terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Marchinhas pra cantar, dançar e alfabetizar



O carnaval mesmo para quem não curte, não dança, não pula é uma festa cultural e social que está culturalmente arraigada nas ruas, nos salões, pela televisão difundida e a escola como responsável pela educação das crianças nunca fica de fora dos ritos e festivais culturais. No entanto mesmo que a escola trabalhe o carnaval como tema gerador, sua história, as músicas, as fantasias e tudo que lembra essa festa não pode apenas ser mera reprodutora da sociedade. Como instituição que transforma e prepara a criança para ser cidadãos que  cumprem seus deveres na sociedade, ela trás à tona nas rodas de conversa, as consequências trágicas de pular o carnaval sem consciência, como é o caso dos acidentes causados pela embriaguês, o uso de drogas, a violência nas ruas onde se encontram os foliões, a sujeira deixada na rua, a falta de compromisso com o meio ambiente, o mal uso da água, etc ...
Na escola o carnaval entra pra ser  festa, no uso de fantasias como falei no post passado aqui, com objetivo de desenvolver a imaginação e a criatividade, as brincadeiras para socializar e as marchinhas que são ótimos textos para ajudar na alfabetização, já que os textos que as crianças conhecem de memória são fontes riquíssimas para ajudar na construção da escrita e da leitura, ajustando o falado ao escrito e se preocupando apenas na maneira de como se escreve, com que letra começa, as características do sistema alfabético, os fonemas das palavras , já que para ler por elas já conhecerem a música vão apenas ajustando ao conteúdo. As marchinhas são nessa época do início do ano letivo referenciais para construção sistemática do processo de alfabetização e  nesse quesito a aula é nota 10.


Na aula de sexta-feira passada antes de saírmos em recesso,trabalhei com as crianças a marchinha "Mamãe eu Quero" e  juntamente com as professoras da sala de leitura da escola , minha mãe Cicera Simões e Maria José Garcia, as crianças puderam cantar, dançar ao som de instrumentos musicais panderola, triângulo, fanfarra, um momento musical rico para construir conceitos de ritmos, timbre, intensidade etc... E ainda na magia da festa, as crianças puderam ouvir a história contada por elas de como era o carnaval antigamente na cidade, e também socializarem o que acham do carnaval, o que lembra essa festa, fazer listas sobre o que vemos no carnaval, desenhar, pintar e escrever o nome próprio em máscara gigante numa atividade coletiva e que é de suma importância para o processo de alfabetização, uma vez que o nome da criança é sua identidade e deve ser atividade permanente para a partir dele construir significados de outras palavras, por fim saíram de lá todos mascarados com tinta facial e se achando personagens de quadrinhos e filmes infantis.



Ainda voltaremos ao tema na quinta-feira que vem , para fazer a leitura das marchinhas em grupo, nos cartazes, circular palavras, ler e escrever com letras móveis, fazer máscaras de papel e atrelar cultura e arte no processo de ensino aprendizagem para que as crianças aprendam de forma saudável e lúdica.

Vejam alguns exemplos de Marchinhas que se pode trabalhar com Ed Infantil e  fazer a interdisciplinaridade com alguns temas éticos , morais e socioafetivos e socioambientais

OH! JARDINEIRA PORQUE ESTÁS TÃO TRISTE?
MAS O QUE FOI QUE TE ACONTECEU?
FOI A CAMÉLIA QUE CAIU DO GALHO,
DEU DOIS SUSPIROS E DEPOIS MORREU.


VOCÊ PENSA QUE CACHAÇA É ÁGUA?
CACHAÇA NÃO É ÁGUA NÃO
CACHAÇA VEM DO ALAMBIQUE
E ÁGUA VEM DO RIBEIRÃO


OLHA A CABELEIRA DO ZEZÉ
SERÁ QUE ELE É?
SERÁ QUE ELE É?


E para deixar a festa mais colorida faremos na sexta-feira um baile de fantasia, onde as crianças poderão ir com a fantasia que quiserem ou com roupas coloridas á gosto.
Como é o caso da dica da Bugbee com peças florais, cheias do poás , num ora bolinhas, e muito colorido pra deixar que a festa do carnaval seja plena brincadeira 
Espiem:



























Deixo aqui também dica de livros para trabalhar o Carnaval, entre eles o maravilhoso livro Frevolina de Jeane Siqueira que trabalhei com minhas crianças ano passado.





Sinopse:
 Frevolina é uma bonita sombrinha de frevo que, certa vez, em pleno carnaval, ficou esquecida no fundo de uma gaveta. Coitada de Frevolina! Logo ela que curtia tanto os dias de Momo… Mas, cheia de energia como o próprio frevo, ela conseguiu mudar o rumo de sua história. Para saber o final da história, só lendo e se divertindo junto com a sombrinha.

E ai gostaram?

Paula Belmino

*Foto da Alice e amigas no editorial Carnaval por Seimi Hiraga





3 comentários:

Kmaisk Couro disse...

Aí sim, predomina a essência do carnaval!! Parabéns Paula pela iniciativa e por propagar para a nova geração o real significado da comemoração no sentido mais singelo do carnaval, muito aquém das mídias televisivas...Adorei!

Maria Rosa Sonhos disse...

Oi Paula! Admirei o seu trabalho com as crianças. Imagino ser muito compensador trabalhar com crianças. Certamente foi uma aula linda, parabéns! E para mim que estou investindo na Educação Infantil para mudar de área, ver a sua postagem é um incentivo a mais. Beijo! Renata e Laura

Ana Paula disse...

Paula, certamente que o carnaval, mesmo para quem nào o brinca, pula, é mesmo um evento cultural importante e riquíssimo.
E aliá-lo à alfabetização com as marchinhas deve fazer sucesso com a criançada!
Tantos ritmos, tantas danças especialmente no Norte e Nordeste de nosso país.
Muito legal ver um pedacinho da escola e trabalho de vocês. Parabéns!