sábado, 18 de abril de 2015

Quase um Passarinho



Hoje é comemorado dia nacional do livro infantil e aproveito a data pra apresentar o Livro: Quase um Passarinho de Pablo Morenno, pela editora Physalis nossa parceira no blog Poesia do Bem. o livro conta a história de um menino que sonhava em voar, e fez de tudo para realizar seu sonho, de cair com a cara no chão, se sujar todo na lama e no esterco da fazenda ao subir no telhado e tentar voar, onde vivia quando criança tentou peripécias mirabolantes no intuito de voar com asas inventadas, até descobrir nos livros um plano para realizar seu voo ainda sem sucesso, mas que com ajuda da professora descobriu que ler é mais decodificar palavras e que estas tem duplo sentido, podem brincar, dizer outras coisas nas entrelinhas, até o menino entender assim que para voar, não precisava ter asas, bastava usar sua imaginação.
É o que tentamos todos os dias fazer com as rianças na escola, com a filha aqui em casa, incentivar a ler, gostar das palavras, sentir vontade de aventurar-se nelas e voar num mundo desconhecido e se tornar amiga das letras.
Leiamos para quem se ama, todos os dias, numa revoada, num momento a sós, voando nos versos, nos contos, nas entrelinhas, voemos juntos, de asas abertas, quase um passarinho voando nos livros de braços dados e entregues ao conhecimento.



Que as crianças sejam como passarinhos
Num voo acompanhado
Feito andorinhas em bando
Sob o céu estrelado
Voem nos sonhos
Voem na imaginação
Sejam livres e libertas
Do mundo da televisão
Que morem nos livros
Que tenham mais tempo para conhecer outros lugares
Um mundo repleto de alegria,
Contos de felicidade
Poesias de amor eterno
E achem nos livros muita criatividade.

Paula Belmino



Livros são como sementes na vala do arado.Vão se tornando plantas, ás vezes árvores, como se voltassem de onde nasceram.Livros viram verdade na nossa vida, crescem, dão sombra, frutos, reflerestam os desertos da existência.
Homens temos asas dentro de nós.Mas elas são apenas estruturas peladas, como as dos filhotes.Ter asas não é garantia de revoada. É preciso revesti-las com as plumas da imaginação.Fabrica-se imaginação lendo muitos, e muitos, e muitos livros.Jorge Luis Borges, um escritor argentino, disse que tudo o que o homem cria é extensão de sua mão, apenas o livro é extensão de nosso cérebro, de nossa imaginação".

Pablo Morenno



Para projetos de leitura com a presença do escritor, entre em contato:

 physalis.editora@gmail.com. 

Curtam a página da Editora Physalis



Alice usa:
Dedeka Homewear

2 comentários:

Maria Rosa Sonhos disse...

A leitura nos dá a liberdade de passarinhos! Beijo! Renata e Laura

Toninho disse...

Bela poesia Paula neste encantamento que um bom livro pode causar. Uma viagem mesmo estar dentro de um livro.

Abraços
Bjs