terça-feira, 26 de maio de 2020

Vestes de Flores. Coleção Dedeka Quindim







Flores passeiam
no azul do dia.
fabricam coloridos
silêncios,
como se fossem lenços
de seda e ar.

Roseana Murray

A gente devia vestir-se de jardins, de cores,da ternura da natureza, de poesia.

O corpo coberto de flores,
a alma um jardim,
O espírito poesia emfim!




Pensando em mais que vestir com conforto na hora de dormir e brincar a Dedeka fez uma parceria com o Instituto de Leitura Quindim e lançou a coleção Quindim, com pijamas e camisetas estampadas com as ilustrações de Roger Mello no livor Jardins da Roseana Murray pela Global Editora



Mais que fabricar pijamas e roupas, essa coleção incentiva à leitura, pois ao comprar uma peça parte da venda é revertido ao Instituto que tem um projeto social importantíssimo de oferecer o acesso democrático do livro.
O mundo se faz de flores, e generosidade, de poesia e educação, de solidariedade e cidadania.






Conheça mais da coleção e adquira as peças na oja virtual da Dedeka e ajude a colorir o mundo!





domingo, 24 de maio de 2020

É Tempo de Brincar! Semana Mundial do Brincar







É tempo de brincar 

De 23 a 31 de Maio acontece A Semana Mundial do Brincar, uma “mobilização em nível nacional e internacional que convida pessoas envolvidas com crianças e/ou temáticas a elas relacionadas para pensar, celebrar e promover a importância do brincar...

Em meio à pandemia que estamos vivendo, o movimento #AliançapelaInfancia Aliança Pela Infância não cancelou a Semana do Brincar que costuma acontecer todo ano em praças, parques e outros espaços abertos.
Em 2020 será diferente! Brincando em casa e com muita imaginação e participação da família.




O tema de 2020 

Nesta edição, a Aliança pela Infância propõe como tema da mobilização o “Brincar entre o Céu e a Terra“. A ideia chama atenção para a importância de cultivar a imaginação e o devaneio da criança, para que ela possa ser e estar no mundo com criatividade e singularidade.
O manifesto do sensível de 2020 – que em breve estará em todos os canais – lembra do quanto é rico o universo imaginário das crianças:
No território da imaginação há lugar para elefantes cor de rosa e oceanos no quintal de casa em que navegam aventureiros sem pé nem cabeça. Lá estão também os bailes com dinossauros e guerreiras no tanque de areia, e os banquetes de sementes e folhas do jardim. As casas com portas no teto e janelas no chão podem existir apenas com papel e lápis, ou giz e chão, ou de tantos outros jeitos. Existem principalmente porque houve espaço e tempo para que fossem imaginadas. Nesse território constroem-se aventuras e narrativas com caixas de papelão, pedaços de pano, tampas de garrafa, blocos de madeira… e assim vão tomando forma repertórios de possibilidades, impossibilidades e de vida.
Como todos os anos, a Aliança passa, desde hoje, a disponibilizar uma série de materiais e conteúdos inspiradores para apoiar as ações dos aliançados. Não precisa fazer parte de núcleo para desenvolver atividade. Todos são convidados. 



Propus o desafio aos alunos Lagoanovenses e suas famílias a brincar com poesia, um livro, um poema brincante, uma brincadeira por dia .
Deixo o convite aos seguidores a ler um poema, afinal ler é brincar,  e convidar as crianças para brincar de poesia na prática.

Quem participar faz o vídeo ou foto lendo, brincando e posta e me marca ou manda via direct ou mensagem Whatsapp, ou e-mail, deixa o link com a tag #Brincarcompoesia

A cada dia postarei um poema de brincar, para ler e brincar, desenhar, criar um brinquedo.

Vamos participar da #SemanaMundialdoBrincar?

Com brincadeira e leitura, com poesia da infância.







1° Desafio : Ler o poema abaixo e brincar de fazer bolhinhas de sabão


Bolhas

Copo e canudo,
um pouco d' água e sabão,
e eis ai a bolha
a borbulhar,
leve como o vento,
feito folhas a bailar.
Molha a mão da criança.
Depois voam ao vento
Junto com as folhas,
as coloridas bolhas,
encantam o olhar.
Bolhas de sabão,
pedaço de infância.
Quando menos se
espera, estouram
E desaparece no ar.

Paula Belmino

No livro Poesia de Botão



As crianças Alana de Parnamirim-RN e Theo de Pelotas -RS já estão participando lendo e brincando em casa de poesia







2º Desafio -Ler o poema e brincar de Amarelinha




Brincar de Amarelinha

Pra brincar de amarelinha
Risca-se um diagrama
Com o dedo na areia,
Ou giz na calçada,
Faz quadrados em cadeia.

De uma ponta à outra,
Pular num pé só.
Até chegar à asa
Sem pisar na risca
E nem na pedra da casa.

