quarta-feira, 23 de junho de 2010

Quero Gritar Esse Amor




Não me rasgo em palavras

Escrevo com economia

Minha boca cala

Silêncio invade a alma

Deixando a melancolia

Expiando lágrimas de saudade

Tristonha companhia


Não me desfaço em palavras

Escrevo com dor

Utopia

Desejando o tempo voltar

E tua boca calar com o beijo que te diria

Que o amaria pra sempre
Assim como hoje
Te inundaria de amor

E pra sempre seríamos um

Já não me faço poesia

Sou apenas uma murcha flor
Tristonha e vazia.


Não digo muitas palavras

E esse adeus levou minha alegria

Não falo, mesmo em milhões de letras não escreveria

Pois as lágrimas falam por mim até hoje

O grande amor que eu falaria.

Ai como dói ficar calada...

Desejando quem foi meu um dia!


Paula Belmino


3 comentários:

Mari Hessel disse...

Olá Paula! Acabo de ver uma foto linda da Aline vestida de verde e amarelo lá no site bebe.com.br.
Parabéns! A filhotinha está cada dia mais linda!
beijinhos

Solange Maia disse...

Paula...

e como dói esse silêncio cheio de emoções...
como nos rouba as palavras esses amores não continuados...

senti até o osso cada uma de suas palavras...

lindo amiga...
lindo...

beijo carinhoso

Chica disse...

Muito linda poesia e Alicinha,nem se fala!beijos,chica