domingo, 7 de junho de 2009

Desolação




Ando assim devaneando
Foi o meu amor que me deixou
Foi a ferida em meu peito que não cicatrizou
Foi a borboleta que me beijou e voou

Ando assim meio lesada
Nem sei em que pensar
É a paixão incontida me aflorando noite e dia
É a saudade de meu sertão e do lindo mar

Ando chorosa e angustiada
É a solidão dessa grande cidade
É o tiro que mata o cidadão
É a violência que destrói meu coração

Só há em mim uma esperança
O amor e o beijo do anjo ao meu lado
Os olhos e minha filha a me amar
Se não fora ela eu não estaria mais aqui
Ando meio triste, meio desolada,
Uma tristeza que não tem fim!

Mas nos momentos que vago em desatino
Sua mão toca meu coração
Dai esqueço a morte e volto à vida
Mãe é assim: ressuscita pra fazer feliz o filho com uma canção!

Paula Belmino

7 comentários:

Liciane disse...

Ai que coisa mais linda!!!!!! Amei esse!! parabéns novamente!! Bjss

Mimirabolante disse...

lindo msm....amiga....voltei....vim ver a sua poesia do Bem....bjcas...

Princesa disse...

"Somos todos viajantes pelas agruras do mundo, e o melhor que podemos achar em nossas viagens é um amigo honesto."

uma boa semana
Beijinhos

Chica disse...

Lindo e mãe é assim mesmo!beijos,chica

Kagomi Yaruka disse...

oI!
To passando pra te convidar a ler o blog Codinome Folk.
conta a história de um garoto 'comum' que vai descobrindo sua verdadeira identidade: um espião.
confira todos domingos em Codinome Folk
http://www.codinomefolk.blogspot.com/

por mim e meu colega Guilherme Carvalho. vale a pena conferir ;)

Georgia disse...

Lindo!!!

Uma linda semana querida!

Bjus

Brechó Maluco disse...

Oi!

Vim te convidar para conhecer meu cantinho.

Passa lá

http://brecho-maluco.blogspot.com

Bjks