sexta-feira, 20 de abril de 2018

Sertão (Dica de Livro)




O sertão recebeu a graça

A chuva nas asas de um pássaro
Um pássaro de alegria e prosperidade
Trazendo esperança em seu voejar
O sertão virou mar de contentamento
E chama passarinhos e borboletas
O sertão em tempo de chuva virou primavera
E agora enverdejando nosso olhar
E enche de fé e vida a nossa alma.


Paula Belmino

Por aqui os livros vão chegando e invadindo as almas das famílias, suas crianças, pais, avós, amigos da escola, e com eles trazem uma chuva de afeto, emoção e muita riqueza.
Quando um livro chega aqui é lido, relido, passa por várias mãos, e cumpre sua papel de encantar e fazer os leitores se apaixonarem cada vez mais pela leitura.
Não foi diferente com o livro: Sertão de Fábio Monteiro com ilustrações de Maurício Negro que chegou aqui pela nossa parceria com a  Paulinas Editora, foi abrir suas páginas e flogo transbordando em nosso olhar a ternura e como quem aspirava o sonho da chuva fez-se real a fantasia, e como saída do livro e das belas ilustrações a chuva que está enchendo nossos açudes, foi ler e o nosso pequeno mundo no sertão ganhou verde  esperança.



O livro Sertão conta a história de Tonho, um menino que vive no sertão e que durante quase toda sua infância não viu a chuva e sonha ver um lugar onde exista muita água para o gado, para soltar barquinhos de papel, para nadar.




Tonho passa seus dias a cuidar do pouco que resta de plantação quase sem vida e de duas vaquinhas magras e a esperança de seu olhar  está num pássaro que tem cor de céu e vem todas as manhãs de um lugar inimaginável. Para Tonho o pássaro traz no olhar os rios, as grandes árvores cheias de frutas, que no seu lugar as árvores sem folhas definham e só servem para balançar.
Uma história de luta e esperança, de empatia e saber olhar a vida, de grande ternura e amizade.
O livro nos arrebatou a alma  primeiro nas mãos das meninas Alice e Tereza que acabavam de tomar banho de chuva e assim como o personagem principal Tonho, desejavam ardentemente pelo derramar das águas celestes, e foram inundadas de chuva e de poesia da boa esperança.



Minha mãe que é uma ótima leitora e nasceu no sertão ao ler o livro se emocionou pois achou nele a sua infância, a sua vida em meio às dificuldades , mas a beleza do puro e dos dias permeados pela fé em dias melhores

Diante de tanta beleza planejamos logo a ida do livro para a escola e coincidentemente estamos trabalhando sobre água e o uso consciente assim como sua forma, como se deu o nascimento das cidades á beira dos grandes rios, a preocupação com as doenças por causa da água poluída ou no caso de água parada como a dengue. Além de conteúdos, trabalhamos a realidade vivida pelas crianças em meio á falta das chuvas e como um presente esses dias chegou por semana inteira chovendo como se o livro desembocasse uma grande torneira dentro de nós e molhasse a terra.

E assim surgiu nossa sequencia didática:
As crianças ouviram a história do livor por mim, fizemos roda de conversa sobre a importância da água e sobre como o autor e o ilustrador retrata a realidade do sertão em prosa poética, num conto mágico e real
Depois em grupo, leram apoiando os amigos que ainda não leem fluentemente





 Fiz um ditado com algumas palavras do texto e a partir dele as crianças escreveram e desenharam a história como a compreenderam e fizeram dobraduras do pássaro amigo de Tonho













O livro foi lido, vivenciado, expresso em muitos sentimentos que além da escola foi lido no sertão e vivenciado em sua essência por amigos, e seus filhos e amigos,numa forma grata de ver a chuva chegar e mudar o cenário seco e ardente pela chuva que chega nesses dias.
Estamos encantados com o livor Sertão,  assim como o outro livro recebido da editora paulinas do mesmo autor Fábio Monteiro: A menina que contava, e que logo mais trago aqui a resenha e interações e com certeza será lido ainda por muitas crianças aqui na nossa cidade e região, pois assim como a chuva enche a terra, meu sonho é que a leitura banhe todas as almas ao meu redor e no mundo!



Para conhecer mais e adquirir o livro clica na imagem






8 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde! Mais uma publicação excelente!! Parabéns


Beijo. Bom fim de semana.

✿ chica disse...

Que linda dica, poesia, fotos e saliento hoje a da tua mãe...Que amor! beijos, chica

Anete disse...

Certamente é um bom livro! O sertão com as suas peculiaridades e belezas...
Bom fim de semana

Toninho disse...

Que bom Paula, um livro que faz uma viagem a uma infância, que deve ter emocionado muito sua mãe. São inúmeros Tonhos que esperam e sonham com as chuvas. A mãe deve ter historias tristes para contar das grandes secas. Belas fotos amiga. Alice sempre bela e fotogênica.
Um belo fim de semana com paz e harmonia na familia.
Meu terno abraço para vocês.

Alegria de Viver disse...

Ô Paula, o livro seve ser bem interessante, afinal o sertão tem tantas coisas lindas para se mostrar, a criança que mora na cidade às vezes desconhece a vivência do sertanejo!

fs Paula.

Gil António disse...

O meu elogio para tão sublime publicação.
.
* Cavalo e Amazona - amizade sem tempo ( Poetizando) *
.
Votos de um domingo poético

Renata disse...

Excelente o seu e o trabalho de sua mãe, com as crianças! Alice tem dois grandes exemplos. Beijo. Renata e Laura

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Parabéns Paula! Um livro cujo contexto é uma volta a infância, isto vai passando as informações de geração para geração. Sua linda filha Alice encantada, lendo , as fotos estão belíssimas. Parabéns! Abraços, tenha muito sucesso. Feliz Domingo.