quarta-feira, 19 de julho de 2017

Retrato


Eis a alma 
lapidada pelo dissabor da vida
escancarada
estampada no espelho
com olhar resiliente.
Percorre qualquer linha do horizonte,
e se perde
entre as linhas finas  do rosto.
Já  não importa o que foi, ou o que será,
o que há de vir,
o desgosto.
No olhar, tudo tem destaque,
as  lágrimas, a dor, a saudade vivida,
um amor perdido.
O retrato no espelho
é alma aberta
calejada da vida
é ferida que nunca para de sangrar
é cicatriz!

Paula Belmino

5 comentários:

Anônimo disse...

Como sempre, uma pinda poesia de Paula Belmino, parabéns sucesso.bj

✿ chica disse...

Profunda e linda poesia e a foto, beleza também! bjs praianos,chica

Renata disse...

Lindo retrato! Beijo. Renata e Laura

Toninho disse...

Que imagem mais linda para inspirar tão bela poesia.
Amei.
Abraços

Lucia Silva disse...

Belíssima poesia e imagem também. Beijos carinhosos!