Joga de novo a pedra ao léu,
Mas se cair na linha
O jogador perde a vez
Vence quem chega primeiro,
faz o percurso com rapidez.

Mexe o corpo sem cansar,
Na asa a criança pisa os dois pés
E se imagina voar.
É coisa de criança
Brincar de ir ao céu a pular.


Paula Belmino

A Laura Eduarda de Mossoró já está brincando, leu e recita aqui lindamente explicando a brincadeira


Vamos brincar de poesia?

















sexta-feira, 22 de maio de 2020

De longe, Um abraço. Dia do Abraço


Quando a distância impede o abraço
Os corpos colados,
O rosto a se roçar
Sentir o cheiro do pescoço amado
O afago dos cabelos do outro a nos tocar,
A alma se sente vazia,
Pois abraçar é energia
É como se a gente trocasse de lugar.


Na distância, os corpos afastados,
O rosto encoberto
É impossível tocar,
As mãos não mais se apertam,
A alma saudosa, inquieta,
Sente falta do abraço apertado, e
Tristonha reclama:
Abraço e festa!


E feito um consolo
O abraço diferente de mostra
Ganha nova forma
e com voz da razão declama:
Não se pode afastar quem se ama!

Então, ainda distanciados,
Os olhos sorriem e se encontram,
Afeto na voz canta saudade
E se faz ternura nas linhas da face.
O corpo inteiro fala,
Balbucia, abrace!
De um novo jeito
Modo abraço remoto.


Em tempos de distância:
Uma ligação, um bilhete, um afago,
Um poema lido, uma oração ofertada,
Tudo isto é abraço!

E se os olhos se encontram, sorriem
E nossa alma, com a alma amada
Pelos olhos se abraçam!


Paula Belmino

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Faça Bonito. Faça a Infância Feliz!



Criança precisa de afeto
Ter respeitada a infância
A pureza da vida
Pois nela mora a esperança.

Então faça bonito
Combata e previna
Dê orientação sexual
Eduque os meninos e meninas!

Criança precisa de respeito
O cuidado e zelo de seus pais
O seu corpo guardado
Dela apenas, de ninguém mais.

Então faça bonito:
Proteja sua inocência
De qualquer exploração
Livra  de qualquer violência.

Criança merece amor
Alimento e educação
E por direito, leitura,
Saúde e habitação.

Então faça bonito
Leia para uma criança
A leitura livra do mal
E enche de sonhos a infância!

Criança em sua inocência
Precisa ser preservada
A infância não manche
Sua privacidade nunca invada!

Faça bonito por favor:
Esteja sempre alerta, denuncie
Garanta à criança seus direitos
Uma infância completa e feliz!

Toda criança e adolescente
Merece pleno desenvolvimento
Em sua saúde e sexualidade
E respeito a seus sentimentos.

Por isso, faça bonito
Eduque, converse, previna, seja gentil
Combata a exploração sexual
E diga não ao trabalho infantil!

A infância é tempo de brincar, sonhar, ir à escola
Ser feliz deve sempre ser
De toda criança a sina!
Por isso faça bonito e a tudo que é ruim previna!

Paula Belmino




Deixo também a Dica do livro infantil  Não me toca,  Seu Boboca de Andrea Vivian Taubman com ilustrações de  Tais Linhares pela Aletria Editora 


Hoje 18 de Maio é  Dia Nacional do Combate ao Abuso e à  Exploração Sexual  Contra Crianças e Adolescentes.

Para combater a violência contra  a criança  é necessário denunciar, informar, educar as crianças e adolescentes para que não  permitam que ninguém  toque em seu corpo sem permissão.  É  necessário que pais, educadores e responsáveis  acolham,  conversem, orientem sobre a  sexualidade e também a criança a  saber quais os órgãos  e instituições podem ajudar no caso de violência e maus tratos  assim como a exploração Sexual e dos direitos da infância.

A campanha #façabonito    traz orientações e apoio  para garantia dos direitos das crianças e  conta com ajuda do CRAS,  conselhos tutelares, Delegacias especializadas  entre outros, como o Disque 100.

Para prevenir a educação pode  partir de uma orientação e  começar  numa conversa, dos responsáveis para com os menores que precisam de cuidado e atenção,  e podem usar o livro com o ferramenta para refletir, dialogar, orientar denunciar, acolher. 

A literatura nos ajuda a enfrentar temas difíceis  de serem falados, assim é  a dica de hoje , o  livro " Não me toca seu boboca " de Andrea Taubman  com ilustrações de Thaís Linhares pela Aletria Editora  que li com Alice para ainda mais orientar sobre os cuidados com seu corpo, com sua sexualidade e juntas trazemos na dica  de hoje.
.
Criança precisa de amor e cuidado, respeito, e garantia de seus direitos.
Proteja!

