quarta-feira, 26 de agosto de 2009

O Chamado do Amor





Foi como se tua boca me beijasse
Como se ouvisse a tua voz
Como se tua mão me tocasse
Como se me perdesse nos olhos teus!
E já não fôssemos separados! Fôssemos nós!

Houve um sinal
Um pensamento me levando a ti
Teu nome que não se apartava de minha língua
E no pensamento estavas junto aqui!
Um chamado inexplicável
Tua voz chamando a mim!

Foi como se o céu me avisasse
Uma luz me levasse à escuridão
Tua dor meu peito machucasse
E me rompesse a visão
Meu quarto olho enxergasse
E avistasse o teu amor
Teu cheiro me guiasse
Conduzindo-me a tua flor!

Foi assim bem em fim de tarde
Queimando o céu anil de minha boca
Como se o peito conspirasse
E o tempo fizesse de nós almas ligadas em dor
Separadas pelas ruínas
Pelo vazio da solidão
Foi assim findando a saudade
Tua chegada no coração!

Foi em sensação de necessidade
Que lhe estendi a minha mão
Meu corpo todo já era de sua posse
O que mais restava entregar-te então?
Foi num silêncio que ecoou seu grito
Ouvi em penumbra sua aflição

Foi mistério
Foi a mais doce sensação!
Quem ama é avisado
Enxerga mesmo que cego à luz do amor e da paixão
Foi num dia atribulado
Que ressurgiste pra minha consolação!


Paula Belmino

3 comentários:

Blog Do Franco disse...

Olá!

É muita paixão hein paula!

Carregado de muita saudade.

beijus!

Georgia disse...

Paula, o Amor é tudo...

Bjus

Úrsula Avner disse...

Oi Paula, seu sentimento flui em cada linha do texto poéico. Bj e um ótimo fim de semana.