terça-feira, 31 de outubro de 2017

Tinha uma poesia no meio do caminho.

















Tinha uma poesia no meio do caminho
E a estrada era toda cheia de flor
a gente conseguia vencer as dificuldades
e a poesia no meio do caminho
ajudava a alma a suportar a dor.
Tinha uma poesia no meio do caminho
e  a beira da estrada tinha pássaros a cantar
tinha uma poesia no meio do caminho
e por ela a gente gostava de andar.
Tinha uma poesia no meio do caminho
e nela a gente demorava-se, nunca queria se apressar.
Tinha uma poesia no meio do caminho
e pra quem se encontrava com ela
a vida tinha mais razão de existir
Tinha uma poesia no meio do caminho
e a gente dela nunca queria sair.


Paula Belmino


O dia da nacional da poesia hoje 31 de outubro é em homenagem ao grande poeta Carlos Drummond de Andrade que se estivesse vivo faria 115 anos

Com poemas que nunca serão esquecidos Drummond é um dos poetas mais importantes de nossa literatura.

A poesia acima inspirada na poesia dele No meio do Caminho. E hoje tivemos um dia cheio de poesia com uma homenagem linda pelo Centro Rural Nazaré Xavier de Góis aqui na minha cidade, onde direção, coordenação, professores e alunos se dedicaram para apresentar trabalhos lúdicos e cheios de arte.  Toda equipe apresentou dezenas de poemas musicados, encenados, com releitura, fantasias, além da exposição dos trabalhos lindos nas salas, e por todo espaço da escola. Uma manhã mágica em que muito me emocionei e logo mais posto as novidades desse dia lindo.
Só pra deixar registrado minha gratidão:


Poesia salada saladinha


Poema: Sapo Julião

Atividade maquete a partir do poema: Amarelinha



Poesia asa de Borboleta a coisa mais linda mundo ainda musicada, em breve posto aqui.


Poesia de Brincar: pipa


O menino azul

Com José Garcia músico que transformou meu poema Asa de Borboleta numa linda canção.



Essas são só algumas fotos , teve muitas apresentações que me deixou sem palavras para agradecer. 
Só posso dizer obrigada e que com Poesia no caminho tudo fica mais bonito!

Alguns momentos de releitura das crianças no sarau

A cantiga da Dona Baratinha



O menino azul




Poema: Pizza de quê?




Agradeço cada carinho.
E as lindas fotos de Wallace Frade. Logo mais posto mais!

Fiquem com Drummond




No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra

As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.



Lembrete

Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida.

No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra


**Crédito das fotos em alta resolução de Wallace Frade

3 comentários:

✿ chica disse...

Maravilhosa comemoração e homenagem e que bom sempre poesias houvessem nos caminhos...beijos, de volta,chica

Profª Lourdes Duarte disse...

Parabéns a você e as crianças. Lindos trabalhos, um projeto maravilhoso.

Hoje vim agradece sua visita, dizer que amei o comentário. Amo suas visitas e vir aqui apreciar suas maravilhosas postagens. Hoje voltei a trabalhar a licença proêmio acabou e agora é esperar as férias. Ou se antes das férias marcar a cirurgia. Alguns amigos e amigas me perguntam, “Por que ainda na ativa como professora?” Quando fui admitida no concurso já estava quase me aposentando da rede municipal. Dessa forma, ainda não tenho tempo de contribuição. Me aposentarei daqui a cinco anos! Haja tempo para a idade que estou. Mas só agradeço a Deus por tudo, e amo o que faço.
Quanto as minhas visitas farei de tudo para sempre retribuir com todo carinho.
Deus é nosso Pai e sabe o tempo certo para tudo na nossa vida.
Lhe desejo uma noite de paz e um amanhecer feliz, com muita saúde. Abraços da amiga Lourdes Duarte.

Lucia Silva disse...

Homenagem a poesia bem merecida, bem realizada, com muito bom gosto e é maravilhoso ter a poesia no meio do nosso caminho, tudo adquire novo sentido e a vida fica mais colorida.
Beijos no coração!