quinta-feira, 12 de março de 2009

Caminhos da saudade






Pelos caminhos trilhados
Ainda vejo as marcas dos nossos passos de amor
Sinais de nossas mãos entrelaçadas
E de nossas conversas tão boas em fim de tarde
Era bom dividir com você minhas alegrias, dúvidas, angústias, ansiedade.
Eu agora caminho pela estrada sozinha e na saudade.
Passo sempre pelo mesmo jardim, tem flores no chão talvez morreram ao sentir a sua falta.
Estão lá enfeitando o chão pra que eu passe e ao menos sinta seu perfume
Pois que elas roubaram de ti.
Em toda minha caminhada está nas paredes de todas as casas os teus desenhos, a tua cor, elas são claras e desenhadas, pois foi você quem as desenhou.
Nas árvores que me sombreiam eu posso ver clara a tua luz, são os teus olhos em lembrança que me conduzem ao norte e ao sul.
E assim por mais longo e triste que seja o caminho, mesmo que a lágrima de saudade venha me encontrar. O teu sorriso oh! Amada minha, está estampado no luar.
O teu beijo vem como brisa e toca minha face com carinho e eu consigo o meu destino encontrar
Vou seguindo os passarinhos, pois ouço assim o seu cantar.
Entre flores, brisa e pardaizinhos eu sigo a tua luz olhar.
Que escondida entre as nuvens, novamente e breve há de me iluminar.

Paula Belmino
*Pra minha sobrinha Artilia Sara

Um comentário:

Anne Lieri disse...

Paulinha,li hoje essa poesia no Recanto,mas não sabia que sua sobrinha era uma princesa...pensei que era linda,mas princesa...parabens pela sobrinha,pela poesia e pelo blog.Afetuoso abraço,