sábado, 19 de maio de 2018

Um marido para Dona Baratinha. Dircéa Damasceno.




E ainda com incentivo para ler e escrever brincamos com essa fábula que ganha lindas ilustrações e versos de Dircéa Damasceno para contar a história da baratinha que ganhou o coração das crianças.
Em casa foi uma festa, pois incentivo o ler para a Alice com brincadeira, com vivência, e junto com a amiga Bia, um laço de baratinha para ler e fantasiar dá mais gosto para ler.
Leitura em casa e  sempre levando também para a escola a beleza poética e literária como estímulo para mudar a realidade das crianças e torná-las protagonistas de sua própria história.





As crianças leram, brincaram, e ouviram de minha parte a leitura compartilhada, brincando com a entonação da voz, brincamos com as onomatopeias, e é claro amaram as ilustrações.
Depois de toda leitura fiz um ditado com as palavras do texto, e depois de corrigir coletivamente os erros ortográficos dei para cada crianças duas palavras para que elas criassem uma quadrinha para contar a história. Foi muito criativo e precisei apenas fazer ajustes, e um ajudava o outro com palavras que rimavam.
Depois ilustraram sua quadrinha numa folha de papel e fomos apresentar o texto no jardim para a turma toda ver o trabalho de cada criança.



Deixo um poema meu para o caso de  não se achar um marido para Dona Baratinha não arrumar marido (risos)


A cantiga de Dona Baratinha


Dona baratinha
vive na janela a sonhar.
Faz tempo espera um marido
e o dinheiro em sua caixinha
já perdeu o valor.
Vive a lamentar, a baratinha,
pois nenhum bichinho ainda
encontrou pra casar.
Depois de passar por ela:
gato, bode, cão e castor
uma infinidade de bichos,
um ratinho delicado
por ela se apaixonou,
mas era guloso e
no dia do casório
caiu na panela da feijoada
morreu afogado,
deixando Dona baratinha só.
Agora ela vive a sofrer de solidão
e na sua janela
pensa sem solução:
O que fazer com o dinheirinho?
O senhor grilo, um amigo de verdade
lhe mostra uma sugestão:
_Compra uma fita de cabelo e se enfeita
Vai com os amigos passear
Desfila entre borboletas, joaninhas,
 abelhinhas a zunir.
Põe uma fita amarela no cabelo, sai por ai.
Com amizade e canção
se cura toda dor.
Enfeita a cabeça  
e na boca, põe um colorido batom.
Não há mal que não se cure
Com um sorriso cheio de cor.
Depois desse conselho,
Quem passa na casa da Dona Baratinha,
Sempre a ouve cantar assim:
“Quem quer ser amiga da Dona Baratinha
Que tem fita no cabelo
E usa rosa batom?”
A amizade é sinônimo do amor
E é remédio para toda a dor.


Paula Belmino


Para saber mais do livro:



Autor: Dircéa Damasceno
Ilustrações: Dircéa Damasceno
Páginas: 32
Formato: 20 x 20 cm
Editora: Bambolê

ISBN: 978-85-69470-24-3

http://www.livrariabambole.com.br/pd-49aab9-um-marido-para-dona-baratinha.html

5 comentários:

Toninho disse...

Que bela apresentação Paula e as meninas caracterizadas ficaram lindas.
A atividade com os meninos na montagem de quadras foi uma bela criatividade.
Mas Dona Baratinha continua sem marido, mas sabe ser feliz.
Gostei.
Meu carinhoso abraço amiga.
Um bom lindo fim de semana.

Renata disse...

Uma beleza de história! Me lembra Laura, aos 2 aninhos fazendo um teatro na escola com essa historinha!! rsrs Beijo. Renata e Laura

Anete disse...

Bonito post e gostei do poema... Amor e amizade, preciosidades da vida!...
Uma boa semana... Abraço

Lucia Silva disse...

Adorei essa partilha, sobretudo o vídeo no qual assisti embevecida as crianças lendo suas quadrinhas, interagindo com as demais, expressando o aprendizado que ficou dessa aula tão maravilhosamente ministrada. Seu poema inspirado na ansiedade de Dona Baratinha ficou lindíssimo.
Beijos no coação!

RUDYNALVA disse...

Paula!
Admiro e a parabenizo pela forma como estimula a leitura e como ensina os pequenos de maneira dinâmica.
Sucesso!
Maravilhosa semana!
“Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca ouve. “(Ernest Hemingway)
cheirinhos
Rudy