quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Aprendendo a Dizer e Ouvir o Não





Para saber dizer não , a criança desde cedo precisa ser educada aos limites, a saber esperar, e também educar os sentimentos, quando contrariada, saber suportar a dor da espera, o tempo encasulado, sabendo que tudo tem a hora, que nem sempre as coisas são do jeito que queremos ou pensamos.
Mas e como educar ? É bem difícil sabemos educar  a criança, mas por meio de diálogo, afeto e da literatura podemos criar esses vínculos entre sonho e realidade, entre o ser e o desejar, falando das coisas comuns da vida. A literatura infantil está cheia de ensinamentos e desde sempre foi pensada também para lição de moral e conduta, o que se sabe hoje não é o feitio do incentivo à leitura, no entanto nos apropriemos dela para que a criança possa refletir sobre suas ações e sentimentos, se colocando no lugar dos personagens por meio da fantasia, conhecendo a si própria e ao mundo que a rodeia.
É de suma importância que a escola trabalhe esses valores, a conduta, a conscientização e por que não a educação emocional, mostrando às crianças o quanto é importante saber sentir, mas sem refrear os sentimentos, ou sair resmungando e com agressividade,machucar a quem estiver próximo, saber reverter, educar, administrar o que se sente transformando a energia negativa na força para a paciência, usando a respiração para conhecer seu corpo, a meditação para abrasar os sentimentos e acalmar-se, usando a literatura para produzir o pensamento lógico e imaginativo tão necessário no desenvolvimento do intelecto e da inteligência emocional.




O livro Lucas aprendendo a lidar com o não de Edyleine Bellini Peroni Benczik  pela Editora Sinopsys traz uma história comum à nossa realidade de uma criança que não consegue lidar com o não dos amigos, dos pais , dos professores.
Lucas se sai com a avó , pede um doce, se não der se joga no chão.
Se sai com o pai, quer um brinquedo na loja, se não lhe derem, arma tempestade com raios e trovão.
Um menino que vai se tornando só pois quer brincar só do que deseja , não dando a  vez aos amigos, assustando a todos com suas malcriações e nervosismo.
Na onda da raiva Lucas vai ficando vermelho, o corpo treme, ele fala palavrão, e assim se torna uma criança que não consegue se relacionar e nem se controlar, precisando de acompanhamento psicológico.




O livro aborda essa temática de forma lúdica e esclarecedora e traz atividades terapêuticas propostas pela especialista ao longo de toda leitura, como reflexão, desenhos, perguntas e respostas etc...Um rico material interventivo para a autorregulação emocional.
O livro foi usado em nossa sala de aula e fizemos bem mais que a proposta, a leitura teve reflexão, educação da escuta, da fala e da respiração.


 As crianças puderam ser conduzidas a respirar no ritmo da música, onde uma das crianças que toca flauta pôde tocar para que elas pudessem perceber o aparelho respiratório, a calm,a com paciência saber esperar sua vez, dando tempo para pensar e rever suas maneiras de agir, frente a um desafio, ou a reação d ecada uma quando ouvem um não.

Vejam mais algumas atividades das crianças com a proposta do livro em desenhar e se ver quando com raiva, como fica o corpo, a face, a alma.





Uma bela aula sobre inteligência emocional, com reflexão e incentivo à respiração, uma pausa para apreciar a arte, a música, e saber esperar, se acalmar... Se autoconhecer e administrar os sentimentos.

Para saber mais do livro:


RESENHA
Este livro infantil trata de um tema comum da vida na infância: a complicada tarefa de ouvir um Não. O Não, não é só difícil para quem escuta, mas também é difícil para quem fala, em função da criança poder reagir de uma maneira desproporcional, disfuncional e desadaptativa. Esta pequena palavra causa um impacto negativo no ambiente, por vezes, sendo motivo de estresse, discórdia e desarmonia familiar. 

A história de Lucas aborda esta questão tão problemática de uma  forma lúdica, esclarecedora e interativa e, com os fundamentos da abordagem cognitivo-comportamental, as atividades terapêuticas propostas, podem ser realizadas em diversas etapas e, em dias diferentes, tornando-se um rico material interventivo e uma valiosa proposta de intervenção na autorregulação emocional.

Este material auxilia terapeutas, pais e professores na condução e no manejo de crianças para um desenvolvimento mais saudável, realista e adaptativo.

Livro dispõe de formulários digitais.


SOBRE A AUTORA

Edyleine Bellini Peroni Benczik
Psicóloga, neuropsicóloga e psicopedagoga. Atua na área clínica há 28 anos com crianças, adolescentes e adultos. Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP). Metre em Psicologia Escolar pela PUCCAMP. Especialista em Neuropsicologia pelo Conselho Federal de Psicologia. Formada em Terapia Racional Emotiva Cognitiva Comportamental (Nível Primary e Advanced) pelo Albert Ellis Institute de Nova York. Autora de artigos, livros, capítulos de livros e de escalas sobre o Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade.


4 comentários:

✿ chica disse...

Muito legal isso e o Não é necessário às rianças,que mais tarde, agradecerão cada um deles! bjs, chica

ANNA disse...

me encanta tu blog
Es muy origial
te mando el mio por si quieres visitarlo

http://anna-historias.blogspot.com.es

Besos

ANNA disse...

me encanta tu blog
Es muy original
te mando el mio por si quieres visitarlo

http://anna-historias.blogspot.com.es

Besos

Renata disse...

Muitíssimo importante lição, uma beleza de trabalho. Beijo! Renata e Laura