Adquira o livro com 10% de Desconto no site da Editora Aletria usando o cupom
 #POESIADOBEM10 




Vejam o vídeo 



domingo, 17 de maio de 2020

Poesia para acordar



Poesia nos acorda pra dentro
afaga o coração
faz a gente brincar e sorrir
e deságua em nós os sentimentos.
A poesia espanta a dor
e aformoseia os sentidos
é pouso, ninho, alimento.
A poesia é suspirar de manhã

e anoitecer a sonhar
Da infância é brinquedo
para o adulto é amparo e desabrochar.
A poesia é a visão do mundo
 de fora e de dentro
é saber olhar
é a utopia, é sonho, 
é o encanto a nos despertar.


Paula Belmino


E nesse encanto trago hoje a poesia de Eloí Bocheco, com este  encantador  livro que brinca com o tempo, fadas, bichos, cantigas, e traz à tona brincadeiras esquecidas e memórias inventadas.

A poesia de @eloibocheco acompanha a infância da Alice, e desperta a minha, já tão distante .
Alice guarda com afeto o livro “ Tá pronto seu lobo?” E outros poemas e hoje lê dele dois poemas
Um deles:

CAVALINHO DA ALVORADA

Meu cavalinho
só sai na alvorada.
Em outro horário,
bate a pata, empaca,
vira estátua de luar.
Nem com reza braba
sua teimosia acaba.
Com meu cavalinho
vou pelas estradas
à procura de sementes.
Escolho as sementes aladas,
pois nascem mais depressa
e tenho pressa
de replantar o planeta.

Eloí Elisabete Bocheco 


Conheçam a obra desta grande poeta , adquira os livros dela para ler com as crianças.


sexta-feira, 15 de maio de 2020

Contemplação



Sombras escuras
Cercam a alma,
Invadem e aprisionam.
São sombras do  medo
Fantasmagórico,
A impelir, a causar pânico,
A escurecer a visão.
Nessa fumaça de incertezas
Ninguém sabe do futuro
Escapa-se num instante frágil 
Beijado ao hálito da morte, 
Tão próximo, e corriqueiro
deixando a humanidade refém.
Só resta uma delicada esperança,
Uma breve  fé,
Impulsionando o cuidado,
de si e do outro.
Ao observar-se além do véu da escuridão
 que se assola sobre o mundo
pode-se enxergar a esperança.
Ela tem asas transparentes e finas, 
Feito uma libélula a voa e se esvair.
E a fé é como um cristal fino e delicado
a qualquer ruído se despedaça.
As duas: esperança e fé
Fogem ante as sombras do medo
e para resgatá-las,
Deve-se olhar com firmeza o céu
que nunca sentiu medo algum,
jamais temeu nenhuma tempestade,
E sempre renova-se num novo olhar,
Mais claro e mais azul.


Paula Belmino


Um poema para participar da Blogagem coletiva do Coisinhas da Chica

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Casa de Consertos- Eloí Bocheco



Dica de Livro:
Casa de Consertos Eloí Elisabete Bocheco ilustrado por Walther Moreira Santos Editora Melhoramentos
Para aprender que a literatura também ajuda a consertar a alma! Paula Belmino





“Sempre que chegam as férias, a menina Olímpia vem ficar com os avós. Os dias são cheios de aventura no casarão, que parece de bruxas, cheio de lugares encantados. O casarão é o mais antigo da rua, cheio de esconderijos e um sótão que dá pra ver a cidade toda, o mar, a ponte.
Junto ao casarão fica a marcenaria do tio Jairo, da Olímpia, onde o pai da criança também trabalha . O quintal da casa é grande e cheio de goiabeira O casarão tem varanda, tem corredores , muitas portas e uma delas dá pro corredorzinho e leva a Casa de consertos, onde a avó conserta brinquedos.
A avó Sofia já anda devagar se apoiando em móveis, e conta muitas histórias aos fregueses ou sempre recomenda "remedinho literário " para as dores da alma.
Sofia era enfermeira até se aposentar, agora conserta brinquedos e recita versos, aconselha a neta.
Olímpia tem boas lembranças do pai para quem gostava de ler , e se foi para as estrelas. Agora com a avó Sofia vai sonhando e imaginando o mundo através das histórias por trás de cada personagem ou brinquedo que chega à casa de consertos, soldadinhos de chumbo, cavalinho azul, bailarina de caixinha de música, bonecas que são mais que brinquedos, sai histórias de vida.


Um livro para falar de infância, das relações familiares, de amizade, de história e da importância de se construir memórias por meio dos livros.
Inspirador e poético , o texto apresenta diálogos entre a menina e seu pai, sua avó e o tio, além das muitas conversas com fregueses ao telefone ou em passagem pela casa de consertos que são pura nostalgia e saudade, aulas para a humanização."



Ouçam um capítulo da história





Para comprar o livro: