segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Um Pra Cada Lado (Dica de Livro)




Um pra cada lado
Os dois pais brigando
E o coração do filho apertado
Queria tudo consertar
Com suas ferramentas de brincar
Ver os pais de novo se amar
E as contas da casa pagar 
Tudo é solidão
Silêncio e aflição
Mas o que parecia impossível agora é solução
Um pra cada lado 
Um alívio pra tanta confusão.


A família é a base da felicidade.
É o porto seguro para os filhos, mas quando a família entra em conflitos e há brigas constantes, a família desestruturada pode causar muitos problemas emocionais nas crianças, além de torná-las inseguras, tristes e por vezes sentindo-se culpadas.
O certo é que os pais tentem viver a harmonia no lar para que a educação e os sentimentos dos filhos não sejam afetados.
No entanto quando isso não é mais possível a separação amigável, é uma solução, mesmo pais separados nunca deixarão de serem pais.
É sobre isso que trata o livro: Um pra cada lado de Luciana Rigueira com ilustrações de Elizabeth Teixeira pela Editora Imperial Novo Milênio .
Alice leu,e depois conversamos sobre a importância de uma família unida, ou no caso de que se os pais vierem a se separar, a criança deve sempre se sentir amada e conviver com os dois. Pois o casal deixa de ser casal, mas os filhos e pais nunca o deixam de ser.
Há muitos tipos de famílias, não apenas pai e mãe e filhos, o importante é a gente se sentir amado com quem convive.




O livro foi lido na escola e muito útil para que as crianças pudessem se expressar sobre este tema comum na vida delas, há muitas crianças que têm pais separados, estão vivendo esse momento de conflitos, e a literatura serve para além de ler e escrever as crianças se colocarem no lugar, fantasias e compreender melhor a realidade em que vivem.
Após leitura e roda de conversa elas escreveram sobre as família delas e ilustraram e por fim compreenderam que família é onde a gente se sente bem, seja junto ou separado é preciso que a criança seja cuidada com amor e respeito, amado por todos ao seu lado.







E vejam mais a Alice resenhando o livro:


Dê um livro neste Natal, livro é um presente que transforma para sempre!


No instagram da Editora Imperial Novo Milênio o livro está sendo sorteado, aproveite e tente a sorte


Para concorrer, é preciso seguir os seguintes passos:

1 – Seguir o perfil da @imperiallivros  no Instagram;
2 – Marcar 3 amigos nesta publicação. Apenas perfis pessoais podem participar e serem marcados.
3 – Curtir esta publicação.
Todo mundo pode comentar quantas vezes quiser.

*O sorteio acontecerá na próxima quarta-feira, dia 12/12/2018. O resultado será publicado aqui mesmo.
*Sorteio válido somente em território nacional.

Feliz dia do Palhaço






Palhaço Zumzum

De cara pintada
Sapato grandão,
Nariz avermelhado
O palhaço é pura diversão!


Dá cambalhota

E cai de bumbum

Que palhaço engraçado
seu nome é Zumzum!


Um palhaço feliz

faz trapalhada e estripulias
arranca gargalhadas
e das crianças é a alegria.



De cara pintada

E sapato grandão

de roupa listrada

E um vermelho narigão

Palhaço zumzum
Faz magia com fitas.
É palhaço e mágico
com sua cartola divertida.

Da fita azul faz jujuba
a vermelha um coração
da fita amarelo nasce um girassol
Zumzum  gera em todos emoção.

Sua magia tem sentido:
O sorriso na alma é fita colorida.
A gente transforma tudo
para ser feliz na vida .



Paula Belmino


Minha homenagem a todos que produz na gente o sorriso

Em especial aos palhaços da nossa vida palhaço , da infância da Alice: Palhaço Cartuchinho Carlos Alberto Klen Palhaço Xibum Patati e patataRaul Figueiredo Doutores da Alegria Teleco e Teco e a todos os palhaços do mundo!

domingo, 9 de dezembro de 2018

Roupinhas em Algodão Para as Crianças do Sertão






Amar é ser solidário
é estender a mão
e rasgar-se por inteiro
é ser todo generosidade.
Amar é doar-se
uma entrega de corpo e alma
fazendo o bem pelo próximo
é completar-se nele
sem interesse algum
para ser seu vestido,
seu abraço
sua voz,
Amar é poder alimentar um sonho
e sonhando junto realizar o impossível.
Amar é trazer um pouco de esperança
É afagar o coração com alegria
e arrancar sorrisos de uma criança
Amar é cobrir de cuidados
e plantar nos homens 
a semente da esperança.

