quarta-feira, 30 de abril de 2014

Da solidão de nossos dias



Éramos crianças demais para sermos amigos eternos,  cedo demais pra saber se seria sério nosso amor imortal, ansiávamos por novas descobertas, novos caminhos, tantos sonhos debulhados ao luar. Éramos jovens demais para crer que seria para sempre, as muitas aventuras não nos deixava criar laços, firmar nossos passos, caminharmos em paz. E o tempo promíscuo, roubador de estrelas, nos levou o céu, a lua e os anseios da nossa alma fugaz.
Éramos só crianças, adolescentes, meninos em nossas birras, perdidos em nossos desejos, loucos em nossa vontade de agarrar o mundo quando nos fugiu o chão de nossos pés...
E o tempo voou, o príncipe veio e se foi, virou sapo, ou seria já sapo tentando ser gente, na nossa alma doente desejando plena paixão... e o castelo desmoronou. O tempo passou. O beijo de amor não nos salvou de ganhar fios brancos, rugas e mudanças no corpo e na alba abatida que queria mais e mais.
Éramos apenas desvairados, desesperados num leito emergido de sussurros e paixão, num silêncio que gritava, numa alma em ebulição. Jovens apaixonados, sem medir consequências e nem pensar no futuro ou passado, apenas  mentes cheias de emoção.
Hoje somos vazios, tristes, contritos e frios...
Adeus paixão, foi-se embora o beijo de amor, o perfume de flor de nossas mãos.
Somos apenas solidão.

Paula Belmino
*Fotografia da Alice por Silvia Martins Photography
Alice usa
Dedeka Homewear

2 comentários:

✿ chica disse...

Lindo ,mas triste fim.Linda foto! bjs,chica e ótimo feriado!

Ana Paula disse...

Que lindo Paula, mesmo sendo triste.
Um beijo!