sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Tua voz



Ao som da tua voz posso sentir
mil estrelas a falar comigo,
as águas do oceano a me cobrir,
pássaros  a me envolver na mais doce melodia,
o tempo voltar.
Ao som da tua voz
me transporto para outra dimensão,
e ainda é aquele tempo, amor,
quando dizíamos palavras doces,
 saídas do coração,
ou até mesmo as palavras desconexas,
torpes, e delirantes
à hora do prazer exato.
As palavras eram canto, acalanto,
frenesi.
Volto no tempo sempre a sentir,
se tua voz me fala ao pé do ouvido
o sonho, a loucura, o devaneio.
E se o coração chora e cala
na solidão, te busco 
só pra ouvir o som de tua voz,
e revolver o passado,
incendiar-me em constelações.

E sim, meu amor, ao som de tua voz,
sou a terceira sinfonia de Bach.
Prelúdio,
 como na primeira noite e
desde então, minha alma se dispôs
para sempre, te amar.

Paula Belmino




3 comentários:

Nidja Andrade disse...

Poesia maravilhosa! Uma aula de sensibilidade!... Bjs

dinapoetisadapaz disse...

Olá Paula, que bela e amorosa entrega, um primor de poesia!
Adorei os vídeos, qdo morei no Rio, não perdia um concerto , adoro música clássica, Bah , Bethoven , Stravinsk.

Amei a foto da Alice...belíssima! Parabéns pela organização e trabalhos publicados.
Grata pela visita.
Bjss!

Renata disse...

Encantada com a poesia e foto da Alice! Lindas melodias! Beijo. Renata e Laura