quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O fim do mundo

O fim do mundo


O mundo se desmancha tal como nuvem em dia chuvoso
Há ódio e desarmonia que tal como água fria congela os corações
O homem vive sem alvo
Não sabe pra onde vai
Semeia-se a inimizade
Tristezas e mágoas é a porta das mazelas
O que seria alívio se torna esconderijo de um povo sem paz
Esquece-se do amor, da solidariedade, do olhar ao céu e orar juntos pela humanidade.
O mundo vive num caos...
O diálogo esgotou-se e a violência gera morte e vingança
Há escuridão na alma do homem
E na luz não deseja se encontrar
Planta-se feridas no coração de Deus
O que seria felicidade se faz inveja, murmuração, vaidade e intolerância.
O homem se distância do amigo
E de Deus faz-se inimigo.
O mundo jaz no maligno
Só o coração em oração, perdão e amor ao próximo pode quebrar as algemas do mal

Paula Belmino
Paulabelmino.blogspot.com

Um comentário:

Andreia disse...

Você conseguiu expressar em poucas palavras como o ser humano necessita urgentemente de um encontro com Deus.
Pois só assim conseguiremos encontrar a Paz e o Amor em nossos corações...
Lindos poemas.