quinta-feira, 17 de junho de 2010

Anne Lieri, Alice e a Menina Voadora







Menina voadora
Pra colorir
Para pintar
Pra ler e ser feliz
Pra brincar



Pra se encantar
Menina voadora
A propaganda do amor
Em canto de passarinhos
E fada com asas de linda cor
Menina voadora
Em nova versão pra fazer sonhar
Pincelar com cores vivas
E na imaginação com ela voar
Menina voadora
Fazendo a criança feliz
Menina voadora na versão que sempre se quis


Paula Belmino



*Nova versão do Livro Lenita a Menina Voadora da amiga escritora Anne Lieri, que Alice adora.Em primeira mão por aqui.A Anne fez a gentileza de enviar um pra ela e ela já está fazendo a propaganda.Não deixem de adquirir é lindo!

7 comentários:

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Que linda..como sempre!! beijos e uma otima quinta,tá?? aqui ta uma chuvaaaa menina,que so vendo,acredita???
:-0
bjs!!

Edna Lima disse...

De voo em voo esta pequena Alice chega lá!Bjs Edna.

Anne Lieri disse...

Paula,obrigada por esse carinho!A Alice está uma fofa!Eu enviei hoje para seus alunos porque vc foi uma das primeiras pessoas a me ajudar e não esqueço quem me faz um bem,nunca!Essa versão do livro de colorir estou apenas apresentando nas escolas porque não vale a pena pagar o frete que encarece muito o livro.Ele custa só rs 5,oo e mandar pelo correio pode custar o dobro porisso só estou vendendo nas apresentações das escolas.Obrigada pelo carinho e já peguei sua poesia e fotos para postar no meu blog!Bjs,

Chica disse...

Esse livrinho é um amor a es crianças adoraram.Um amor!beijos,chica

j maria castanho disse...

Décimo Primeiro Cálice


Andam rosas autênticas sob o estampado de outras mais e-reais
Que umas sendo arte reproduzem aquelas originais primeiras
Não se sabendo agora reconhecer a autoria sufixa dada e às quais
Sim, quais foram e são as verdadeiras, se aquelas das roseiras
Ou estas @qui alvas subtis e glamorosas mais belas que as demais?


Mas se gerar confusão esse romance assim sumariado no viés alfim
Saiba-se então, que o soletrado afélio da rima é ainda mais para mim
Onde aquela cujo nome me cresce à prontidão e entendimento atendido
Se faz poema aceso-verso e sinal, estrofe de si a quadrar puro sentido
Como se fora a Aurora ao fim do dia ou Vénus a pôr-se no Nascente
Tudo trocado, nisto somado assente fica, que viver é bem mui pouco
Pois põe-me o sentido louco, se quem deveras amo está flor ausente.


Porém se caminha indica também caminho e é bússola desse raminho
Haste de folha verde que a sustém no carinho da esperança sinuosa
A subir amparada na roseira de asilo sem o espinho da rosa verdadeira
Que destino estampado na seda, algodão ou linho é a mais real maneira
De beber a fé primeira vestida de veludo nos lábios de pétala da rosa.

Anônimo disse...

alice vc kda vez mais lindaaaaaaaaaaaaaaa. bjo da tia rai

Georgia disse...

Que linda!