavar casa de madrinhas em desejo de ganhar seu dinheiro pra ajudar em casa e comprar coisas que meninas gostam.
Não demorou muito tempo ela foi vender AVON e minha mãe morria de medo dela não
Acertar as contas, mas que nada, ela vendia e muito, e sua freguesia era certa e mensal, em tudo que comercializava se dava bem.

Eu só pensava em cantar, escrever, ler,vivia no meu mundo de
fadas, dizia que era a atriz da novela tal, ficava no quintal de casa ensaiando, cantando e a casa por limpar , banheiro pra lavar, meu mundo era outro e por isso ela reclamava, pois sobrava pra ela todo serviço de casa.
Eu era considerada a mais inteligente na escola, ela tinha dificuldades pra escrever, eu,
porém não sabia matemática, ela contava na cabeça as contas todas a resolver.E assim desde cedo tínhamos nossas diferenças e não sabíamos lidar com elas. Eu sentia ciúmes,pois quando ela nasceu eu já tinha 5 anos e assim a vida passava e nós sempre nos desentendendo, mas nosso amor era forte e a nossa união de irmãs não deixava que ultrapasse o limite das brigas normais de crianças, e sempre que acontecia algo a gente se pedia perdão e eu muito me entristecia.
Quando ela fez 15 anos eu morava em Natal e minha mãe ligou dizendo que ela estava grávida, e ai ela vinha sempre à capital pra comprar algumas coisas e eu acompanhava, minha irmã sempre tão competente, responsável, fez o enxoval tão lindo dentro de suas possibilidades, mas ainda era criança, indefesa, imatura para formar uma família. No entanto lutava pra não deixar nada faltar a minha sobrinha Atacilia, e assim veio morar em Natal pra trabalhar e mandar dinheiro pra minha mãe cuidar da neta que ficara lá, já que a cidade não oferecia um melhor emprego.
Depois de uns meses voltou e o tempo passou.
Engravidou 5 anos depois de Artilia, e eu dei o nome e me apaixonei pela sua barriga como fora minha, isso por que eu já morava em casa novamente.E já era outra mentalidade.Assim esse amor nos juntou , destruiu as diferenças e nos tornamos iguais, e eu ali com minha sobrinha nascida muito parecida comigo.

Mas as condições financeiras e de trabalho dela fizeram-na pensar em ir embora com o marido buscar trabalho em Goiás e levou minha linda sobrinha.E assim o fez!
Foi então que eu engravidei, perdi o bebê e vim a SP, sofri o acidente quando ia pra lá revê-las e me senti muito só, ela me deu sua filha pra ser minha , ou seja , eu cuidaria dela enquanto a Artilia desejasse comigo estar, ficou 3 anos comigo e ano passado em janeiro voltou a morar com amãe.Mas vejo que cuidei dela como deveria ter cuidado de minha irmã, e ela me deu sua filha pra mostrar que nunca deixaria de estar perto de mim.
Em todas dificuldades que passei com meu marido desempregado ela sempre me ajudou e assim posso ver que nada separa quem se ama, somos diferentes, mas o afeto e o sangue nos unem em amor.

Hoje vejo que somos bem mais que irmãs, que amigas e oro muito por ela, queria estar junto, e Deus sabe de tudo que espero de bom pra ela, escrevo essas lembranças com lágrimas, pois o tempo não volta mais , se tivesse a maturidade de agora em vez de discutirmos abracia ela em paz.



Hoje é seu aniversário e quero deixar uma poesia pra ela.



Que meu desejo de sorte e felicidade se cumpra sempre em sua vida minha irmã querida e o elo que me une a minha filha no amor






A você que é meu sangue
Meu amor
Minha irmã
A você que é meu porto seguro
O lugar que tenho pra descansar
Pra você minha oração
Minha poesia
Minha canção
Você que quando criança dormia ao meu lado
Brincando de casinha
Fosse noite ou dia claro
Sempre obediente
Bela menina de cabelos loiros e cacheados
A você que trabalhou, cuidou de mim mesmo eu sendo a maior
Cheia de garra em sua pouca idade.
Trabalhadora em seu labor
Meiga, vaidosa, e muito ambiciosa pra ser alguém
E pra alcançar plena felicidade
A você que sempre fez o bem
Minha amiga, minha irmã
A você desejo toda sorte do mundo
Pois de você eu sou sempre fã!


Paula Belmino
*pra minha irmã Taise, a mãe de minha linda Artilia

7 comentários:

Minéia Pacheco disse...

Olá Paula!

Que bela e ao mesmo tempo triste história, me emocionei do início ao fim!
Você realmente sabe emocionar através de palavras, sempre que venho visitar seu blog me emociono com suas postagens...Parabéns!
Beijos e até mais...

http://historiaparacriancaouviresonhar.blogspot.com/

Chica disse...

Que lindo tudi isso,Paulinha!Linda poesia também emn homenagem à ela. Adorei! Emocionante essa postagem!beijos e parabéns !chica

Minéia Pacheco disse...

Olá Paula!

Passando para agradecer sua visita em meu blog, fiquei muito feliz em ver um recadinho seu. E sua dica para te seguir deu certo, obrigada!
Beijos e até mais!

Elaine disse...

Paula,
Este é um comentário-convite. Quero convidar você para participar de uma mega promoção que está acontecendo lá no blog: sorteio de 1 exemplar do livro Perseguição digital. Para participar basta acessar este link e preencher o formulário. É simples e bem rápido. Espero você. Beijos e obrigada.

Anne Lieri disse...

Paula,que linda essa homenagem a sua irmã!Aliás,que fotos mais bonitas!Adorei texto muito emocionante e a poesia tb!Parabéns a sua querida irmã e muitas felicidades!Bjs,

Alethéa disse...

Que lindo, Paula, me emocionei. Grande abraço!

Marketing Pampili disse...

Paula,
Não esperava que a história fosse tão triste, porém muito profunda e bonita, você conseguiu transmitir todos os seus sentimentos, e mostrar que a união se faz presente em todas as horas! Muito legal também a homenagem no dia do aniversário de sua irmã!
Parabéns pelas palavras! um beijão!