Paula Belmino

Aconteceu nesta sexta-feira dia 8 a entrega das roupinhas de algodão produzidas por muitas mãos que colaboram com o projeto Roupinhas em Algodão Para as Crianças do Sertão. O projeto do qual eu e minha mãe coordenamos aqui recebeu mais uma vez a presença de Janete Fontinelle trazendo malas cheias de vestidos em algodão e conjuntos para os meninos. O projeto que ano passado contemplou mais de 100 crianças, este ano de 2018 dobrou as doações e atendeu as creches das escolas que compõe o Centro Rural Nazaré Xavier, Cicero Romão de Souza, Centro Infantil Evilásio Luiz Victor, e a escola Francisco Jerônimo de Medeiros  enchendo  de alegria o coração de cada pequeno.

O projeto foi mostrado aqui  ano passado, e este ano a festa teve apresentação de poemas recitado pelas crianças do Centro Infantil Evilásio Luiz Victor e escola Municipal Francisco Jerônimo :




Dança de balé por Cristal e Jennifer do Balé de Tia Elaine




Música ao som de voz e violão por Alice, Francisco Bryan e o professor da Alice e amigo Ray Santos






O momento musical serviu de reflexão e agradecimento a Deus por todas as bençãos alcançadas e para lhe pedir que continue abençoando cada criança cada responsável por este projeto que leva amor ao sertão.
Foi muito interativo e as crianças se emocionaram!


Francisco Bryan e Ray santos cantam Meu barquinho com as crianças


Ainda tivemos uma apresentação poética do poema Roupinhas em Algodão de minha autoria pela turma da professora Albanita Gomes da escola em que trabalho, homenageando o projeto


E eu recitei outro poema com participação da Aluna Luiza que usa vestido de algodão que ganhou ano passado e para ela é muito importante



Contamos com o apoio da Secretaria de Educação que teve a coordenadora de Ensino Maria Da Paz agradecendo o projeto e incentivando a cada um cada vez mais a fazer o bem ao próximo


Contamos também com a fala de minha mãe Cicera Simões presenteando Janete com uma lembrança do sertão agradecendo este momento, assim como a gestora Maria Ivanilda do Centro Rural, que também foi beneficiado neste projeto



Após as recepções e apresentações foi hora do momento mais esperado do dia: A entrega as roupinhas às crianças. Obrigada aos diretores, coordenadores das escolas e às coordenadoras de Ensino Fundamental e Ensino Infantil Iranilda Coutinho e Aucileide pela ajuda mútua em todos os momentos











E não para por aqui, ainda tem mais entrega nas igrejas, logo mais trago por aqui!

Deixo aqui registrado o meu muito obrigada a Janete e sua família que se deslocaram da capital até o sertão para essa entrega encantada. Agradeço a todos que apoiaram esse belo projeto, a cada colaborador, costureira, doador,artesãos, e à Secretaria de Educação pelo apoio, aos gestores e professores , cantores, músicos e crianças.
Agradeço também à minha amiga Vitória Lópes pela bela decoração do espaço




Vejam mais momentos no blog Lagoa Nova Destaque


E um momento de poesia:



Para ajudar este projeto no próximo ano atender mais crianças Lagoanovenses entre em contato comigo,  basta doar tecidos, aviamentos camisetas.
 ou com Thereza  Elizabete


Créditos das imagens Wallace Frade e Roberto Paixão

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Não sou mais bebê (Dica de Livro)





Alice não se acha mais bebê e destinada está a fazer tudo sozinha não quer que a mãe lhe ajude na higiene


Muito menos que o pai lhe ensine a se vestir.


Alice é independente agora e nem o avô e nem a avó lhe convencem do contrário.


Ela pode fazer tudo sozinha, não quer ser mais criança
Dispensa tudo, a ajuda da irmã para lhe ajudar na alimentação e nos cuidados.
E na escola não precisa mais de ajuda da professora para concluir suas tarefas


Ao ser convidada pelo pai para fazer algo,  Alice percebe  que não precisa fazer tudo sozinha, e que para algumas coisas é ótimo ser tratada como bebê. O que seria? 


 A leitura é colo que aninha, é abraço que acolhe, é pouso e família, e nos fazer voltar no tempo, sempre crianças a brincar na imaginação.

Livro lindo do Ilan Brenman com ilustrações de Anna Aparício Catalá pela Editora Aletria que acaba de ser lançado e é ótimo para ler para as crianças.
Na escola li e encenei com os pequenos pois, na escola não lemos apenas , mas entramos no livro.


Na escola a gente não só lê, a gente entra no livro, experimenta, sente, com todos os sentidos, a gente encena, se faz protagonista e personagens do livro
A gente ler, brinca, fantasia, reconta, coloca nossa voz no livro, interage.
Um livro é feito para além de ler , desdobrá-lo em muitas outras histórias inventadas .
Após leitura e encenação as crianças fizeram a história com ilustrações deles em quadrinhos e escreveram.

Vejam nossa interação com o livro:



Para comprar o livro:

https://www.aletria.com.br/Nao-sou-mais-bebe