sábado, 13 de junho de 2015

Poesia no Guardanapo (blogagem coletiva)





Eu me Chamo Antônio, sim este é o título de um livro que é mais arte de sobra do que muitas folhas escritas, ou pensando melhor: nego sim,  me engano, quando digo muitas folhas escritas peco em observar apenas a quantidade, já que o livro é excelente em qualidade, e brinca com as palavras, nos trocadilhos, na arte de letras abertas, sinuosas, como se fosse escritas num muro nas grandes metrópoles, um rascunho de guardanapo, um rabisco de papel, um brincar de fazer poesia e tornar-se totalmente poético.
O livro Eu me chamo Antônio do escritor Pedro Gabriel pela editora Intríseca natural da África filho de pai Russo e mãe brasileira chegou ao Brasil aos 13 anos e  não sabia escrever português como precisava começou a prestar bem nas palavras e se tornou um artista, um criador de palavras, um inventor de trocadilhos, um poeta cheio de sentimentos e criações que se sucedem de suas próprias vivências, além disso o Antônio já era sucesso no facebook muito antes de se tornar livro, e só asism foi procurado pela editora, mais uma vez ressaltado aqui o poder das redes sociais para o lado bom das coisas.
O livro nos encantou, não só a mim ,mas também a Alice e a minha mãe quinta-feira  passada,quando o encontramos na livraria da cidade vizinha ao darmos um passeio em família.E assim como o autor que criou grandes versos e frases em guardanapos, nós na padaria num momento para o café nos deliciamos com grande afeto pelos escritos do livro.



Quanta arte e verdade em pequenas frases que dizem tudo.Aproveito então para fazer esta blogagem coletiva  "Leitura da Vez"  promovida pela Ana do Blog Lado de Fora do Coração e pela Tina e indicar aos amigos leitores poesia, arte e paixão. O livro  aqui citado vale a pena para quem sabe ler além das palavras, além dos grandes versos, sabe ler a alma e o coração.
Essa é nossa inspiração esses dias e o livro virou nosso livro de bolso, adoro me ler nas entrelinhas dele.

Algumas imagens do livro do autor só pra deixar um gostinho de quero mais:

fique


No livro ainda há um guardanapo em branco para voc~e escrever, criar, brincar... Vamos ver se consigo né?

Para Saber mais:

EM SUA PRIMEIRA APARIÇÃO EM UM LIVRO, Antônio revelou seu universo romântico expresso em guardanapos cheios de poesia e sensibilidade. Do balcão do bar, ele observa as idas e vindas do mundo enquanto procura a sua grande paixão. Além de permanecer por mais de trinta semanas na lista de mais vendidos da revista Veja, a turnê de autógrafos do livro Eu me chamo Antônio passou por nove cidades onde reuniu mais de 4.000 fãs.

 Leiam um trecho no site:
http://www.intrinseca.com.br/eumechamoantonio/o-livro.html

O livro Eu Me Chamo Antônio encontramos na papelaria "A Mina de Ouro" loja de departamento escolar e muita variedades de livros que podem ser encontrados e encantados . A Mina de Ouro se localiza á Rua João Pessoa, 68 em Currais Novos -RN

8 comentários:

✿ chica disse...

Muito legal esse livro ,,,Interessante ver a criatividade, né? bjs, lindo fds! chica

Majoli disse...

Gostei por demais da conta e fiquei com muita vontade de ler.
Vou ver se encontro aqui em Caçapava, ou por algum site.
Legal tua participação.
Beijos de uma boa noite e de um delicioso domingo.

Pandora disse...

Eu acompanhava via redes sociais esses guardanapos do Antônio. Li o seu texto rindo, que gostoso. A arte é uma coisa maravilhosa e esses livros alternativos também!

Cheros, Pandora.

Luma Rosa disse...

Oi, Paula!
Conheci o trabalho do Pedro Gabriel pelo facebook e acompanho todas as atualizações. Super criativo e muito a ver com a data que passou... bom presente também para os enamorados!
Beijus,

Ana Paula disse...

Que linda ficou sua participação no varal! Com Alice e tua mãe também participando!
Sabe que tenho esse livro aqui em casa, comprei para o Bernardo a pedido da escola, e ainda não o li. Agora me animei e logo vou ver essa arte em guardanapo.
Obrigada pela participação! Beijo.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Paula
Interessante a gente ver como os escritores são criativos e não tem fim e limite a forma de escritos em prosa ou verso...
Gosto do inusitado!!!
Bjm fraterno

Maria Rosa Sonhos disse...

Paula, você tinha razão quando disse dos encantos do livro! Lindo! Beijo! Renata e Laura

Mi F. Colmán disse...

Oi. Tudo bem?
Olha só que legal! Nós duas indicamos o mesmo livro! :))))
Assim como você e as tuas queridas, fiquei também encantada pela arte de Pedro e pela simplicidade com que criou sua obra. Uma obra que soa totalmente despretensiosa e espontânea. Além de, acima de tudo, muuuito criativa.
Poxa... Gostei muito de saber que mais alguém indicou esse livro. Vale super a pena.
Beijos.

Rivotril com Coca-Cola