quarta-feira, 5 de julho de 2017

O que os olhos leem o coração sente






Desde um conto que fala sobre auto estima, até uma história sobre medo, ou que revele sentimentos, sensações, grandes segredos, fábulas que tragam reflexão, moral da história ou ensinamento, a literatura sempre teve em sua construção textos didáticos, com intuito de falar de moral e bons costumes, e também de educar.
É certo que a boa leitura não deve ser apenas para esse fim de padronizar, exercer valores, mas que se deve ler por prazer, para se divertir, para aprender brincando.
Com tantas possibilidades de chegar à alma humana e tratar valores de cidadania, sensibilizar, e construir sentimentos que falem e façam o leitor cada vez melhor em ler e interpretar, em se ver na história, sentindo-se coautor dela, e ainda mais, poder tomar o lugar e poder até mesmo curar-se, sim, essa é uma das possibilidades da literatura, extrapolar sentimentos, conversar com o ser interior. E é com essa finalidade que a poesia se prontifica, pois ao lermos um poema de amor nos enchemos desse sentimento que arde como fogo, e se o que se lê se fala de tristeza, nossa alma chora, pois a poesia é pura emoção e provoca em nós a lágrima, a empatia, o compadecer-se, o sentir e se conhecer.
É por isso que a literatura tem esse poder de adentrar o mais obscuro da mente e fazer a criança e leitor em geral, compreender-se a si mesmo, ajudando a resolver seus conflitos e situações problemas.

Hoje trago a dica do livro: O que os olhos leem o coração sente de Ana Luiza Novis, pela Editora Jaguatirica, que reúne  vinte contos, escritos com base nas experiências vividas em uma clínica psicológica, uma vez que a autora é psicóloga e usa a terapia narrativa numa perspectiva de que as discussões e situações narradas pudessem na volta dos que por ali passarem usar o real e a ficção para compreender o poder mágico das palavras, que cura, que ajuda a desatar nós, abre a porta para conversar sobre aquilo que não se diria em outra situação, pois por meio do lúdico e da imaginação a criança pode conversar sobre o que sente sem necessariamente se expor.

Esse livro é uma ferramenta para professores, pais, psicopedagogos, e chegou por aqui e ajudou bastante as crianças na escola, por exemplo a compreenderem o real valor de cada um, mostrando que é nas diferenças que nos completamos, com o conto: O passarinho e a gaiola trabalhamos a liberdade, a coragem, do quanto podemos aprender com a família, mas que é necessário que os pais também possar sair para trabalhar, ou por vezes um familiar muito querido, irmão, primo, essa separações que por vezes entristecem e até traumatizam as crianças, e temos muitos exemplos na escola
As crianças leram, fizemos a roda de conversa sobre o assunto, elas se abrem sem ser preciso falar de si mesma, e nesse desabafo a gente vai conversando sobre dores, conflitos, ajudando-as como podemos a compreender os adultos, a vida, a si mesmas e seus medos e temores, a se libertarem.
Além dessa leitura terapêutica, utilizo sempre a reescrita , a ilustração, uma forma de trabalhar e e incentivar a ler e escrever, a dar seu entendimento.

Alguns trabalhos com os contos na sala de aula:

O amigo secreto


Fala sobre um menino que tinha medo de dormir sozinho, no escuro e de trovão, numa noite de tempestade com tanto pavor ele se agarra ao travesseiro que começa a falar, o menino se assusta e ao perceber que o travesseiro com ele fala esquece até a chuva, os raios, a tempestade. Acha então um amigo a contar segredos e histórias, suas aventuras.





O passarinho e a gaiola


Conta a história de uma família de passarinhos que vivia sempre trancados na gaiola , mesmo sendo bem tratados um deles tinha o sonho de voar para bem longe, mas tinha medo de se afastar dos pais. Um dia de vento, a gaiola cai e deixa a porta aberta, mas o passarinho não aproveita a oportunidade para sair e conhecer outros lugares, fica á espreita o dia todo em cima da árvore com medo de deixar a família.




Usamos também a leitura do conto: A fuga do zero e as crianças além de perceber-se importantes nas suas diferenças puderam compreender a importância do zero na matemática, e ainda aprender mais sobre o sistema decimal, quadro valor de lugar, posição do zero, subtração com reserva entre outras coisas. Aliamos sempre poesia e literatura para todas as disciplinas de forma contextualizada e interdisciplinar e assim garantimos a aprendizagem significativa por meio do lúdico

Para saber mais do livro:


Com este seu primeiro livro de contos, a psicóloga Ana Luiza Novis realiza uma fusão entre as duas grandes paixões de sua vida – a Terapia Narrativa e a Literatura. Escritos numa linguagem envolvente e com belas ilustrações, os vinte contos reunidos nesta edição são verdadeiras fábulas, pertencentes a um universo encantado, repleto de magia e lirismo.


Edição: 1 | Ano: 2017 | ISBN: 978-85-5662-070-5 | 106 p.











Um comentário:

Lucia Silva disse...

Adorei essa postagem, na qual você faz um resumo bem atraente dos contos, da mensagem contida em cada um deles e do quanto é importante a leitura na vida do individuo. As imagens que ilustram a postagem são belas e ressaltam sua mensagem. Beijos carinhosos.