terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Alvorecer



Depois do sol as estrelas
Todas a cintilar
Caminhando a madrugada
Em versos e sonhos a se anunciar

Trazendo o silêncio
O encontrar do amor
No fundo da alma
De manhã até o sol se pôr

Depois de mil divagações
Pensamento de querer bem se instala em nós
Era só desejo ameno
Hoje um fogo que arde no peito a sós.

Levando a esperança
Cheio de saudade
De um tempo bom que não volta mais
Depois de milhares de estrelas brilharem
O raiar da aurora lembrando que o dia não acaba mais.

Há de se prosseguir
E no amor nunca morrer
Da saudade e dos sonhos
Fazer a própria vida e nela poder renascer.


Paula Belmino

4 comentários:

Chica disse...

Lindo alvorecer,Paulinha e que bom que estás melhor!beijos,tudo de bom,chica

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Olá Paula!! passando aqui só p deixar um oi..n fui mais lá no forum..sei lá...rsrs
bjs,boa semana e fica com Deus!

Misturação - Ana Karla Tenório disse...

Gosto tanto de poesias!!!
Tem lindas aqui...
Um blog maravilhoso.
Xeros!

simone disse...

paulinha essa poesia foi como um balsamo ao meu coração, linda.