domingo, 30 de abril de 2017

Receitas de Olhar




Em tempos de crise, de dores, de lutas e guerras, onde as crianças choram a solidão dos pais que por vezes trabalham dia e noite para prover o pão, ou estão ausentes por inúmeros motivos que não cabe aqui relatar, é necessário que cada um faça sua parte doando afeto, generosidade, um abraço, uma mão estendida, um conselho
A escola não fica indiferente ás questões sociais que tem abalado a estrutura familiar, e com o comportamento de crianças e adolescentes solitários, com a alma vazia, com problemas familiares e pessoais que com certeza dificultam o relacionamento interpessoal e a própria aprendizagem, sendo assim  é necessário levar momentos de leveza á sala de aula, além de toda preocupação com a aprendizagem e a sequencia de conteúdos , os professores precisam lidar com essa falta de amor, derivada da violência gratuita, da falta de diálogo, de uma sociedade injusta e egoísta que tem o rei na barriga e não busca olhar o outro.
A sala de aula é um campo minado, onde toda carga de preocupação que os alunos trazem serão descarregadas ali em algum momento, qualquer assunto mais difícil, qualquer conflito não resolvido, qualquer que seja a falta de compreensão será uma gora d'água para fazer explodir a angústia, a violência,agressividade, desinteresse pelos estudos levando á evasão.
É necessário trabalhar a pedagogia da empatia, do ouvir o outro, do semear poesia, do tocar, do humanizar, levando amor em pequenas doses diárias, seja com uma canção, seja uma oração, ou um poema dito, recitado, como forma de alento e cura.
A poesia é capaz de adentrar a alma do ouvinte e lá dentro fazer a transformação, mostrando outros caminhos para que a pessoa mergulhada na soldão e até depressão possa se abrir, e escrever, relatar, tocar o outro e assim se libertar.
O poema:

Se olhe de frente
de lado
de costas
de cabeça para baixo
pinte o espelho
de azul dourado vermelho
faça caretas ria sorria
fecha os olhos abra os olhos
e se veja sempre surpresa
quem é você?






Essa semana fomos convidadas eu e Alice por uma escola para levar um pouco de poesia e incentivo à uma turma de adolescentes, mostrando o valor da leitura, a importância da poesia para suas vidas.
Nós fomos lá e nos colocamos no lugar das crianças, lemos, brincamos e fizemos uma dinâmica de recitar um poema se olhando no espelho, podendo enxergar-se além do que os olhos veem, mas enxergando a alma através da reflexão, da empatia, da sensibilidade, podendo enxergar a alma que implora por amor, atenção, compreensão e respeito ás diferenças.
Recitar um poema olhando a si mesmo no espelho, teve como objetivo valorizar a auto-estima, o conhecer-se, o olhar nos olhos, face a face, o saber dizer sem conselhos vãos, o quanto a pessoa ali é importante. Levamos o poema de Roseana Murray Receita de se olhar no espelho, e lemos para as crianças convidando a vir á frente do espelho, sorrir, brincar, se olhar, e pudemos arrancar sorrisos dos alunos, antes tímidos, acanhados, plantando ali a semente do valor e da empatia, sabendo que todos os dias crianças e adolescentes enfrentam o bullying, o preconceito, a falta de compreensão, e é por meio da conversa, do amor, do enfrentamento, da poesia que vamos aprendendo a  respeitar, a nos amar, a nos colocar ali como amigo, como mão estendida, mais sensíveis, mais humanos.
A atividade foi também desenvolvida em minha sala de aula, na minha casa, com os primos, pois o que eu quero para mim desejo que todos possam usufruir: a boa visão de que Deus nos ama e somos perfeitos para Ele em nossas imperfeições.
Um pequeno poema com grandeza extrema, com certeza ficará na memória e na alma das crianças e tenho a certeza fará a diferença , pois foi reflexiva, foi poesia vivenciada, e semeada com grande cuidado

video


Depois da nossa dinâmica, muita leitura de outros olhares, olhar  o mundo, a natureza como é o livro: Lindo de se olhar de Cecília Botana, e uma música cantada e tocada ao som do violão deixou as crianças mais calmas, mais pensativas e por fim aptas a se abrir ao mundo, a si mesmas e para Deus, mais sensíveis e capazes de saber escolher como opção a leitura para se encontrarem, se conhecerem, aprendendo a  resolver seus conflitos internos. Um caminho de paz... A poesia!



Para conhecer mais do livro

http://www.saraiva.com.br/receitas-de-olhar-col-falas-poeticas-403494.html


5 comentários:

✿ chica disse...

Simplesmente maravilhoso isso e como precisamos estar atentos e saber olhar pra nós, para asa crianças e todos mais.. Lindo feriado! bjs, chica

Gracita disse...

Temos que sempre com o olhar atento para perceber as angústias que afligem os coraçõezinhos sedentos de amor e compreensão e abrir espaços para que essas dores possam ser exorcizadas quando oferecemos um abraço, uma carícia e um momento de deleite como foi esse com a Alice tocando e cantando divinamente.
Um ótimo feriado. Obrigada pela carinhosa visita e palavras tão amáveis
Beijos

Toninho disse...

Muito boa postagem Paula e boa como alerta para esta observação.
A criança tem que ser assistida e orientada e este trabalho de divulgar poesia e inspirar leitura é muito lindo de sua parte e Alice já na bela missão.
Lindo Alice no violão nesta bela canção.
Gostei.
Abraços com carinho.
Uma semana abençoada para voces e que Maio seja renovador de esperanças para nós e nosso país.
Bjs de paz.

Renata disse...

Excelente trabalho de despertar a sensibilidade, através da poesia e música, você faz com as crianças. Você nasceu para ser professora! Parabéns. Beijo. Renata e Laura

meusertaopoetico.blogspot.com.br disse...

Cada vez mais encantada com esse seu trabalho, belíssimo! Transformar o mundo com o olhar infantil, com a poesia são estratégias que darão certo, com certeza. Beijos carinhosos!