segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Senhor Vento e Dona Chuva Sylvia Orthof



O livro Senhor Vento e Dona Chuva pela Editora Rovelle conta de forma melodiosa e lírica uma história do século XIX escrita por Paul Musset e adaptado pro Sylvia Orthof. Nesse texto o Senhor Vento e a Dona Chuva tem poderes mágicos e entram em cena ajudando a família de João Pedro, Claudina e seu filho Pedroca. Uma família pobre que vive passando por dificuldades ainda mais estabelecidas pela divisão de classe, em que o barão alega ser dono das terras em que João Pedro vive com a criação de animais e de plantação de  cereais e que por isso ele  precisa pagar impostos de tudo que colhe. João Pedro vive danado da vida pois suas terras nada produzem, parece que os vetos só fazem girar os moinhos dos vizinhos agricultores e no dele nem um pé de vento pra lhe ajudar a melhorar. Parece que sempre tem vento a girar na vizinhança e se giram produzem e moem farinha que é vendida e dá renda.



Por mais que João Pedro se esforce nada dá certo, e tudo que consegue vai pra impostos e as despesas com o bebê Pedroca, seu filho que acaba de nascer. Até que um dia a situação muda quando o vento bate á sua porta cheia de buracos e frestas. os espíritos do vento agradecem a hospitalidade e prometem ser gratos à família quando precisarem. E assim ouvindo a reclamação de João pedro de que na sua plantação nunca chove, o vento dá uma ajudinha sopra um ventinho que logo traz a Dona chuva, que também entra na casa de João pedro e agradece a hospitalidade prometendo sempre que precisar podem procurá-la. E  assim a plantação do moleiro vai de vento em polpa. Isso tudo acontece entre João Pedro e o Senhor Vento sem que a esposa soubesse. Claudina estava adoecida, mas depois de que João conseguiu moer dois sacos de farinha co ajuda da chuva e do Senhor Vento vendeu e pagou as contas e ainda trouxe pão pra alimentar a família, Claudina ficou boa. Até que descobrindo o segredo dá com a língua nos dentes pra toda vizinhança. Até cair nos ouvidos do barão que vem cobrar mais impostos sobre impostos levando assim os últimos centavos do bolso do moleiro.



Quando o dinheiro acaba o casa vai sempre pedir ajuda ao vento que oferece um barrilzinho mágico que faz magia, com mestre cuca e pratos reais, e o barão ao descobrir corre a ludibriar a família, dizer que eles por serem simples não precisariam de um barril com mestre cuca que prepara pratos finos, mas ele por ser barão precisa e muito, e oferece  dinheiro, e compra, por pouco dinheiro que de repente acaba. E assim vai a família sempre recorrer por ajuda.



A situação muda quando por ajuda do Senhor Vento o filho já grande recebe um baú que tem um teatrinho de bonecos, e com ele começa a contar histórias e ganhar dinheiro. O menino vai até a casa do barão apresentar o teatro para os filhos do barão e se apaixona pela filha Margarida, loira, de olho azul como o céu, mas que usada pleo barão logo consegue o baú. O menino sofre as consequências e os castigos de seus pais, mas esperto Pedroca consegue contornar a situação e muda a história.


O livro é escrito com muita interação e  prende o leitor do início ao fim, dá enfase ao teatro e apresenta em cenas o ato apresentado no teatrinho por Pedroca aos filhos do barão. Faz refletir sobre a divisão de classes, a valorização do dinheiro e do status. O livor desperta a imaginação e a criatividade.
Vale a pena ler!

Para comprar:







3 comentários:

Genilda Maria da Silva disse...

Boa noite!
Linda postagem, parabéns!
Vim agradecer sua vista e o comentário que fez. Amo sempre quando passas lá é gratificante, obrigada! Seja sempre bem vinda!
Abraços, tenha uma semana feliz.

Juliana Pelizzari Rossini disse...

Que linda história, fiquei encantada.
Amo livros e fiquei apaixonada pela história...
Eu amo ler, amo ler para me filho...
Adoreiii.
Bjs
Ju

Toninho disse...

Uma historinha com foco nas mazelas desta nossa sociedade inerte aos grandes problemas vigente.
Muito bom seu resumo que desperta interesse em conhecer.
Valeu Paula pela generosa informação.
Abraços com carinho.